Ronaldinho e Neymar contra Gerrard e Rooney: Como foi a última vitória da Inglaterra sobre o Brasil

5 minutos de leitura

Mais de 87 mil pessoas presentes em Wembley, no dia 6 de fevereiro de 2013, assistiram ao encontro entre Inglaterra e Brasil num amistoso comemorativo de 150 anos da Federação Inglesa de tirar o fôlego.

Era a reestreia de Luiz Felipe Scolari na seleção brasileira, que contava com Ronaldinho Gaúcho e Neymar. Do outro lado, o time inglês tinha Steven Gerrard (como capitão) e Wayne Rooney como principais jogadores.

Antes da bola rolar, houve um minuto de silêncio para as vítimas da tragédia em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, e também em memória aos oito jogadores do Manchester United que morreram no acidente aéreo em Munique em 1958.

O jogo

Logo aos quatro minutos de jogo, Oscar, Neymar e Ronaldinho fizeram uma boa troca de passes, deixando a impressão de que o trio estava em um dia inspirado. Porém, a primeira boa chance de abrir o placar foi da Inglaterra. Julio César, que havia voltado à Seleção após um ano, foi testado aos nove minutos, quando Rooney apareceu de cabeça e o então goleiro do Queens Park Rangers fez uma linda defesa.

Passado o susto, o Brasil foi para cima. Neymar e Oscar aceleraram a partida e pressionaram os ingleses até que o árbitro Pedro Proença marcou pênalti logo aos 17 minutos de jogo. O juiz deu toque de mão de Jack Wilshere. Ronaldinho foi para a cobrança e parou em Joe Hart. O então craque do Atlético-MG ainda teve a chance no rebote, mas o goleiro salvou mais uma vez.

Quando Mano Menezes estava no comando da seleção brasileira, Neymar era o batedor oficial de pênaltis. O santista até pediu para cobrar, mas Ronaldinho, que completava 100 jogos com a camisa verde e amarela, não deixou.

A partir daí, a Inglaterra cresceu no jogo. Danny Welbeck perdeu uma chance incrível aos 20 minutos, mas aos 25′ Theo Walcott bateu, Julio César fez grande defesa e Rooney aproveitou o rebote para abrir o placar.

Depois disso, a Inglaterra controlou a partida. Teve algumas outras oportunidades de ampliar, mas não teve sucesso. O Brasil, por sua vez, viu Neymar perder um gol na cara após cruzamento de Oscar.

Inglaterra comemorando gol em cima do Brasil em 2013
Inglaterra comemorando gol em cima do Brasil em 2013 (Foto: Icon Sport)

Segundo tempo

Na volta do intervalo, Felipão tirou Ronaldinho, Luis Fabiano e Ramires, dando lugar a Lucas, Fred e Arouca. Esse último, em seu primeiro lance, errou um passe que originou uma jogada que terminou com um chute forte de Gerrard, que parou em Julio César.

Já Fred aproveitou seu primeiro lance no jogo. Lucas roubou uma bola no ataque, mandou para Fred, que chutou forte, sem chance para Hart, empatando a partida logo no segundo minuto da etapa complementar. Empolgado, o então artilheiro do Fluminense quase fez mais um no minuto seguinte, mas a bola carimbou a trave.

A Inglaterra, então, foi dar a resposta, pressionando a seleção brasileira, que contava com uma noite inspirada de Julio César, que fez mais duas ótimas defesas. Mas aos 14 minutos do segundo tempo, Frank Lampard aproveitou um passe errado de Arouca e marcou um belo gol com o chute colocado.

Escalações de Inglaterra e Brasil

Inglaterra: Joe Hart; Glen Johnson, Chris Smalling, Gary Cahill e Ashley Cole (Baines); Steven Gerrard, Jack Wilshere, Tom Cleverley (Lampard) e Theo Walcott (Lennon); Wayne Rooney e Danny Welbeck (Milner).

Brasil: Júlio César; Daniel Alves, David Luiz (Miranda), Dante e Adriano (Felipe); Ramires (Arouca), Paulinho (Jean), Oscar e Ronaldinho Gaúcho (Lucas); Neymar e Luis Fabiano (Fred).

Arbitragem

  • Árbitro: Pedro Proença (Portugal/POR)
  • Assistente 1: Tiago Trigo (Portugal/POR)
  • Assistente 2: Bertino Miranda (Portugal/POR)

*Não houve nenhum cartão amarelo ou vermelho aplicado durante toda a partida.

Gols

  • Wayne Rooney (Inglaterra) – 25 minutos do 1º tempo
  • Fred (Brasil) – 2 minutos do 2º tempo
  • Frank Lampard – 14 minutos do 2º tempo
Romulo Giacomin
Romulo Giacomin

Formado em Jornalismo na UFOP, passou por Mais Minas, Esporte News Mundo e Estado de Minas. Atualmente, escreve para a Premier League Brasil.