Por que vencer a Copa da Liga seria ruim para o Chelsea?

5 minutos de leitura

O Chelsea enfrenta o Liverpool na final da Copa da Liga Inglesa neste domingo (25), em Wembley, buscando seu primeiro título desde o fim da era Roman Abramovich. No entanto, vencer esse título pode não ser tão bom assim.

A conquista representaria um marco importante na reconstrução do time desde a chegada de Todd Boehly e da Clearlake Capital, marcada por altos e baixos, mas também representaria a classificação à Conference League — o que os colocaria sob regras financeiras ainda mais rigorosas, e que o clube possivelmente não conseguiria escapar.

Um título ruim para o Chelsea

O retorno a uma competição europeia pode trazer desafios financeiros para o clube, uma vez que as regras financeiras da Uefa pelas quais os Blues serão submetidos são mais rigorosas que as da Premier League — as quais conseguiram cumprir “na risca”.

As regras da Premier League (PSR) permitem perdas de até 105 milhões de libras (ou 122 milhões de euros) em três anos. O Chelsea cumpriu essa meta no período de monitoramento até junho de 2023 e pretende se manter dentro dos limites na temporada atual.

armando broja chelsea
Foto: Icon Sport

No entanto, especialistas em finanças, como o respeitado portal suíço “Swiss Ramble”, alertam que vendas de jogadores podem ser necessárias para alcançar esse objetivo.

As regras da Uefa (FSR) são mais rigorosas que as da Premier League, limitando as perdas a 80 milhões de euros na temporada de 2024/25. Isso significa que o Chelsea terá que navegar por duas equações financeiras distintas para se manter em conformidade.

Outro fator a considerar são os bônus dos jogadores atrelados à qualificação europeia. Isso aumentará os custos salariais do clube, que serão parcialmente compensados por incentivos em seus acordos comerciais.

A Conference League vale a pena?

Em entrevista ao site inglês “The Athletic”, o especialistas em finanças no futebol Kieran Maguire levantou o debate sobre o valor que teria para o Chelsea a disputa da Conference League, principalmente pelo prêmio “baixo”.

— Se o Chelsea exceder os limites da Uefa, a pergunta é: ‘Queremos jogar na Conference League?'. Porque não haverá lucro significativo – diz Maguire.

Em sua análise mais recente das finanças do Chelsea em agosto de 2023, o “Swiss Ramble” projetou uma perda de 201 milhões de libras para o período de monitoramento de três anos da Premier League que termina no fim desta temporada — valor bem acima do limite de perda permissível de 105 milhões.

chelsea conference league copa
Festa do West Ham, campeão da última Conference League (Foto: ICon Sport)

Para a Uefa, a estimativa é de uma perda ainda maior de 159 milhões de euros, também muito acima do desvio máximo aceitável de 80 milhões. Fatalmente o clube seria penalizado.

— Depois de pagar os bônus dos jogadores pela qualificação para a competição, transporte, acomodação e outros custos, o lucro da Conference League é muito pequeno. Será difícil atrair um número decente de torcedores para Stamford Bridge. Não é uma crítica a eles, é a economia moderna – afirma o portal suíço.

Além disso, essa é uma pressão financeira muito grande para participar de uma competição que rendeu ao West Ham, atual campeão, cerca de 16 milhões de libras na última temporada. Para contextualizar, o Chelsea recebeu cerca de 82 milhões de libras por chegar às oitavas de final da Champions League em 2022/23.

Guilherme Ramos
Guilherme Ramos

Jornalista pela UNESP. Escrevi um livro sobre tática no futebol e sou repórter da PL Brasil. Já passei por Total Football Analysis, Esporte News Mundo, Jumper Brasil e TechTudo.

Contato: [email protected]