A última vez que o Brighton errou na contratação de um sul-americano

5 minutos de leitura

Um dos destaques da última Premier League, o Brighton tem se notabilizado no mercado de transferências como um time que sabe garimpar bons, baratos e jovens talentos do futebol da América do Sul.

Nos últimos cinco anos, os Seagulls contrataram 10 reforços sul-americanos. O mais velho do grupo foi o lateral-esquerdo equatoriano Pervis Estupiñan, que tinha 24 anos quando foi contratado do Villarreal em 2022, por 17,8 milhões de euros.

Do grupo se destacam Alexis Mac Allister e Moises Caicedo. O argentino foi contratado por 8 milhões de euros em 2019 e, desde então, fez 20 gols em 112 partidas pelo Brighton. Ele foi o artilheiro da campanha que levou o time ao 6º lugar na Premier League 2022/23, que valeu a classificação inédita para a Europa League, com 12 gols.

Quatro anos depois da sua contratação, Mac Allister foi vendido para o Liverpool por 42 milhões de euros, mais de cinco vezes o valor pago.

Os 10 sul-americanos contratados pelo Brighton desde 2018

  1. João Pedro – 2023/24
  2. Estupiñan – 2022/23
  3. Enciso – 2022/23
  4. Buonanotte – 2022/23
  5. Sarmiento – 2021/22
  6. Moises Caicedo – 2020/21
  7. Alzate – 2019/20
  8. Bernardo – 2018/19
  9. Mac Allister – 2018/19
  10. Billy Arce – 2018/19

Já Caicedo foi contratado por 5 milhões de euros em 2020 e, desde então, se firmou como um dos principais meio-campistas da liga mais famosa do mundo. Tanto que, de acordo com o “The Athletic”, o Brighton deve exigir algo perto de 120 milhões de euros para liberar o equatoriano, que segue no radar de Chelsea e Arsenal. Em janeiro último, os Seagulls recusaram uma proposta de 80 milhões de euros dos Gunners.

Na lista também se destacam outros jovens potenciais que já alcançam protagonismo no time principal e podem se tornar ótimas revendas, como o paraguaio Enciso (19 anos) e o argentino Buonanotte (18 anos). E até mesmo o atacante brasileiro João Pedro (21 anos), que chega nos Seagulls após quatro anos sendo um dos artilheiros do Watford.

Mas até o Brighton erra…

Os olheiros do Brighton se mostraram certeiros quando o assunto é jogadores sul-americanos, mas nem por isso está imune a falhas. Só chama a atenção que o último erro crasso tenha acontecido há cinco anos, justamente com o primeiro dos dez.

Em agosto de 2018, o Brighton pagou 860 mil euros pela contratação do atacante Billy Arce, que pertencia ao Independiente Del Valle. O jogador, que tinha 20 anos na época, posou com a camisa dos Seagulls e assinou um contrato de quatro anos, mas nunca foi sequer visto no Amex Stadium.

Entre 2018 e 2019, Arce foi emprestado para Extremadura, Emelec e Barcelona de Guayaquil. Sua maior sequência foi no segundo time, onde completou 10 jogos.

Ele ainda passou 2020 e 2021 emprestado para a LDU, onde completou 64 partidas e marcou 10 gols. Não foi o suficiente para ser aproveitado na Inglaterra.

O Brighton não renovou o contrato com o equatoriano em 2022, ao término do acordo. Ele é o único entre os últimos sul-americanos a não disputar um jogo sequer pelos Seagulls.

Desde então, teve outra passagem pelo Del Valle mas, sem o mesmo sucesso, se transferiu em 2023 para o Deportivo Pasto. Ele completou 17 jogos na atual temporada, com um gol e uma assistência.

Billy Arce ainda foi um protagonista de confusões fora de campo. Em outubro de 2019, quando defendia o Barcelona de Guayaquil, ele ficou 20 dias preso no Equador por dirigir alcoolizado.

E, num episódio mais conhecido do público brasileiro, Arce postou uma foto ao lado do seu amigo, o zagueiro Arboleda, do São Paulo, vestindo uma camisa do Palmeiras, em dezembro de 2019. Na época, o zagueiro justificou que vestiu a camisa porque perdeu uma aposta no futebol durante suas férias. O episódio é relembrado até hoje por são-paulinos.

Sucesso do Brighton passa por sul-americanos

Com exceção de Billy Arce, é notório que o sucesso esportivo recente do Brighton passa pelos bons desempenhos dos sul-americanos. Nomes como Mac Allister, Caicedo e Enciso foram fundamentais para a melhor campanha da história dos Seagulls na Premier League.

O time do sul da Inglaterra subiu para a Premier League em 2017 e nunca mais foi rebaixado. O time brigou arduamente contra o rebaixamento nos quatro primeiros anos, mas emendou um 9º lugar em 2021/22 e o 6º em 2022/23 que denotam um evidente crescimento cujo atual treinador, Roberto De Zerbi, é apontado como o principal responsável.

Diogo Magri
Diogo Magri

Jornalista formado pela ECA-USP, campineiro e repórter na PL Brasil. Passagens por EL PAÍS, Revista Veja e Futebol Globo CBN.

Contato: [email protected]