Quem pode substituir Unai Emery no Arsenal?

Boas opções no mercado não faltam aos Gunners

0
120
Michael Regan Collection Getty Images Sport
Michael Regan Collection Getty Images Sport

Unai Emery foi o nome escolhido para substituir o revolucionário e ídolo Arsène Wenger no Arsenal. A ideia era que o espanhol desse aos Gunners um maior nível de competitividade regular. Mas não foi isso que aconteceu.

O trabalho de Emery nos Gunners era mantido por lampejos. Em mais de uma temporada à frente do Arsenal, o treinador não conseguiu dar um padrão e transformar a boa equipe londrina em competitiva.

Mas o espanhol já é passado. O que os torcedores do Arsenal querem saber é quem vai substituir o treinador no restante da temporada. Por isso, a PL Brasil reuniu alguns treinadores de diferentes situações: empregados, desempregados, boas apostas e técnicos “cascudos”.

Massimiliano Allegri

Emilio Andreoli Collection Getty Images Sport
Emilio Andreoli Collection Getty Images Sport

O italiano multicampeão com a Juventus é, sem dúvidas, um dos principais nomes disponíveis no mercado. O treinador está sem clube após sair da equipe de Turim e pode dar ao Arsenal um alto nível de competitividade.

Competitividade que pode ser considerada a marca de Allegri. Goste ou não do seu estilo de jogo, que tem como prioridade a solidez defensiva, o italiano consegue fazer seus times serem competitivos. E nos mais variados cenários.

O Arsenal tem obrigação de ao menos sondar o italiano. Caso consiga fechar, ganha um técnico experiente, competitivo e o mais importante: que sabe e está acostumado a vencer.

Mauricio Pochettino

O argentino é o nome no mundo ideal da torcida dos Gunners. Porém, em entrevistas anteriores, quando ainda era técnico do Tottenham, Pochettino afirmou que jamais treinaria o Arsenal. Se é só da boca para fora, não sabemos. O futebol é dinâmico e tudo pode mudar em instantes.

Leia mais: Conheça os piores donos de clubes da Inglaterra 

Dentro de campo, o Arsenal ganharia um treinador com características ofensivas e muito competitivo. Um técnico que elevou o patamar do Tottenham e fez história no rival dos Gunners. Além do alto grau de competitividade, um comandante adaptado à Premier League.

Pochettino deixou o Tottenham não porque ele é um treinador ruim, longe disso. Mas sim por conta de um desgaste emocional e técnico que o time vivia. Seria um nome excelente para conduzir os Gunners ao caminhos dos títulos – por mais que o argentino não tenha vencido nenhum nos últimos anos.

Roberto Martínez

O espanhol de é um dos grandes estrategistas do futebol mundial. Atualmente na seleção belga, o comandante foi peça-chave na eliminação do Brasil na última Copa do Mundo.

Roberto Martínez também é um treinador ofensivo. Porém, o comandante sabe “jogar o jogo”. Ele tem como uma de suas principais características a facilidade em neutralizar o adversário.

Além de ser um treinador ofensivo e estrategista, Martínez também conhece a Premier League. O espanhol passou três anos no Everton e fez um trabalho razoável, tendo em vista que os Toffees não tinham um grande elenco.

A principal dificuldade é tirar o comandante da seleção belga. Com seu conhecimento tático, futebol ofensivo e experiência na Premier League, agregaria demais ao Arsenal.

Nuno Espírito Santo

O português vem fazendo uma revolução no Wolverhampton. Fez uma ótima Premier League na temporada passada que resultou em classificação à Liga Europa na atual edição. É um treinador que conseguiu dar aos Wolves uma identidade. Algo que o Arsenal não tem.

O “X” da questão é o patamar que o Arsenal precisa. Será que o português está pronto para assumir um clube multicampeão e com uma pressão tão grande por títulos? Ou será que ainda é prematuro e não é o momento dos Gunners apostarem?

Deixando de lado a questão do “tamanho” de Nuno, o português é um técnico muito promissor, que já provou ser capaz de conquistar coisas além das expectativas e que pode dar ao Arsenal uma identidade tão necessária.

Eddie Howe

Uma das principais qualidades do comandante é o seu estilo de jogo. Mesmo tendo um elenco inferior aos gigantes, Howe não abre mão do futebol ofensivo. É a sua marca nesses anos à frente do Bournemouth.

Outro ponto importantíssimo que pesa a favor de Howe é conhecer e estar adaptado à Premier League. O comandante está na sua quarta temporada na competição e conhece o estilo de jogo, mercado e como funciona a pressão num clube como o Arsenal.

Mas será que um treinador de uma equipe modesta como o Bournemouth seria capaz de reerguer um gigante adormecido? A resposta pode ser sim. Mas isso requer tempo, o que talvez seja um problema para os Gunners.

Brendan Rodgers

Michael Regan Collection Getty Images Sport
Michael Regan Collection Getty Images Sport

Desde que chegou ao Leicester, em fevereiro de 2019, Brendan Rodgers vem fazendo um trabalho espetacular. Na atual temporada, o clube é o vice-líder da Premier League e está estabilizado no top 4, à frente do atual bicampeão Manchester City, por exemplo.

Brendan Rodgers é um cara adaptado e que conhece a Premier League. Já provou tanto no Liverpool como no Leicester que consegue montar equipes competitivas mesmo com orçamentos inferiores aos favoritos.

O grande “X” da questão é se o treinador vai querer largar todo o projeto no Leicester e substituir Emery no Arsenal. Segundo o próprio técnico, há uma cláusula que permite à sua saída em caso de proposta de um dos clubes do big 6, como é o caso dos Gunners. A ver se os londrinos vão em busca.

Outros nomes

Quem também poderia agregar e muito ao Arsenal é o Erik ten Hag, atual técnico do Ajax e que encantou o mundo na última edição da Liga dos Campeões. O problema é convencer o treinador a sair do clube holandês e fechar com os Gunners.

Na América do Sul, Jorge Jesus, atual campeão brasileiro e da Libertadores, é uma aposta considerável. Além do português, o técnico do River Plate, Marcelo Gallardo, também é um treinador que sabe muito de futebol. Deu a equipe argentina um nível absurdo de competitividade e empilhou taças.