Briga por título e recorde de público: como o Big-4 chega nos clássicos da WSL, a ‘Premier League’ feminina

5 minutos de leitura

Os fãs de clássicos têm um excelente cardápio em mãos no futebol inglês no final desta semana. Na Women's Super League (WSL), a Premier League feminina, os times integrantes do chamado Big-4 se enfrentam na luta pelo título e pela classificação para a próxima Champions League.

Chelsea e Manchester City entram em campo nesta sexta-feira (16), a partir das 16h15 (horário de Brasília). E o embate entre Arsenal e Manchester United acontece no dia seguinte, sábado (17), às 9h30. Todos os horários são de Brasília e as duas partidas serão transmitidas no streaming Star+.

Quem são as favoritas? As equipes jogarão nos estádios principais dos clubes? A PL Brasil traz todas as informações sobre como chegam Chelsea, City, Arsenal e United para os dérbis decisivos da 14ª rodada da WSL.

Chelsea x Manchester City: a partida que pode definir o campeão da WSL

A oito rodadas do fim desta WSL, Blues e Citizens protagonizam o combate que pode determinar as grandes campeãs da temporada. De um lado, está o Chelsea com o melhor ataque da competição (41 gols) e do outro, o City com a melhor defesa (apenas oitos gols).

Com 34 pontos, o Chelsea defende seu heptacampeonato de WSL, que pode ser o último título nacional sob o comando da lendária Emma Hayes, treinadora do clube há 12 anos que está de partida para assumir a seleção feminina dos Estados Unidos.

O City, por sua vez, faz uma campanha incrível depois de decepcionar na última temporada. Com apenas três pontos a menos que o Chelsea, as Citizens ocupam o segundo lugar estando invictas desde uma derrota para o Brighton, em novembro.

Caso as Blues vençam, elas alcançam uma vantagem de seis pontos e podem já colocar uma mão na taça. Mas, se o City der sorte, empatam na pontuação e tornam a briga pela liderança ainda mais acirrada.

Há ainda a disputa pela artilharia da competição. Estarão em campo as duas goleadoras da temporada: Khadija Shaw, com 13 gols pelo City, e Lauren James, com 12 gols pelo Chelsea. Independente da equipe vencedora, a certeza é só uma: será um jogaço.

manchester-city-chelsea-wsl
Última partida entre City e Chelsea na Women's Super League terminou empatada em 1 a 1 (Foto: Icon sport)

Arsenal x Manchester United: a briga pela Champions League

Já o embate entre Gunners e Red Devils aponta para a briga pelo terceiro lugar, última vaga da da WSL para a Liga dos Campeões. Ambas as equipes fazem uma campanha aquém da temporada anterior, na qual o United brigou pelo título até a última rodada, enquanto o Arsenal levantou a taça da Copa da Liga Inglesa.

Em 2023/24, além de os dois praticamente não terem mais chances de serem campões — nunca um time com três derrotas venceu a WSL –, estão apresentando atuações em campo abaixo do esperado para os seus elencos. Nas redes sociais, os torcedores têm reclamado bastante das ideias dos treinadores Jonas Eidevall e Marc Skinner.

Ainda assim, os times estão na ponta da tabela e têm tudo para fazer um grande confronto. Manchester United está quatro pontos atrás na tabela, mas vem embalado pelo bom momento de Nikita Parris, atual artilheira da equipe com oito gols. Em sua primeira temporada na WSL, a brasileira Geyse também tem feito um bom trabalho com as Red Devils. Ela é a líder do campeonato em dribles bem sucedidos por jogo (4,6), de acordo com a plataforma de estatísticas “FotMob”.

Apesar do abalo da eliminação na FA Cup na última semana, o Arsenal tem como vantagens o possível retorno da artilheira Viviane Miedema, que ficou fora da última partida por um desconforto no joelho — que já foi noticiado não ser nada grave — e a expectativa de mais um recorde de público. O jogo será disputado no Emirates Stadium e os ingressos se esgotaram na quinta-feira (15).

Maria Tereza Santos
Maria Tereza Santos

Me formei em Jornalismo pela PUC-SP em 2020. Antes de escrever para a PL Brasil, fui editora na ESPN e repórter na Veja Saúde, Folha de S.Paulo e Superesportes.