White e Bissouma: a dupla do Brighton que merece voos mais altos

Jogadores dos Seagulls estão sendo observados no mercado por grandes clubes ingleses

Mike Hewitt Imago

O Brighton and Hove Albion não faz uma temporada consistente na Premier League, mas dois jogadores merecem destaque. Estes são o zagueiro inglês Ben White e o volante malinês Yves Bissouma.

Mesmo com o time lutando contra o rebaixamento, as atuações dessa dupla tem chamado a atenção e, por uma oferta ajustada, podem – e merecem – alçar voos mais altos já na próxima temporada.

Características de Ben White

Ben White tem 23 anos, 1,89m de altura e nasceu em Poole, no litoral sul da Inglaterra, perto de Bournemouth. Ele se profissionalizou no próprio Brighton, mas só ganhou espaço no time titular nesta temporada de 2020/2021. Antes, esteve emprestado na temporada 2019/2020 e conquistou o acesso com o Leeds United de Marcelo Bielsa.

Por ser versátil, executou diversas funções sob o comando do treinador argentino. Em todas elas, seja na zaga, seja no meio de campo como primeiro volante, seu desempenho foi exemplar.

White é um zagueiro construtor. Tem precisão nos passes, sejam eles curtos ou longos, e consegue quebrar a marcação com arrancadas a partir do campo de defesa. Na atual edição da Premier League, distribui, em média, 49 passes certos por jogo. Apenas Lewis Dunk acerta mais no elenco.

Além disso, acerta 2,1 passes longos a cada partida, segundo o Sofascore. Isso não quer dizer que suas características defensivas não mereçam destaque. Mesmo sendo alto, White é também rápido e ágil.

Seu posicionamento ao defender a própria área é consciente, tanto que é o terceiro jogador dos Seagulls com mais interceptações a cada 90 minutos (1,7). No um contra um, consegue se sobressair e desarma mais de duas vezes por jogo.

Leia mais: Por que Tariq Lamptey é uma das sensações do Brighton nesta Premier League

Características de Yves Bissouma

Nascido na Costa do Marfim, mas com nacionalidade de Mali, Yves Bissouma completou 24 anos, sendo que três deles foram defendendo as cores do Brighton. O camisa 8 tem 1,82m de altura, o que é uma característica física boa para um volante, ainda mais considerando a forma de jogar de Graham Potter.

Em 2016, Bissouma começou a atuar no time profissional do Lille, onde tinha completado a sua formação na base. Em dois anos, disputou apenas 55 jogos e poucos minutos. Contudo, isso foi o suficiente para os olheiros do Brighton perceberem sua qualidade com a bola.

Tanto que em 2018, o clube praiano pagou algo em torno de 15 milhões de libras (Transfermarkt) para tê-lo em seu elenco.

Mesmo atuando em zona de pressão, Bissouma não está entre os 10 jogadores que mais perdem a posse da bola no elenco. Comprovação de qualidade e característica importante para um meio-campista como ele.

Por participar de uma fase anterior da criação e finalização, Bissouma não possui números ofensivos tão expressivos. Entretanto, a sua participação no controle da posse é essencial para o desenvolvimento do estilo de jogo implementado pelo treinador inglês.

Leia mais: 4 nomes que poderiam substituir Wijnaldum no Liverpool

White e Bissouma como peças fundamentais no jogo do Brighton

O Brighton é um time que preza pela posse de bola e jogo apoiado, exceto em alguns confrontos contra os mais ricos (Chelsea, Manchester City e Liverpool, por exemplo). Por isso, tem média de 51,6% segundo dados do Sofascore, e costuma trocar entre 300 e 400 passes por jogo.

A maioria desses passes passa pela dupla White e Bissouma. Enquanto o primeiro tem papel importante na saída de bola e na primeira fase de construção do jogo, o segundo é o responsável por receber o primeiro passe, conectando os setores ao circular a bola e levando o time a evoluir nas fases mais ofensivas.

Se White é o segundo melhor passador do elenco, Bissouma é o quarto, assim como em interceptações (terceiro e quarto, respectivamente). O volante leva a melhor em bolas longas (2,2 por jogo) e principalmente em desarmes. Ninguém do time titular tem média de desarme maior que a de Bissouma: 2,8 por partida.

Prova do “amor por el balón” é que o Brighton marcou apenas cinco gols de fora da área nessa Premier League. Os outros 27 aconteceram dentro dela, ou seja, 84% dos gols da equipe (cinco foram de pênalti).

Portanto, o time prefere gastar mais tempo na construção da jogada antes de finalizar. Faz isso muito bem, exceto a finalização. Tanto que o Brighton é um dos times com maior diferença entre o índice de xG (Expected Goals) e os gols realmente marcados.

Eles são os dois jogadores com mais jogos na temporada até agora. Dos 33 jogos disputados, a dupla participou de 31. O zagueiro atuou em 2746 minutos na Premier League. Ou seja, esteve em campo 94% do tempo.

Já Bissouma participou de 2664 minutos, segundo o Transfermarkt, somando 90% do tempo em campo pelos Seagulls. Esses números mostram, além de regularidade na escalação inicial, a importância dos dois para a equipe.

Ambos chamam atenção na temporada. Os times mais ricos da Premier League não costumam deixar jogadores qualificados como eles passarem batidos. Então, qual o melhor destino para cada um deles?