Relembramos a última final entre Liverpool e Manchester City

Antes da Supercopa da Inglaterra disputada neste ano, Reds e Manchester City se enfrentaram na final da Copa da Liga Inglesa de 2015/2016

0
193
Clive Brunskill Collection Getty Images Sport
Clive Brunskill Collection Getty Images Sport

Liverpool e Manchester City se enfrentam neste domingo pela 12ª rodada da Premier League. Protagonistas na última temporada, mais uma vez encontram-se como os dois melhores times da terra da rainha. Pensando neste cenário decisivo, a PL Brasil traz a última final realizada entre Liverpool e Manchester City.

No caso, foi a decisão da Copa da Liga em 2015-16, onde os azuis de Manchester saíram vitoriosos. Na atual temporada, eles se enfrentaram na Supercopa da Inglaterra, e o City também saiu vencedor; entretanto, decidimos rememorar um pouco mais.

Como era a situação dos times à época?

A temporada 2015-16 foi um tanto quanto incomum na Inglaterra. O Leicester fizera história sagrando-se campeão da Premier League. City e Liverpool fizeram campanhas muito abaixo na Premier League, embora tenham tido certo sucesso nas competições europeias.

O Manchester City, 4º lugar da PL naquele ano, chegou às semifinais da Champions League, sendo a sua melhor campanha no torneio. Já o Liverpool, 8º colocado, foi finalista da Europa League, eliminando Manchester United e Borussia Dortmund no caminho; contudo, terminou derrotado pelo Sevilla na grande final.

Como eram os times?

Naquele jogo, o Liverpool foi escalado com: Mignolet, Clyne, Lucas Leiva, Sakho e Alberto Moreno na defesa; Emre Can, Henderson e Milner no meio; Philippe Coutinho, Roberto Firmino e Sturridge no ataque.

Como suplentes, entraram no decorrer da partida Kolo Touré, Lallana e Origi. O técnico Jürgen Klopp ainda tinha à sua disposição o goleiro Bogdán, o lateral Flanagan, o volante Allen e o atacante Benteke.

O Manchester Cty foi a campo assim: Caballero, Sagna, Otamendi, Kompany e Clichy na defesa; Fernando, Fernandinho e Yaya Touré no meio; David Silva, Sterling e Aguero no ataque.

Michael Steele Collection Getty Images Sport
Michael Steele Collection Getty Images Sport

Durante o jogo, foram a campo provenientes do banco de reservas os atletas Zabaleta, Jesús Navas e Bony. Manuel Pellegrini ainda teve a sua disposição como suplentes o goleiro Joe Hart, o zagueiro Demichelis, o lateral Kolarov e o atacante Iheanacho.

O jogo

Como é de praxe numa final entre duas potências, a partida foi muito disputada. Naquele dia 28 de fevereiro, os técnicos viviam situação completamente distintas. O alemão Jürgen Klopp poderia erguer o seu primeiro troféu em Liverpool.

Do outro lado, Manuel Pellegrini poderia conquistar o seu último título como técnico do Manchester City, visto que Guardiola assumiria seu lugar na temporada seguinte.

Repleta de intensidade, a primeira chance do jogo veio para o lado azul. Aguero recebeu ótimo lançamento, driblou Sakho e acertou a trave aos 23 minutos de jogo. O zagueiro sairia lesionado logo após esse lance.

Entretanto, não se teve muito do que ver após isso. Embora a partida tivesse crescido em emoção, nenhum dos dois times conseguiu criar chances claras de gol.

Clive Brunskill Collection Getty Images Sport
Clive Brunskill Collection Getty Images Sport
Leia mais: Os jogadores que passaram por Liverpool e Manchester City na carreira

No segundo tempo, enfim a bola na rede. Logo aos quatro minutos, David Silva deu ótimo lançamento para Aguero, que enxergou a chegada de Fernandinho dentro da área. Sem muito ângulo, o brasileiro contou com o vacilo do arqueiro Mignolet para inaugurar o marcador.

A partir daí, não faltou intensidade. Entre tentativas falhas do Liverpool e gols perdidos pelo City – destaque para Sterling, o qual perdeu duas boas chances -, a partida se encaminhava para a vitória dos azuis.

Todavia, os Reds de Klopp foram guerreiros. Aos 37 minutos da etapa complementar, após Origi perder a bola na entrada da área, Sturridge aproveitou a sobra e cruzou para Milner, que acertou a trave; no rebote, Philippe Coutinho empurrou para o fundo das redes, tudo igual em Wembley.

Após o empate, o City ainda obrigou Mignolet a fazer duas boas defesas, o que garantiu que a decisão fosse para a prorrogação.

Nos 30 minutos a mais de partida, os arqueiros fizeram a diferença. Com pelo menos uma grande defesa para cada lado, Caballero e Mignolet foram os grandes responsáveis para que a Copa da Liga daquela temporada fosse decidida nos pênaltis.

As penalidades

GLYN KIRK Collection AFP
GLYN KIRK Collection AFP

Inicialmente, as cobranças de pênalti deixaram os torcedores do Liverpool muito mais animados do que os do City. Isso porque, na primeira cobrança Emre Can anotou o primeiro gol dos Reds, enquanto Fernandinho acertou a trave para os Citizens.

Apesar disso, o futebol sempre reserva boas surpresas. Na Inglaterra, é comum que o goleiro reserva seja utilizado durante as copas nacionais, para que o titular seja poupado. Entretanto, em decisões, o titular costuma retomar o seu posto de costume. Não foi o que aconteceu nesta partida.

Joe Hart, titular do City naquele ano, permaneceu no banco e viu Caballero fazer a diferença não só nos 120 minutos de jogo, como também nas penalidades. O goleiro argentino defendeu as três cobranças seguintes do Liverpool – de Lucas Leiva, Coutinho e Lallana -, e viu Jesús Navas, Aguero e Yaya Touré acertarem a meta, consagrando o clube como campeão da Copa da Liga de 201516.

Acompanhe a PL Brasil no Youtube

  • TENTAMOS DESENHAR 5 ESCUDOS DA PREMIER LEAGUE NO PAINT