Relembre zagueiros vencedores do prêmio de melhor jogador da PFA

Holandês do Liverpool foi o sexto defensor em toda a história da liga a ganhar o prêmio

0
364
A temporada de van Dijk foi a melhor de um zagueiro na história da PL?
(Foto destacada: Mike Egerton - EMPICS/PA Images via Getty Images)

A temporada 2018/19 foi histórica para Virgil van Dijk. O zagueiro do Liverpool não cansa de atingir recordes e conquistar prêmios, mesmo sem a garantia de que será campeão da Premier League. Entre as marcas, está o prêmio de melhor jogador na eleição da Professional Footballers' Association, a Associação de Jogadores Profissionais da Inglaterra (PFA).

Na votação feita pelos membros da PFA – jogadores dos clubes da PL –, van Dijk superou outros grandes nomes e se tornou o primeiro zagueiro em 13 anos a vencer o prêmio.

Em toda a história, desde que o prêmio começou a ser concedido em 1973/74, é apenas a sexta vez em que um defensor vence, explicitando a dificuldade de um jogador da primeira linha ser considerado para tal.

Por isso, a PL Brasil relembra agora as outras cinco vezes em que, além de Virgil van Dijk, um defensor foi eleito como melhor jogador da temporada pela PFA.

Acompanhe a PL Brasil no Youtube!

PODCAST #65 | OS MELHORES DA TEMPORADA!

https://www.youtube.com/watch?v=_Dosm05U4_0

Norman Hunter, Leeds United, 1973/74

Na década de 1970, o Leeds United era uma das grandes forças da Inglaterra. Os Whites foram vice-campeões ingleses entre 1970 e 1972, campeões da liga em 1974, campeões da FA Cup em 1972 e vices em 1970 e 1973, além do vice da Copa dos Campeões (hoje Champions League) em 1975.

Entre os vários destaques do time, um dos principais era Norman Hunter. O zagueiro, que esteve no elenco campeão mundial pela Inglaterra em 1966, é o quarto, com mais partidas na história do Leeds (726) e esteve presente nas grandes glórias.

Na temporada 1973/74 ele foi coroado, sendo eleito o melhor jogador da liga no primeiro ano de instituição do prêmio da PFA. Para completar, o Leeds venceu seu segundo título inglês, com cinco pontos de vantagem para o Liverpool.

(Foto; Bob Thomas/Getty Images)

Hunter tinha um apelido curioso recebido na época de Leeds: “Bite Yer Legs” (“Morder suas pernas”), dado pela torcida por ser um zagueiro sempre muito firme.

Em 1972, na final da FA Cup vencida contra o Arsenal, os fãs do Leeds levaram uma faixa com os dizeres “Norman Bites Yer Legs”. No pré-jogo da transmissão inglesa da partida, o lendário Brian Clough se referiu ao zagueiro pelo apelido, que ali se popularizou de vez.

Até hoje, com seus 75 anos, ele é conhecido como Norman “Bites Yer Legs” Hunter.

Colin Todd, Derby County, 1974/75

Assim como o Leeds, o Derby County atualmente está na segunda divisão, mas era uma grande força nos anos 1970. Em 1972 e 1975, os Rams conquistaram seus dois únicos títulos ingleses. E um defensor foi um dos grandes destaques da última taça.

Em 1974/75, o Derby travou uma bela disputa com o Liverpool e foi campeão por apenas dois pontos de vantagem. Um dos grandes nomes do time era Colin Todd, que chegou em 1971 e participou das duas conquistas de liga.

(Foto: PA Images via Getty Images)

Todd foi a contratação mais cara de um zagueiro na história do Reino Unido, custando (hoje) míseras 175 mil libras. Com 371 jogos pelos Rams (16º maior no quesito), formou uma grande parceria com Roy McFarland, uma das responsáveis pelos títulos.

Em 1975, era o segundo ano de existência do prêmio da PFA. E pela segunda vez consecutiva, vencia um zagueiro. Depois de Hunter em 1974, foi a vez de Colin Todd ser eleito pelos próprios atletas como o melhor da temporada. Dali em diante, viria um grande jejum de zagueiros vencedores da honraria.

