Oitavas da Uefa Women’s Champions League: Man City e Arsenal entram em campo

O que esperar de Arsenal e Manchester City nas oitavas da UWCL?

0
134
Oitavas da Uefa Women’s Champions League: Man City e Arsenal entram em campo

Nesta quarta-feira (16) iniciam-se os confrontos das oitavas da Uefa Women's Champions League.

Serão duas as equipes inglesas em campo. Atual campeão da Women's Super League, o Arsenal se deu relativamente bem e vai enfrentar o Slavia Praha, da República Tcheca.

Já o Manchester City, vice-campeão nacional, pegou uma pedreira: o Atlético de Madrid, da Espanha. Confira a análise da PL Brasil sobre os confrontos das equipes inglesas nas oitavas da UWCL.

Acompanhe a PL Brasil no YouTube!

Arsenal x Slavia Praha

Dá para dizer, sem sombra de dúvidas, que o Arsenal se deu bem no sorteio das oitavas. No pote 2, era possível enfrentar cabeças de chave como Wolfsburg, Lyon, Barcelona e Paris Saint-Germain. Mas as Gunners têm pela frente as tchecas do Slavia Praha.

O Arsenal chega para o confronto como favorito. Tendo como grande destaque a atacante Vivianne Miedema (com três gols em dois jogos na UWCL), as atuais campeãs inglesas e vencedoras da UWCL em 2006-07 têm um elenco de vasta qualidade, sonhando com vôos maiores.

Para ajudar Miedema, há outros expoentes da força ofensiva do time, como Kim Little, Jordan Nobbs, Jil Roord e Daniëlle van de Donk. A preocupação até agora tem sido a defesa: apesar de ter sofrido apenas três gols em cinco jogos, o setor – comandado por nomes como Leah Williamson e Jennifer Beattie – ainda não transmite tanta confiança.

Leia mais: 4ª rodada da WSL: confira o resumo dos jogos da Women’s Super League

As Gunners, apesar dos bons resultados, parecem ainda não estar na forma ideal. Tanto que no maior teste da temporada, contra o Chelsea pela WSL, foram derrotadas por 2 a 1 de virada, com poucas ações ofensivas e um futebol abaixo da média. Por isso, uma boa classificação diante do Slavia é essencial para a moral da equipe de Joe Montemurro.

As tchecas podem sim oferecer resistência: lideram a liga local com sete vitórias em sete jogos, marcando incríveis 55 gols e sofrendo apenas três. Porém os números podem ser apenas ilustrativos, tal a diferença de nível do futebol feminino na República Tcheca e na Inglaterra.

Seus grandes destaques são a zagueira (e capitã) Veronika Pincová, a meia Kateřina Svitková e a atacante Petra Divišová – todas elas representam a seleção e já foram eleitas nesta década como melhores do ano no país, sempre jogando pelo Slavia.

Na fase 16-avos de final da UWCL, as duas equipes passaram tranquilamente. Enquanto o Arsenal bateu as italianas da Fiorentina, vencendo os dois jogos por 4 a 0 e 2 a 0, o Slavia Praha fez 4 a 1 e 5 a 1 nas escocesas do Hibernian.

Jogos

Slavia Praha x Arsenal – 16/10, 13h30, Praga (República Tcheca)

Arsenal x Slavia Praha – 31/10, 16h30, Londres (Inglaterra)

Manchester City x Atlético de Madrid

Um duelo com gosto de revanche para o Manchester City. Dos rivais do pote 2, sem dúvidas, o Atlético de Madrid era o mais temido, e novamente as duas equipes se enfrentarão pela Women’s Champions League.

Nos duelos da fase de 16-avos de final da última temporada, vitória por 3 a 1 no agregado para a equipe colchonera, com direito a gol da brasileira Ludmila em Manchester.

Assim como no confronto da temporada passada, as Cityzens chegam com um leve favoritismo em relação ao forte rival, que teve uma mudança no comando técnico recentemente. A equipe do Manchester City já foi semifinalista da competição em duas oportunidades, onde curiosamente, foi eliminado em ambas pelo Lyon.

Leia mais: Lucy Bronze e as atletas inglesas no prêmio da FIFA
Tessa Wullaert-Manchester-City-George Wood Collection Getty Images Sport
George Wood Collection Getty Images Sport

Os principais destaques do time na competição até agora são do setor ofensivo: Pauline Bremer, Caroline Weir e Janine Beckie. Além delas, o setor defensivo tem feito sua parte com Stephanie Houghton na liderança.

A chegada de Aoife Mannion tem sido importante para que o City em um setor que desde a saída de Lucy Bronze estava em carência: a lateral direita – apesar de muitas vezes Mannion jogar como uma terceira zagueira (trio com Bonner e Houghton), liberando as velozes alas do time.

A liderança isolada da WSL é reflexo de um equilíbrio entre sua defesa e ataque. Para se ter ideia, o time foi o único a não ser vazado na competição, tendo sofrido apenas um gol em toda a temporada oficial. Foi diante do Lugano, no jogo de ida da fase 16-avos da UWCL – placar de 7 a 1.

No agregado, o confronto fora vencido pelas inglesas por 11 a 1. Já o rival das oitavas passou sufoco ao passar pelo Spartak Subotica, da Sérvia, por 4 a 3 no agregado.

Leia mais: Guia da WSL 2019/20 – Parte II: os times da Women’s Super League

Terceiro na Liga Iberdrola com 12 pontos em cinco partidas, o Atlético pode oferecer riscos às Cityzens. A atacante brasileira Ludmila (que renovou seu contrato até 2023), a meia-atacante Amanda Sampedro, a goleira Sari Van Veenendaal são os principais destaques do time. O elenco também conta com uma jogadora inglesa: a atacante Toni Duggan, ex-Barcelona, Manchester City e Everton.

Jogos

Manchester City x Atlético de Madrid – 16/10, 15h, Manchester (Inglaterra)

Atlético de Madrid x Manchester City – 30/10, 15h30, Madrid (Espanha)

Texto produzido por Eduardo Costa e Bruno Bezerra.