Torcedora ilustre do Manchester City encontra força no futebol durante recuperação de AVC

8 minutos de leitura

“Coisa de doido, né? Um time lá da Inglaterra, nem nunca fui perto. De repente, me peguei apaixonada pelo time”.

Essa fala é de Vânia Marra, de 68 anos, torcedora ilustre do Manchester City no Brasil. Sua paixão pelo futebol existe mesmo sem influência dos pais, que não gostavam tanto do esporte.

Na verdade, o encanto de Vânia pelo futebol passa pelos craques, mais precisamente os meias que “jogam de terno”, como contou em entrevista à PL Brasil. O primeiro deles foi Doval, argentino naturalizado brasileiro que fez sucesso nos rivais Flamengo e Fluminense entre 1969 e 1978.

“No Brasil, eu sou Flamengo. Eu era bem fanática, mas depois perdi essa graça toda. Não sei o motivo”, conta.

Vânia é moradora de Nova Friburgo, na região serrana do Rio de Janeiro. Bancária aposentada, ela tem sua filha Mariana e seus neto Lucas e Lia como suas paixões. Além de sua família, claro, vem o seu amor ao futebol.

Afinal, o que admira mesmo são os craques do futebol europeu. Em Portugal, era Benfica; na Espanha gostava do Barcelona e, na Alemanha, torcia para o Borussia Dortmund.

“Eu torcia pelo Pirlo, Totti… Na Inglaterra, eu torcia pelo Liverpool por causa do Gerrard. Ou para o Manchester United por causa do Beckham. E o Manchester City eu mal tinha ouvido falar, porque o time era pobre ainda”, continua.

Tudo mudou no dia 13 de maio de 2012, quando Vânia, sentada no sofá, assistia ao jogo entre Manchester City e Queens Park Rangers pela última rodada da Premier League. A partida que mudou a história do City.

Agüero marcou aos 49 minutos do segundo tempo, garantindo a vitória de virada, além do troféu que estava “na mão” do rival United. A conquista do primeiro Campeonato Inglês desde 1968.

— Eu fiquei louca naquele jogo. Eu estava assistindo sentadinha e quietinha. Quando saiu o gol, eu pulei. Me apaixonei pelo David Silva, como joga bola. Quando acabou o jogo, eu dei 500 pulos aqui na casa, igual uma louca. No dia seguinte, eu fui na rua e comprei uma camisa do Manchester City — relembra.

A partir daquele jogo, Vânia passou a não apenas acompanhar o Manchester City como se tornar uma fã icônica do clube no Brasil. Presente nas redes sociais, ela passou a ser um xodó dos citizens brasileiros e chegou até a pintar o cabelo de azul.

Manchester City e o AVC

O que Vânia não esperava era um grande obstáculo que teria pela frente. Em novembro do ano passado, ela teve um acidente vascular cerebral (AVC), que prejudicou sua fala e principalmente sua visão.

“Eu fiquei muito desgostosa de tudo e parei de ver jogo. Eu só via os resultados”. Mas o Manchester City tem dado motivos de sobra para sua torcedora voltar a se empolgar com o futebol, principalmente após a tríplice coroa vencida pelos Citizens na última temporada.

Ultimamente eu ligo a televisão, o jogo fica passando e eu ouço a partida, porque não enxergo direito. Eu vejo o gol só no replay, quando aparece uma imagem mais próxima. Mas tenho acompanhado todos os jogos do City”, conta.

Vânia era sócio-torcedora do Manchester City desde 2018, mas devido ao AVC, não renovou seu plano. Membros da torcida The Citizens Brasil acharam estranho o “sumiço” da torcedora ilustre. Então, Lucas Souto, presidente do grupo de brasileiros apaixonados pelo clube inglês, foi atrás dela.

— Ela estava bem animada para a Copa e havia sumido bem na época do Mundial. Fui atrás, mandei mensagem para a filha dela e descobri. Passaram-se uns meses e decidimos dar de presente para ela o sócio-torcedor, por tudo o que ela representa para a torcida. Todo mundo gosta dela. Antigamente, por volta de 2018, ela fazia live no Instagram e o pessoal adorava e dava risada, porque ela cornetava bastante — disse Lucas.

Guilherme Rodrigues, tesoureiro da The Citizens Brasil, nunca tinha conhecido Vânia pessoalmente, mas decidiu visitá-la na clínica em que estava internada, em Niterói. Ele levou um kit de torcedor com caneta, bandeira, chaveiro e outros acessórios, além de uma carteirinha de sócio e uma carta da torcida. Assim, ela segue sendo sócia do clube que ama.

“O futebol é incrível. Um menino que nunca tinha visto foi levar um kit para mim na clínica e eu conversei com ele como se o conhecesse há 20 anos”, afirma Vânia.

Vânia é tão amada pelos fãs do Manchester City no Brasil que a própria página oficial do clube em português no Twitter deu os parabéns à torcedora na sua data de aniversário, no dia 25 de outubro.

Após comemorar os títulos de Premier League, Copa da Inglaterra e Champions League na última temporada, Vânia mostra otimismo para a edição 2023/24 do Manchester City.

