WSL 2020/2021: resumo dos jogos atrasados da Women’s Super League

Confira o melhor do fim de semana dos jogos atrasados no futebol feminino inglês!

0
638
WSL 2020/2021: resumo dos jogos atrasados da Women’s Super League
(Foto: Catherine Ivill/Getty Images)

O fim de semana foi de jogos atrasados pela WSL 2020/2021! Por conta da Covid-19, várias partidas acabaram sendo postergadas. Por isso desta vez, ao invés da rodada convencional, foram realizados apenas jogos para correção da tabela.

Confira o que aconteceu de melhor em mais um fim de semana da Women's Super League!

Bristol City 3×0 Brighton – jogo atrasado da 11ª rodada

Enfim saiu a vitória!! O primeiro dos jogos atrasados da WSL 2020/2021 realizado neste fim de semana foi entre Bristol City e Brighton. E as Robins, após 11 jogos com a pior campanha disparada da liga, enfim na 12ª partida conquistaram o primeiro triunfo.

Jogando em casa, o Bristol partiu para cima logo de cara. E disposto a fazer diferente, abriu o placar cedo. Logo aos três minutos, Yana Daniëls acertou um belo chute de longe para anotar o primeiro gol do jogo. Então, quando a vantagem precisava ser consolidada, pintou a estrela da artilheira.

A jovem Ebony Salmon enfim voltou a desencantar e relembrou os bons momentos da temporada anterior. Primeiro, aos 34 minutos, ela ganhou na corrida de duas marcadoras, finalizou bem e aumentou. Depois, já aos 14 do segundo tempo, Victoria Williams acertou a bola com a mão dentro da área. Pênalti cobrado por Salmon: 3 a 0.

O Brighton acabou perdendo qualquer chance de reação nove minutos depois, quando Kayleigh Green foi expulsa diretamente por conduta violenta. Dali até o fim do jogo, o Bristol City apenas segurou o placar para enfim conquistar a suada primeira vitória.

O resultado não tira o Bristol da lanterna, mas o coloca a apenas dois pontos do 11º Aston Villa, permitindo um sonho maior. Já o Brighton segue na parte de baixo da tabela e também olha para a possibilidade de rebaixamento com bastante cuidado.

Ficha Técnica:

Bristol City: Baggaley; Allen, Evans, Matthews, Purfield; Palmer (Skeels), Pike, Humphrey (Jones), Wellings (Bissell), Daniëls; Salmon. Técnico: Matt Beard.

Brighton: Fiskerstrand; Green, Le Tissier, Williams, Roe; Bowman (Simpkins), Whelan, Connolly (Heroum), Kaagman (Geum-min), Brazil; Jarrett (Kerkdijk). Técnica: Hope Powell.

Chelsea 4×0 Tottenham – jogo atrasado da 10ª rodada

O Chelsea mostra toda rodada que quer conquistar o bicampeonato inglês. Em derby londrino. No único dos jogos atrasados que valeu pela 10ª rodada da WSL 2020/2021, as Blues golearam as Spurs por 4 a 0 em Kingsmeadow, acabando com a série de três partidas seguidas com vitória do Tottenham. Já o Chelsea continua com 33 jogos de invencibilidade e líder da competição.

A partida teve início com o Tottenham tentando abrir o placar com grande chance, mas Ann Katrin Berger defendeu de forma segura. Cinco minutos depois, o Chelsea mostrou as suas credenciais com finalizações de Sam Kerr, duas para fora e uma em impedimento.

Em seguida, as Spurs tentaram chegar com mais perigo na defesa do Chelsea. O primeiro chute foi desarmado por Millie Bright e os outros dois foram disparados por Allana Kennedy para fora.

O Tottenham esteve perto de abrir o placar quando Ria Percival acertou a trave com um chute de longe e, três minutos depois, Kit Graham finalizou, mas Berger pegou. Aos 21 minutos, Pernille Harder, Guro Reiten e Fran Kirby começaram a brilhar.

