West Ham – História, Mercado da Bola e Estatísticas

0
356
West Ham
Foto: Divulgação/PL Brasil

Antes de mais nada, o West Ham United Football Club ou West Ham é um dos clubes mais tradicionais da Inglaterra e do Reino Unido. A saber, foi fundado no ano de 1895. Além disso, fica baseado em East End, na região leste de Londres. Além disso, os Hammers, como são chamados, nunca venceram um titulo de Primeira Divisão Inglesa, ou a nova Premier League. Atualmente, são comandados por David Moyes, desde a temporada 2017/18.

Enfim, os Hammers contam com algumas rivalidades com alguns clubes, principalmente os londrinos como o Arsenal, Chelsea e Tottenham. Contudo, a maior delas é contra o Millwall, já que ambos os clubes têm suas origens voltadas aos trabalhadores das industrias siderúrgicas em torno do Rio Tâmisa. Além disso, essa rivalidade sempre envolveu encontros violentos e cheios de atos de vandalismo.

Trajetória do West Ham, fundação, conquistas e ascensão

Em suma, o clube foi fundado em 1895 por trabalhadores da Thames Ironworks and Shipbuilding Co. Ltd, um estaleiro localizado no Rio Tâmisa. Contudo, ainda em 1919 o time permanecia na segunda divisão. Desse modo, apenas no ano de 1923 subiu para a elite inglesa. Além disso, na década de 1920 ocorreram dois vices, um da Copa da Inglaterra e outro do Campeonato Inglês da 2ª divisão.

Antes de mais nada, até praticamente o final dos anos 1980 o clube teve apenas cinco treinadores. O time está entre as 20 equipes que jogaram pelo menos 60 temporadas da Premier League. Em estudo sobre os 50 maiores clubes da Inglaterra, utilizando os critérios de títulos, média de posições no Campeonato Inglês desde do início, média de público, estrelas (jogadores em de Copas do Mundo), popularidade e recursos financeiros, com o West Ham vindo a ocupar a décima segunda colocação. 

Antes de mais nada, o time viveu décadas de resultados normais e nada de brilho dentro do campo. Além disso, ficou muitos anos na segunda divisão. Contudo, nos dias atuais vem se consolidando cada vez mais como um clube de Premier League, dificultando e muito a vida dos clubes do Big Six nos confrontos diretos.

A era de ouro do West Ham

Na década de 1960, o clube teve o melhor momento de toda sua história e formou um esquadrão de 1963 até 1967. Desse modo, contou com atletas marcantes como Bobby Moore, Geoff Hurst, Martin Peters e Johnny Byrne. Sendo assim, jogadores que entraram na história do West Ham.

Assim, o clube ganhou o apelido de The Academy of Football, por sua formação cheia talentos vindos da base que marcou a era de ouro do clube e com um futebol que encantava. Sendo assim, tinha alguns pilares no elenco, Bobby Moore considerado o maior zagueiro inglês da história e de todos os tempos, desarmava e antecipava de maneira fácil.

Dessa forma, entre 1963 até 1967 os Hammers levantaram três canecos. A saber, venceram uma FA Cup em 1964 (venceriam novamente em 1975 e 1980) por 3 x 2 contra o Preston. Além disso, na temporada seguinte, levantaram o troféu da Recopa Europeia (atual Europa League), batendo o 1860 Munique por 2 x 0 na final.

O acesso e a permanência na Premier League

Em suma, os Irons demoraram à se firmarem no atual formato da Premier League como conhecemos atualmente. Assim, após a criação da competição em 1992, o West Ham passou aquela temporada na Segunda Divisão e ao final dela, estreou na competição. A saber, sob o comando de Harry Redknapp entre 1994/2001, o West Ham conseguiu um 5º lugar na Premier League, além de conquistar a extinta Copa Intertoto.

Em suma, ao final da temporada 2002/03 os Hammers voltaram a ser rebaixados para a Championship. Dessa forma, só retornaram à Premier League em 2005/06 sob o comando de Alan Pardew. Além disso, conquistaram o vice da FA Cup naquela temporada, perdendo a final nos pênaltis para o Liverpool. Assim, na temporada 2006/07 chegaram Javier Mascherano e um jovem Carlos Tévez, ambos vindo do Corinthians. A saber, os Irons evitaram o rebaixamento naquela temporada com um final de campeonato gigante, com sete vitórias nos últimos nove jogos. Incluindo uma vitória por 1 x 0 sobre o Manchester United, com gol de Tévez.

Posteriormente, passaram mais três temporadas seguintes fazendo campanhas tranquilas e terminando no meio da tabela. Contudo, voltou a ser rebaixado em 2011, ficando na última colocação da Premier League. Porém, só permaneceu por um ano na Championship e garantiu o acesso novamente à elite do futebol inglês. Enfim, desde 2012 os Hammers se mantem na Primeira Divisão e a cada temporada parecem afastar cada vez mais o risco de voltar à disputar uma Championship.

