Treinadores para ficar de olho: Matthias Jaissle

Antes de mais nada, o nome da vez é Matthias Jaissle. Sim, tudo bem. Já sei. Se você o conhece, sabe que mais uma vez ouvirá falar sobre um técnico da franquia RedBull. Mas é inevitável, a companhia não só possui uma estrutura fantástica de captação e desenvolvimento de jovens atletas. Mas a algum tempo também dão atenção parecida a treinadores e membros de comissão técnica.

Com a próxima temporada já prestes a iniciar, é normal que muitos clubes se reforcem ou passem por reformulações, visando alcançar melhores resultados na próxima campanha. Entretanto, aqueles que já possuem um projeto bem desenvolvido ou tiveram uma campanha sólida na última temporada, já possuem enorme vantagem nesta disputa pelas melhores qualificações.

Nesse sentido, conheça um dos treinadores a se observar com carinho na temporada 22/23. Este nome e outros que citaremos noutras oportunidades, podem surpreender os mais desavisados ou até mesmo assumirem alguma equipe ainda maior nos próximos meses.

Sobre Matthias Jaissle

Já de início, de onde saiu Adi Hütter, ex- Borussia M'Gladbach, Marco Rose, que estava no Dortmund e Jesse Marsch, atualmente no Leeds; sairá também o alemão de 34 anos.

No cargo desde julho de 2021, o ex-jogador do Hoffenheim é cria de das categorias de base de treinadores do Leipzig. Jaissle teve sua primeira experiência como técnico em janeiro de 2021 no Liefering, o berço do RB Salzburg. Logo após, foi promovido 1 dia depois de Jesse Marsch subir o degrau natural e ir para o irmão alemão.

Inclusive, é incrível pensar que em sua primeira temporada num grande cenário; já que o Salzburg hoje é uma grande vitrine, mesmo atuando na Áustria; o treinador já fez história. Assim, o alemão não só conquistou o campeonato e a copa do país, mas também terminou a campanha a 15 pontos do segundo colocado Sturm Graz.

Além disso, a equipe terminou a temporada invicta em casa no campeonato, com apenas 2 derrotas, uma em cada etapa da competição nacional.

Por fim, só caiu nas oitavas de final da Champions League para o juggernaut Bayern, tendo ainda assustado os bávaros empatando e anulando o time alemão em Salzburg.

Foto: Reprodução/Twitter/RB Salzburg

Seu impacto em alguns atletas

Vale ressaltar, que o treinador obviamente pegou um time já muito bem estruturado. Mas é inegável que foi chave no desenvolvimento do time e de vários jogadores. Dentre eles, estão: Rasmus Kristensen, transferido neste verão para o Leeds, Brenden Aaronson, que também se juntou a Kristensen e Marsch no time inglês, Maximilian Wöber e a joia Karim Adeyemi, vendido ao Dortmund por 30 milhões de euros.

Muitos desses nomes vinham se destacando sob a tutela de Marsch. Porém, a forma que Jaissle conduziu o time na Champions League e as atuações do time, mostram que estes jovens atingiram um novo patamar em suas habilidades. Assim, era de se esperar que seriam captados por equipes de maior porte nesta janela, o que ocorreu com as principais peças da equipe.

As táticas do treinador

Agora, falando um pouco das ideias táticas do alemão, Jaissle aposta em sua maioria num 4-3-1-2. O treinador gosta de seu time pressionando de forma agressiva pelo meio e agredindo os adversários com a velocidade de seus atacantes e laterais. Além disso, aposta nas transições e bolas recuperadas ainda na construção do adversário, características marcantes dos times da RedBull.

Tendo feito, 77 gols (2,41 por jogo) e sofrido apenas 19 (0,59) no campeonato austríaco, imagina-se que grande parte da expectativa vem desses números elevados. Mas a realidade é que, na Champions, maior cenário de clubes na atualidade, o time pouco mudou seu desempenho, agredindo e superando rivais como: Lille, Wolfsburg e Sevilla.

RB Salzburg x Sevilla – Melhores momentos e resultado
Foto: Divulgação/RB Salzburg

O futuro de Jaissle

Dessa forma, é imaginável que tanto o alemão quanto algumas de suas peças que ainda não saíram, não ficarão na RedBull Arena por muito tempo. Pelo menos não na situada em Salzburg. Contudo, com Domenico Tedesco demonstrando ótima evolução após a saída de Marsch do Leipzig, é difícil ver Jaissle subindo o degrau num futuro próximo. É fato que ele poderá ir para uma potência europeia sem nem mesmo passar pelo time alemão. Mas de qualquer forma, é mais uma cria que transpira RedBull, não literalmente.

Por fim, é difícil de imaginar se o treinador de fato é como Marsch e outros nomes que seguem e realmente creem na ideologia dos touros ou apenas a segue enquanto está no time. Pois, tal qual Nagelsmann, alguns treinadores mudaram a sua forma de pensar o jogo. Assim, mesmo dentro de uma equipe RedBull, transformando a forma da equipe jogar e alterando o DNA tão difundido pela marca.

De toda forma, o jovem treinador é um dos nomes a se observar nos próximos anos, seja com seus “times alados” ou com sua própria identidade.

Foto: Reprodução/OE24.at