Primeiro, Reiten tentou voleio e Harder foi quem chutou, mas Aurora Mikalsen defendeu. Em seguida, Melanie Leupolz recebeu a bola de Ji So Yun e finalizou de fora da área, abrindo o marcador para as Blues.

Logo depois, Kirby encontrou Harder na área e a dinamarquesa fez o segundo para o Chelsea. Em seguida, Harder encontrou Kerr com um cruzamento preciso e a atacante cabeceou para o terceiro gol no final da primeira etapa.

No segundo tempo, as Blues se mantiveram dominantes na partida. A equipe começou forte com finalização de Harder e, aos 19 minutos, Leupolz marcou o seu segundo gol no jogo, de pênalti. Foi o ato final da goleada azul.

Ficha Técnica:

Chelsea: Berger; Mjelde (Blundell), Bright (Ingle), Eriksson, Andersson; Kirby (Fleming), Ji, Leupolz, Reiten; Harder (Spence), Kerr (England). Técnica: Emma Hayes.

Tottenham: Mikalsen; Neville, McManus, Zadorsky; Kennedy, Percival; Davison (Quinn), Graham (Green), Addison; Naz (Ayane). Técnica: Rehanne Skinner.

Manchester City 4×0 West Ham – jogo atrasado da 11ª rodada

Ninguém segura o Manchester City. Após início ruim, as Citizens confirmaram a grande fase que vivem atualmente. A goleada de 4 a 0 sobre o West Ham em um dos jogos atrasados da WSL 2020/2021 foi a quinta vitória consecutiva, período no qual o clube marcou 23 gols e sofreu apenas dois.

As Citizens não tomaram conhecimento das Hammers e partiram para cima desde o pontapé inicial. Logo aos nove minutos, a meio-campista Caroline Weir recebeu cruzamento de Chloe Kelly e abriu o placar. Foi o quarto gol da escocesa nas últimas três partidas do City pela WSL.

As donas da casa seguiram dominando as ações da partida, mas o segundo tento só saiu aos 39 da primeira etapa. Após confusão dentro da área do West Ham, a camisa 10 Georgia Stanway encheu o pé para balançar as redes.

A conversa nos vestiários pareceu favorecer ainda mais as Citizens. Se no primeiro tempo a posse de bola foi de 73% e as anfitriãs finalizaram 12 vezes contra a meta de Mackenzie Arnold, na segunda metade da partida a posse foi de 80% e 13 chutes foram disparados contra a meta do West Ham. As Hammers finalizaram apenas uma vez em toda a partida.

O claro domínio só se traduziu em gol aos 19 minutos. A lateral-esquerda Alex Greenwood cobrou escanteio e a artilheira Ellen White desviou de cabeça para o gol.

No minuto seguinte ao terceiro gol, o técnico Gareth Taylor promoveu a entrada da estadunidense Rose Lavelle, Bola de Bronze na Copa do Mundo de 2019 e novidade do City para a atual temporada. Sem conseguir se firmar entre as titulares, Lavelle ainda não havia marcado pelo clube, mas isso estava prestes a mudar.

Aos 26 minutos, a esperta e veloz Lavelle se aproveitou de escorregão da lateral Maz Pacheco, invadiu a área e fuzilou a meta de Arnold. Com a vitória já assegurada, o time da casa tirou o pé do acelerador e administrou a vantagem até o apito final.

Ficha Técnica:

Manchester City: Roebuck; Bronze (Coombs), Houghton, Dahlkemper, Greenwood; Walsh, Weir (Mannion), Stanway; Kelly (Davies), Hemp (Lavelle), White. Técnico: Gareth Taylor.

West Ham: Arnold; Fisk, Flaherty, Vetterlein; Kvamme, Joel (Barker), Longhurst, Pacheco; Svitková (Cissoko), Leon (Mustafa), van Egmond. Técnico: Olli Harder.