De Upton Park à Olímpico de Londres

Em suma, o antigo estádio dos Hammers era o Boleyn Ground, também chamado de Upton Park, com capacidade para 35 mil espectadores. Contudo, o West Ham acabou sendo escolhido para ocupar o novo Estádio Olímpico de Londres em 2012, após derrotar o Tottenham em uma votação proposta pela Companhia do Legado do Parque Olímpico. A saber, em 2016 o clube aumentou a capacidade da nova casa de 57 mil para 60 mil espectadores.

West Ham - Estádio
Foto: Reprodução/Wikipédia

A saber, em 2016 o clube venceu o Manchester United pela 35ª rodada da Premier League daquela temporada por 3 x 2, na despedida do estádio. Em suma, o West Ham saiu na frente com Diafra Sahko, porém, Martial empatou e virou no início da segunda etapa. Contudo, Michail Antonio e Winston Reid viraram novamente o jogo a favor dos Hammers e levaram a torcida presente à loucura na despedida do estádio.

 

Mercado de Transferências do West Ham

A saber, o West Ham é uma equipe que visa muito a formação de seus jogadores vindo das categorias de base. Anteriormente, com a The Academy of Football teve sua era de ouro na década de 60. Posteriormente, revelou atletas como Frank Lampard, Joe Cole, Jermain Defoe, Anton e Rio Ferdinand e tantos outros. Atualmente, conta com o talentoso volante Declan Rice, que chegou a disputar a Eurocopa 2020 pelo English Team. Contudo, alguns bons jogadores já integraram os Hammers em alguns mercados de transferências.

Carlos Tévez do Corinthians em 2006 por £13 milhões

Em suma, após voltar a Premier League, os Hammers investiram alto no mercado da bola em um jovem atacante argentino de 23 anos, que desfilava em terras brasileiras. Assim, Carlitos chegou à Londres e ficou apenas uma temporada, marcando sete gols e cinco assistências em 29 jogos. Porém, passou duas temporadas emprestado ao United e posteriormente seria repassado ao City no mercado de transferências por £26 milhões, dobrando o preço de sua contratação junto ao Timão.

Tévez - West Ham
Foto: Reprodução/Sky Sports

Javier Mascherano do Corinthians em 2006 por £13 milhões

Além de Tévez, outro hermano do Timão chegou aos Hammers, Javier Mascherano. Em suma, o volante não rendeu e logo acabou sendo vendido ao Liverpool no mercado de transferências na janela seguinte. Contudo, é valido lembrar da contratação de Mascherano não pelos números, mas pela representatividade da chegada dos dois atletas naquele mercado da bola. Em suma, no Deadline Day do mercado de transferências daquela temporada, causando um alvoroço sobre a chegada dos argentinos que acabaram de serem Campeões Brasileiros com o Corinthians.

Contudo, a passagem dos argentinos também ficaria marcada pela punição que o West Ham sofreu devido ao fato de que os jogadores pertenciam a um grupo terceirizado (a Media Sports Investment), o que é estritamente proibido pela Premier League. Geralmente ocorreria uma dedução de pontos na tabela, o que possivelmente acarretaria no rebaixamento do time, mas após uma longa luta judicial, o West Ham foi punido em £5,5 milhões e permaneceu na divisão de elite.

Mascherano - West Ham
Foto: Reprodução/AP

Vic Watson do Wellingborough Town em 1920 por £ 50 

Simplesmente o maior artilheiro da história do clube e o 8º jogador que mais vestiu a camisa do West Ham. Enfim, ao todo Vic disputou 505 jogos entre 1920 até 1936. Além disso, é o recordista máximo de gols da história do clube com 326 tentos anotados, foram 298 na Liga e 28 na FA Cup. Além disso, em 13 oportunidades, Vic marcou um hat-trick pelos Hammers, simplesmente um lenda do clube. Enfim, por apenas 50 libras na época, o West Ham contratou aquele que seria o maior artilheiro da história do clube disparado.

Vic Watson
Foto: Reprodução/Wiki

Billy Bonds do Charlton Athletic em 1967 por £50 mil 

A saber, Billy é o jogador com o maior número de partidas disputadas com a camisa do West Ham. Dessa forma, entre 1967 até 1988, ele passou 21 temporadas sendo jogador dos Hammers, sendo disparado o atleta que mais vestiu a camisa com 799 jogos. Além disso, Billy ainda virou treinador do clube em 1990 e permaneceu até 1994. Ao todo, foram 27 anos de sua vida sendo ligado ao West Ham.

Billy Bonds
Foto: Reprodução/Getty Images

Michail Antonio do Nottingham Forest em 2015 por £8.5 milhões

Atualmente com 31 anos e com todo seu porte físico a disposição, Antonio joga como centroavante. Contudo, há seis temporadas quando chegou a Londres, jogava como um meia aberto pela direita. Dessa forma, a cada temporada o novo camisa 9 dos Hammers vêm se destacando e virando um centroavante cada vez mais completo. Enfim, na temporada passada o atacante em 27 jogos marcou 10 gols e distribuiu cinco assistências. Na atual temporada, em dois jogos de Premier League, ele marcou três vezes e deu dois passes para gol. Assim, tem tudo para continuar sendo “O cara” da equipe nos próximos anos.

Michail Antonio - West Ham
Foto: Reprodução/Imago Images