Defensor do Manchester City revela como parou Vinicius Junior

3 minutos de leitura

Kyle Walker foi predominante no duelo contra Vinicius Júnior na goleada do Manchester City contra o Real Madrid, no Etihad Stadium, na tarde dessa quarta-feira (17), pelo jogo de volta das semifinais da Champions League. No primeiro duelo entre o time inglês e a equipe espanhola, no Santiago Bernabéu, o encontro entre o lateral-direito e o atacante já foi interessante, tendo até uma cena em que os dois se abraçam e dão risadas após o apito final, falando sobre o duelo.

Porém, na primeira partida entre os dois, Vinicius Júnior levou a melhor, marcando um golaço de fora da área que abriu o placar para o Real Madrid. Já no jogo da volta, Kyle Walker pôs o brasileiro no bolso, não o deixando tomar à frente pela ponta esquerda para criar a situação de gol. Ao final da partida, o repórter Fred Caldeira, da “TNT Sports“, perguntou ao lateral como ele fez para parar o artilheiro do time merengue na Champions League.

— Eu tenho que estudá-lo, é o meu dever de casa. Os analistas me enviam ótimos vídeos e eu os tenho no celular, toda vez que tenho um tempinho eu os assisto para analisar os diferentes movimentos – revelou Walker.

— Ele (Vinicius Júnior) tentou um corta-luz, deixando a bola passar entre as pernas e se eu não tivesse visto isso antes, talvez ele teria passado por mim. Foi isso que ele fez contra o Fernadinho no ano passado e acabou saindo um gol – completou.

Kyle Walker não vinha sendo titular do Manchester City. Na Champions League, jogou apenas quatro partidas, sendo três como titular. Isso porque o técnico dos Citizens, Pep Guardiola, utilizou um esquema tático com três zagueiros em grande parte da competição e o lateral-direito tinha dificuldades de se adaptar ao novo estilo de jogo. Porém, contra o Real Madrid o jogador inglês teve uma excelente performance, com dois desarmes e um corte, além de ter se tornado a sombra de Vinicius Júnior. Ele agradeceu ao staff do clube inglês:

— Eu não jogo sozinho, há todo um time por trás: treinadores, analistas, departamento médico, preparação física, todos tentando fazer com que a gente esteja sempre preparado e que nada passe batido.

Final da Champions League

Com a vitória contra o Real Madrid, o Manchester City jogará a final da Champions League no dia 10 de junho, no Atatürk Olympic Stadium, em Istambul, Turquia, contra a Inter de Milão. Essa é a segunda decisão europeia dos Citizens na história. A primeira vez foi julho de 2021, no Estádio do Dragão, em Porto, Portugal, contra o Chelsea. Os Blues acabaram vencendo o jogo e faturando a orelhuda, com um placar de 1 a 0, gol de Kai Harvertz. Walker disse que está empolgado com a partida decisiva, mas comentou o que a equipe precisa fazer para não deixar o título escapar desta vez.

— Eu estou muito animado, mas tenho meus pés muito firmes no chão. Já estive lá e tive que aplaudir outras pessoas subindo no palco e levantando o troféu da Champions League, o que não foi legal. Estamos lá, mas ainda não ganhamos nada e temos que fazer de tudo para entregar uma boa atuação em Istambul. Precisamos mostrar o que mostramos hoje. Jogamos dentro de casa, em frente à nossa torcida, jogando um futebol “tik-taka”, mas quando a pressão sobe e a dificuldade cresce é quando eu quero ver o meu time com personalidade. Um time querendo a bola, querendo mostrar ao mundo o que podemos fazer. Espero que isso nos leve ao título — finalizou Walker.

Antes de pensar na final da Champions League, o Manchester City, de Kyle Walker, precisa confirmar o terceiro título de Premier League consecutivo diante do Chelsea no começo da tarde de domingo (21), 12h (horário de Brasília), no Etihad Stadium.

Man City
21/05/23 - 12:00

Finalizado

1

-

0

Chelsea

Man City - Chelsea

England Premier League - Etihad Stadium

Romulo Giacomin
Romulo Giacomin

Formado em Jornalismo na UFOP, passou por Mais Minas, Esporte News Mundo e Estado de Minas. Atualmente, escreve para a Premier League Brasil.