— Olha, eu não quero ser muito metida não, mas eu acho que vai ganhar tudo de novo. A Champions eu não sei, porque tem aquela praga do Real Madrid — brinca.

Inclusive, a flamenguista de infância comentou sobre a possível final do Manchester City com o Fluminense no Mundial de Clubes. “Já pensou o City perder para o Fluminense na final? Eu choro por cinco dias!”.

Entre um título brasileiro para o Flamengo ou uma Champions League para o Manchester City, Vânia não se esconde e deixa claro sua escolha.

— Champions para o City. Mas eu sou uma pessoa meio esquisita. Eu prefiro ganhar a Premier League do que a Champions. São 38 rodadas “pau a pau”, a Champions League é um torneio mata-mata, eu não gosto não. Prefiro ganhar campeonato — declara.

Messi FC

No perfil da icônica torcedora do Manchester City no X (antigo Twitter), ela diz que viu Pelé, Maradona, Zico, Marta, Messi, Xavi, Iniesta, Cristiano Ronaldo e, claro, para “puxar sardinha” para o seu time, Kevin De Bruyne, David Silva e Dzeko. Ao perguntar qual foi o melhor, ela também não se esconde.

“Messi. Pelé? Não vi direito, o que vi eu não gostei. Meu santo não cruza com o dele. Então, é Messi. Ele é minha paixão secreta”, diz.

A paixão de Vânia por Messi não é pouca coisa. Para se ter ideia, ela se denomina como “bicho do mato”, pelo fato de quase nunca sair de casa. Mas o craque argentino fez ela viver uma das maiores loucuras da sua vida. Na Copa América de 2019, disputada no Brasil, a torcedora do Manchester City se hospedou no mesmo hotel que a Argentina estava, na Barra da Tijuca, só para tentar ver o ídolo.

— Gastei um dinheiro que eu não tinha, paguei em 10 vezes. Mas não consegui falar. Falei com De Paul, Paredes e mais um monte de gente. De Paul foi o mais simpático de todos, muito gente boa, conversei com ele um tempão. Falei com os ex-jogadores Samuel, Aimar… Aimar é uma gracinha de pessoa — conta.

Mas a história não para por aí. Vânia viveu uma verdadeira saga para tentar ver o ídolo argentino. Ela abordou o filho do ex-zagueiro tetracampeão mundial com a seleção brasileira, Ricardo Rocha. “Você vai ver Messi? Fala que sou sua avó e você me leva junto”. Até mesmo com o técnico da Argentina, Lionel Scaloni, para ver se conseguia conhecer o camisa 10 pessoalmente. “Ele me falou: ‘Nem eu consigo vê-lo quase'”.

Então, surgiu uma moça argentina que abordou Vânia e a perguntou se queria ver o Messi. A torcedora do Manchester City não perdeu a chance de falar que viajou 300 quilômetros para vê-lo. A jovem, então, pediu para que aguardasse e saiu. A carioca, por sua vez, esperou o tempo que pôde e já no final da noite, desesperançosa, foi ao restaurante do hotel comer.

— Brinquei com a menina do restaurante: “o que tem de barato para comer? Eu vejo os preços e dá vontade de correr”. Ela brincou de volta “tem isso aqui, é um miojinho metido a besta, mas é bom”. Eu peguei e era gostoso mesmo — continua Vânia.

Enquanto comia, Vânia viu a moça argentina descendo o elevador e olhando para um lado e para o outro. “Nem me toquei e ela foi embora”. Ainda na mesma noite, Vânia fez amizade com um argentino que estava no hotel. Conversou com ele e dormiu. No dia seguinte, ao sair do quarto e descer para o saguão do hotel, ela avista a jovem que a abordou um dia antes.

— Eu falei: “você falou que ia me levar para conhecer Messi e não levou”, aí ela falou: “te procurei”. Ai meu Deus. Eu falei “me leva agora”, ela respondeu “hoje nem eu posso ir, porque amanhã é o jogo e eles estão concentrados”.

A moça saiu e o seu novo amigo argentino perguntou a Vânia se ela conhecia a mulher com quem havia acabado de falar. A carioca respondeu que não e o homem revelou: “É Sofía, namorada de Agüero“.

“Meu Deus, por que eu não dei atenção a ela? Aguero vive grudado com Messi. Eu iria conhecer logo os dois. Eu sou muito azarada, p… m…”, conta

Mas nem só de azar Vânia viveu nessa viagem. Além de conhecer vários jogadores argentinos, ela chegou a ver Messi saindo do elevador, com um monte de gente o cercando. “Eu gritei o nome dele, ele olhou e deu um tchauzinho. Fiz o mesmo com o Otamendi, que jogou no Manchester City”, disse.

Momento em que Vânia viu seus ídolos Agüero e Messi (Foto: Arquivo pessoal)
Romulo Giacomin
Romulo Giacomin

Formado em Jornalismo na UFOP, passou por Mais Minas, Esporte News Mundo e Estado de Minas. Atualmente, escreve para a Premier League Brasil.