‘Caso Greenwood’: por que Antony pode ter gancho pesado no United

3 minutos de leitura

A influenciadora e DJ Gabriela Cavallin registrou um Boletim de Ocorrência nesta terça-feira (6) na 5ª Delegacia de Defesa da Mulher – Leste, no Tatuapé, em São Paulo, que acusa o atacante brasileiro Antony, do Manchester United, de agressões e ameaças. Ambos mantiveram uma relação amorosa durante o ano passado.

Gabriela ainda teria sofrido agressões e anexou ao B.O. fotos de escoriações e mensagens de ameaça de Antony. A DJ manteve um relacionamento extraconjugal com o jogador de 23 anos.

Antony era casado e sua esposa, Rosilenny Batista, sabia da infidelidade, segundo a influenciadora. Pais de um filho de três anos, se divorciaram depois da repercussão da traição. Em julho de 2022, Gabriela anunciou que sofreu um aborto espontâneo de um filho que teria com o atacante do Manchester United. Ele foi contratado pelo Manchester United no final de agosto do mesmo ano por 100 milhões de euros (R$ 504 milhões na cotação da época).

Caso Greenwood é má notícia para Antony no Manchester United

Antony não é o primeiro jogador do United a receber denúncias de abuso em anos recentes. E o retrospecto do clube com casos desse tipo mostra um tratamento rigoroso que é má notícia para o brasileiro.

Em janeiro de 2022, o atacante inglês Mason Greenwood, então com 20 anos, foi detido com acusações de violência e abuso sexual, e imediatamente solto após pagamento de fiança. O cria da base red devil foi preso novamente em outubro, mas liberado quatro dias depois.

Durante todo esse tempo, Greenwood esteve afastado do elenco do United. A última vez que entrou em campo foi no dia 22 de janeiro de 2022, contra o West Ham.

No entanto, após mais de um ano de investigação, Greenwood foi absolvido pela Justiça britânica. Em março último, a promotoria do país decidiu retirar as acusações de violência sexual feitas pela sua ex-namorada, Harriet Robson.

Mesmo assim, o jovem atacante não foi reintegrado ao elenco. O United instaurou uma investigação interna sobre o jovem, paralela ao inquérito policial. Os resultados dessa investigação nunca foram divulgados, mas a expectativa é que Greenwood não jogue mais pelo clube.

O “Daily Mail” divulgou recentemente que o elenco dos Red Devils não quer a volta do jogador. O “The Sun” também publicou que a equipe feminina do United, além de patrocinadores, pressionam contra a volta do atacante, ainda que ele tenha sido absolvido na Justiça.

Todo o contexto promete dificultar a vida de Antony no clube. O retrospecto “linha dura” do United contra suspeitas de abuso envolvendo seus jogadores prova que a denúncia pode prejudicar a trajetória do brasileiro na Premier League.

Com contrato até junho de 2025, Greenwood ainda aguarda uma decisão interna do clube para saber seu destino. Já se ventila um empréstimo a longo prazo para o inglês, que tem a Juventus como principal clube interessado.

Já Gabriela Cavallin terá seis meses para decidir se irá prosseguir com uma representação criminal contra Antony.

Diogo Magri
Diogo Magri

Jornalista formado pela ECA-USP, campineiro e repórter na PL Brasil. Passagens por EL PAÍS, Revista Veja e Futebol Globo CBN.

Contato: [email protected]