Werner no Chelsea: mudança de patamar no ataque e recado aos rivais

Destaque da Bundesliga, o alemão chega aos Blues cercado de expectativas positivas

Werner no Chelsea: mudança de patamar no ataque e recado aos rivais
RONNY HARTMANN/AFP via Getty Images

O atacante alemão Timo Werner foi anunciado como novo reforço do Chelsea e assinou contrato de cinco anos e custou em torno de 47,5 milhões de libras.

Até aqui, Werner tem 32 gols marcados e 13 assistências em 43 jogos pelo RB Leipzig nesta temporada. Números que comprovam que o atacante é diferente e que a vinda dele para o Chelsea sinaliza uma mensagem: os Blues querem voltar a brigar por títulos. E, sem dúvida alguma, a vinda de Werner pode ajudar e muito neste objetivo.

Acompanhe a PL Brasil no YouTube!

  • O PRIMEIRO ELENCO DE ABRAMOVICH NO CHELSEA

Werner no Chelsea

“Olá, torcedores do Chelsea! Estou muito feliz em me juntar ao Chelsea na próxima temporada e jogar em Stamford Bridge para vocês. Vejo vocês em breve!”, disse Werner por meio de um vídeo publicado nas redes sociais dos Blues. Faltando apenas duas rodadas para o fim da Bundesliga, o atacante deve se apresentar no Chelsea em julho e, por conta disso, abriu mão de defender o Leipzig na Champions League – clube alemão está nas quartas de final da competição.

Versatilidade e faro de artilheiro

Apesar da instabilidade em vários momentos da temporada – tanto em atuação como em desempenho -, o trabalho de Frank Lampard no Chelsea é bom. Isso porque ele potencializou novos jovens, resgatou alguns veteranos e deu uma cara aos Blues. Para o restante da Premier League, a meta é segurar a vaga na Champions League de todo jeito, pois aí fica mais fácil para trazer jogadores de qualidade e seguir amadurecendo um projeto ambicioso.

E como Timo Werner pode encaixar nessa boa equipe de Frank Lampard? O atacante alemão é um cara versátil e que sabe jogar no ataque de várias formas. E o melhor para o torcedor dos Blues: o faro de gol continua. Seja jogando de 9 isolado, numa dupla ao lado de um companheiro mais fixo ou até mesmo jogando aberto pela esquerda.

Leia mais: O que esperar do Chelsea para o restante da PL 2019/2020

Onde atuar?

Projetando o Chelsea no 4-2-3-1, os Blues podem ter um quarteto ofensivo bem interessante. O marroquino Hakim Ziyech – outra novidade do Chelsea para a próxima temporada – pela direita, Mason Mount de 10, Timo Werner pela esquerda e Tammy Abraham centralizado. Um quarteto que consegue unir criatividade, velocidade e, claro, um faro de gol bem aprimorado.

Atuando pela esquerda, Werner não seria um ponta com funções de Willian, por exemplo, que tem no mano a mano sua principal característica, mas sim um atleta que consegue atacar os espaços nas costas dos defensores, seja dialogando com o camisa 9 ou o 10. Além disso, usar ele na esquerda não tira o seu faro de gol, desde que Lampard consiga potencializar o alemão.

Tendo Werner na esquerda e Abraham de 9, o Chelsea tem dois caras com faro de gol aprimorado. E que muito provavelmente se entenderiam muito bem, com um completando o outro durante a partida. A evolução técnica e tática de ambos ao longo desses anos permite que essa conexão possa fluir muito bem.

Se Werner atuar de 9, também não tem problema, provavelmente deve render do mesmo jeito. É importante destacar que mesmo jogando como uma referência no ataque e com faro de artilheiro, o alemão não é aquele centroavante fixo, mas sim de muita mobilidade e imprevisibilidade.

Werner é um atacante completo e que encaixa perfeitamente no estilo de jogo do Chelsea. Consegue ser veloz, inteligente e artilheiro. Cabe a Frank Lampard usá-lo da melhor forma. É uma contratação que muda o patamar do setor ofensivo e que também dá ao comandante dos Blues uma arma que pode ser letal em várias funções do setor ofensivo.