Leia mais: 10 escoceses que marcaram seus nomes no Campeonato Inglês

Gary Pallister, Manchester United, 1991/92

Depois de 27 anos da marca de Todd, um zagueiro voltou a vencer o prêmio da PFA. Jogando pelo Manchester United, Gary Pallister foi o responsável.

Assim como Todd, Pallister quebrou o recorde de transferência por um zagueiro (mas o valor cresceu bastante, para 2.3 milhões de libras) quando trocou o Middlesbrough pelo Manchester United em 1989. O retorno não poderia ter sido melhor.

Em dez anos de United, foram quatro títulos de liga, três FA Cups, uma Copa da Liga e uma Copa dos Campeões das Copas Europeias. Para completar, a principal honra pessoal: o prêmio da Associação dos Jogadores de melhor da temporada em 1991/92.

(Foto: Allsport/Getty Images)

Diferentemente dos dois primeiros, Pallister ganhou o prêmio da PFA sem conquistar a taça. O Manchester United travou uma emocionante disputa com o Leeds United durante todo o torneio, mas viu os rivais levarem o título por quatro pontos. Como consolação, o título da Copa da Liga.

Aquela viria a ser a última temporada antes da criação da Premier League. No ano seguinte, já com a PL instituída, curiosamente um defensor viria a ser eleito o melhor pela Associação dos Jogadores.

Paul McGrath, Aston Villa, 1992/93

Um dos maiores jogadores irlandeses de todos os tempos, Paul McGrath teve uma grande carreira como zagueiro e volante. Depois de chegar à Inglaterra em 1982 e passar oito temporadas no Manchester United, foi para o Aston Villa em 1989.

Apesar de conviver com várias lesões no joelho, o zagueiro foi um dos grandes do Villa naquele período. A idolatria é tanta que, dentro da torcida, ele recebeu um apelido que carrega até hoje: “Deus”.

(Foto: Bob Thomas/Getty Images)

Em 1992/93, ele foi um dos grandes destaques do time comandado por Ron Atkinson. O Villa foi vice-campeão dez pontos atrás do Manchester United, mas McGrath não saiu de mãos vazias: foi eleito pela PFA como o melhor da temporada.

Até a conquista de Van Dijk na atual temporada, McGrath havia sido o único não inglês a levar o prêmio. Seguindo no Villa até 1996, ele fez 323 partidas pelo clube, conquistando um título: a Copa da Liga em 1993/94, contra o mesmo Man United.

Leia mais: O calvário do Liverpool: 8 temporadas seguidas na segunda divisão

John Terry, Chelsea, 2004/05

Aqui chegamos à última vez, até 2018/19, em que um zagueiro conquistou o prêmio de melhor do ano pela PFA. Em 2004/05, o Chelsea contratava o então campeão europeu pelo Porto, José Mourinho, como novo técnico, para enfim mudar de patamar.

A história de glórias do português na Inglaterra começou com o primeiro título de liga dos Blues em 50 anos, atingindo um recorde à época de 95 pontos e 29 vitórias, perdendo apenas uma partida. E o grande pilar defensivo da equipe era John Terry.

A temporada do zagueiro foi tão espetacular, que ele não apenas recebeu o prêmio da PFA, mas também foi o melhor zagueiro da Champions League e entrou no XI mundial da FIFPro de 2005 – na defesa com Cafu, Paolo Maldini e Alessandro Nesta.

(Foto: Mike Egerton – EMPICS/PA Images via Getty Images)

É de conhecimento geral que Terry é uma lenda do Chelsea. Com 717 jogos pelo clube (terceiro na história), ele venceu cinco PLs, cinco FA Cups, três Copas da Liga, uma Champions League e uma Europa League.

Quatro vezes selecionado ao time do ano da PFA, na temporada 2004/05 teve o auge ao vencer o prêmio de melhor jogador pela Associação dos Jogadores. Honraria que jamais voltaria a ser concedida a um defensor, até a conquista de Virgil van Dijk neste ano.

Não há posts para exibir