Everton 0x2 Manchester United – jogo atrasado da 11ª rodada

O Manchester United foi até Walton Hall Park e voltou com três pontos na bagagem diante do Everton. O time entrou em campo pelo jogo atrasado da 11ª rodada sabendo que seus adversários diretos – Chelsea e Manchester City – encaminhavam vitórias, e que não poderia fazer diferente.

Falando do jogo, o Everton começou tentando impor aquela pressão caseira nos minutos iniciais, mas não obteve êxito. O United fez, talvez, um dos seus melhores primeiros tempos recentemente. Hayley Ladd funcionado como um motor no meio, Katie Zelem distribuindo as jogadas e a linha ofensiva aproveitando. Relembrou os velhos tempos.

E foi assim que aos nove minutos a capitã mancuniana abriu a jogada para Leah Galton na ponta esquerda. Ela foi na linha de fundo e cruzou. Sandy Maclver defendeu em um primeiro momento, Christen Press dividiu com a marcação e a bola sobrou para Ella Toone mandar para as redes.

Após o gol, as visitantes continuavam a encontrar espaços e construir boas jogadas. Press tinha boa movimentação e participava de quase todos os lances de perigo. Aos 42 minutos, Ladd recuperou a bola na entrada da área, tocou e deixou Press cara a cara com Maclver. Ela bateu de mansinho na saída da goleira para ampliar.

O segundo tempo começou com o Everton levando perigo primeiro: Jill Scott – que completou sua 150ª partida pela WSL – arriscou de fora da área e obrigou Mary Earps a fazer grande defesa. O ritmo foi diferente na etapa final, com o Everton não conseguindo pressionar e o United cadenciando à espera do apito final.

Com a ausência de Tobin Heath, fora de 10 a 12 semanas por conta de uma lesão no tornozelo, e a crescente das rivais, fica a expectativa de como o United atuará para conseguir a vaga direta à próxima UWCL. Atuação dentro da média, vitória conquistada e um pouco de peso tirado das costas.

Ficha Técnica:

Everton: MacIver; Moe-Wold, Finnigan, Sevecke, Turner; Scott, Christiansen, Graham; Raso (Lehmann), Guavin (Emslie), Sorensen. Técnico: William Kirk.

Manchester United: Earps; Smith, Amy Turner, Millie Turner, Batlle; Ladd, Zelem (Sigsworth); Toone, Groenen, Galton (James), Press (Hanson). Técnica: Casey Stoney

Aston Villa x Arsenal – ADIADO NOVAMENTE

Apesar de um fim de semana inteiro só para jogos postergados, a WSL sofreu de novo com o calendário. O jogo entre Aston Villa e Arsenal, que já era atrasado da 11ª rodada, foi adiado novamente – desta vez, por conta de problemas com o gramado.

Classificação após os jogos atrasados da WSL 2020/2021:

1º – Chelsea: 32 (-1 jogo)
2º – Manchester United: 32
3º – Manchester City: 27 (-1 jogo)
4º – Arsenal: 23 (-2 jogos)
5º – Everton: 17 (-2 jogos)
6º – Reading: 15
7º – Tottenham: 12 (-2 jogos)
8º – Birmingham City: 10 (-3 jogos)
9º – Brighton: 9
10º – West Ham: 7 (-2 jogos)
11º – Aston Villa: 7 (-2 jogos)
12º – Bristol City: 5 (-1 jogo)

Próxima rodada (14ª de 22):

– Aston Villa x Tottenham, 06/02
– Manchester United x Reading, 07/02
– Chelsea x Brighton, 07/02
– Everton x Birmingham, 07/02
– Arsenal x Manchester City, 07/02
– West Ham x Bristol City, 07/02

Texto produzido por Alícia Soares, Eduardo Costa, Hugo L'Abbate e Karyne Teixeira.

Não há posts para exibir