Timo Werner Chelsea
Christian Kaspar-Bartke/Bongarts/Getty Images

Leia mais: Montamos a seleção do Chelsea no século XXI; confira

Sinalizações de um velho Chelsea no mercado?

As chegadas de Ziyech e Werner no Chelsea passam a impressão de que o clube quer voltar a fazer um mercado agressivo, após ser punido por duas janelas sem contratar nenhum.

Além desses dois atletas que já foram oficializados, rumores na Inglaterra apontam que os Blues têm interesse no lateral-esquerdo Ben Chilwell, do Leicester City; e também em Kai Havertz, joia do Bayer Leverkusen e um dos principais jogadores da Bundesliga.

Mesmo sem se garantir na Champions League da próxima temporada, o Chelsea conseguiu adquirir duas ótimas peças para o seu elenco e ainda é ligado a mais dois ótimos nomes. Isso significa que o clube ainda tem muita força no mercado – mesmo não tendo brigado por título nas últimas três temporadas de Premier League.

Esse Chelsea agressivo no mercado pode significar que mais peças de impacto desembarquem em Stamford Bridge para a disputa da temporada, o que seria bem interessante para Lampard.

No entanto, o treinador inglês também não pode esquecer das boas opções que têm no seu elenco. Com o Chelsea sem contratar por duas janelas, alguns garotos se desenvolveram muito bem, mas precisam continuar tendo minutos para seguirem nesta constante evolução.

O zagueiro Fikayo Tomori, o lateral-direito Reece James, os meio-campistas Billy Gilmour e Mason Mount, e os atacantes Hudson-Odoi e Tammy Abraham. Todos eles possuem uma margem de evolução gigantesca, mas não podem – e provavelmente não vão – perder espaço no time.

A contratação de Werner simboliza um Chelsea que quer sair da segunda prateleira de times do futebol inglês que o clube ocupa no momento. Os Blues querem retornar ao primeiro pelotão, hoje ocupado por Liverpool e Manchester City.

Werner Chelsea
Odd Andersen/AFP via Getty Images

Leia mais: Listamos atores e atrizes que são torcedores do Chelsea

Lampard e a missão de unir boas atuações e resultados

O treinador dos Blues vem provando que pode ser o cara ideal para fazer essa transição do Chelsea. Isso porque já mostrou ao longo da temporada que tem conceitos modernos, potencializou vários jogadores, teve boas atuações e, dentro das expectativas iniciais, vem tendo bons resultados.

Para o futuro, é tentar garantir a vaga na Champions League da próxima temporada de qualquer jeito. E seguir tentando achar o equilíbrio entre atuações e resultados, deixando a oscilação e instabilidade de lado. Há um projeto bem interessante em curso no Chelsea. E a depender dos próximos passos que o clube der, pode render bons frutos em um futuro próximo.

View this post on Instagram

PASSAGEM DE BASTÃO! ⠀ Frank Lampard foi o pilar do meio-campo do Chelsea por praticamente uma década, se tornando um dos maiores jogadores da história dos Blues. Hoje, como técnico, vê o surgimento de um garoto cercado de grande expectativa desde os 14 anos: Mason Mount. ⠀ Mount e Lampard já se conheciam na temporada passada, quando o jovem inglês foi treinado por seu ídolo no Derby County. Atualmente, o futuro do Chelsea parece atrelado ao crescimento da dupla em suas respectivas funções. Mount é tido quase como um sucessor de Lampard por toda a história que vem construindo nos Blues desde os 6 anos de idade. ⠀ E pra você, o aprendiz tem potencial pra ser ídolo como seu mestre? ⠀ ????@alexpgfx ⠀ #mount #lampard #cfc #chelseafc #chelsea #premierleague #pl #plbrasil

A post shared by PL Brasil (@pl.brasil) on

Veja mais: Quiz: lembra dos brasileiros que assinaram pelo Chelsea?