Como funcionam as transmissões do futebol inglês no Reino Unido?

Como são negociados os direitos? Quanto custa a assinatura? Quais jogos passam na TV?

0
1080
Sky Sports transmissões futebol inglês
Catherine Ivill/Getty Images

Esse é o guia da PL Brasil das transmissões do futebol inglês no Reino Unido. No Brasil, exalta-se a forma como os direitos futebolísticos são negociados na Premier League. Apesar de ser inegável o retorno financeiro, o acesso do consumidor inglês aos campeonatos é baixo. Dessa forma, abordaremos todos os pontos positivos e negativos dessa questão.

Como funcionam as transmissões do futebol inglês no Reino Unido?

O produto inglês

O produto da Premier League que o consumidor inglês recebe é bem inferior quantitativamente ao que se tem acesso no Brasil em relação ao Campeonato Brasileiro. Na Inglaterra, os consumidores têm acesso a 206 jogos. O Premiere , payperview da Rede Globo para o Campeonato Brasileiro, em um ano normal, tem 380 jogos transmitidos.

As detentoras do futebol inglês de fora do Reino Unido, os quais são chamados de detentoras overseas, têm direito a transmissão de todos os jogos 380 jogos da temporada.

Além disso, é interessante mencionar que a não transmissão desses jogos é ação da própria Premier League e não das detentores de direitos de transmissão. Assim como discutiremos adiante, a TV que incentivou a criação da Premier League não tinha a intenção de ter a obrigação de transmitir jogos que não fosse do interesse do veículo. Porém esse fato nada tem a ver com a quantidade de jogos vendidos. Essa restrição é feita pelos próprios clubes.

Contudo, algumas fontes relacionam a quantidade inferior de jogos ao tradicionalismo britânico. O horário mais tradicional do futebol britânico é 15h GMT (11h ou 12h no horário brasileiro a depender do horário de verão inglês). Entretanto, por lei, na década de 1960, foi proibida a transmissão de jogos nesse horário.

Os executivos donos dos clubes e da Liga não têm problema nenhum com isso. A Premier League que decide que esses jogos sejam alocados no horário das 15h GMT. Assim como o consumidor brasileiro já percebeu, esse horário é o que têm mais transmissões simultâneas.

Leia mais: As origens da icônica narração esportiva inglesa

Quantidade de jogos transmitidos pela Sky Sports e BT Sports nas temporadas 2017/2018 e 2018/2019

Assim, se você não torce para um membro do Big Six, o produto é ainda menos interessante para você. A grande preferência das detentoras de direito da Premier League são os jogos do Liverpool e do Manchester United, que têm mais audiência, e depois do Manchester City, Tottenham, Arsenal e Chelsea. Ainda assim, você não vai assistir a todos os jogos do seu time no ano se morar na terra da Rainha.

Leia mais: Imprensa esportiva inglesa: quais são as principais diferenças para a brasileira?

Porcentagem de jogos transmitidos na TV Inglesa por clube

No entanto, as transmissões do futebol inglês não são baratas e não variam de acordo com o clube do torcedor. Para assistir todos esses jogos é preciso assinar primordialmente a Sky Sports e BT Sports, e a Amazon Prime Video em segundo plano. Porque apenas 20 dos 206 jogos transmitidos passam na Amazon. O valor aproximado da BT com o pacote completo de esportes, o que inclui os canais Sky Sports, é 60 libras. Já na Sky, o valor é de 79 libras incluindo os canais BT Sports. Para assistir através da internet por streaming o serviço custa 50 libras.

Tabela considerando o salário mínimo inglês de 8,72 libras por hora, 40 horas semanais

Assim como visto na tabela, há um aumento considerável dos valores de outros tipos de entretenimento tanto no Brasil quanto na Inglaterra para o consumidor de futebol. Contudo, colocando em pauta o salário mínimo nos dois países, podemos chegar a outra conclusão.

Percentagem sobre o salário mínimo que cada serviço toma

Proporcionalmente, é bem mais caro assistir no Brasil. Porém, a alternativa de assistir online dá a opção aos brasileiros de assistir bem mais jogos por uma quantia bem mais razoável. Além disso, não há opção para assistir futebol em casa na Inglaterra de maneira legal a não ser que compre um pacote como esse.

Os detentores de direito da Premier League

Desde a criação da Premier League em 1992/1993, a principal parceira do grupo é a Sky Sports. A princípio, o consenso era que a Premier League facilitaria negociações com seu parceiro à época, a ITV. Ainda nos anos 1980, a ITV havia aumentado os valores de seis milhões de libras para 44 milhões de libras num espaço de dois anos para as transmissões do futebol inglês.

Nick Potts – Pool/Getty Images

Inicialmente, os clubes da primeira divisão recebiam apenas 50% das receitas de TV. Por exemplo, a proposta do Projeto do Big Picture para aumentar as receitas repassadas era de apenas 25% para as outras divisões, o que mostra que o dinheiro era mais bem distribuído entre as divisões. Além disso, à época já se pedia uma redução para 18 clubes da primeira divisão. Ou seja, a criação da Premier League tinha a finalidade de os grandes clubes ganharem mais dinheiro.

Anteriormente, o grupo conhecido como Big Five, formado por Liverpool, Everton, Tottenham, Arsenal e Manchester United, era o pioneiros e maior interessado na criação da liga. Por outro lado, o interesse da ITV era parar de transmitir os jogos menos rentáveis e transmitir jogos do Big Five. Logo, o torcedor de clube pequeno era o maior prejudicado pela criação da Premier League.

Leia mais: Entenda o projeto Big Picture não foi aprovado

A surpresa da ITV veio com a Liga rejeitando sua proposta inicial de 200 milhões de libras. Entretanto, a emissora viria ainda oferecer 262 milhões de libras. Robert Murdoch, proprietário da Sky à época, ofereceu 304 milhões de libras por cinco anos, ganhando a disputa pelos direitos das transmissões do futebol inglês. A parte mais delicada da discussão é que a ITV é uma TV aberta. Dessa maneira, o futebol inglês só está disponível em TV paga no Reino Unido.

A explosão dos direitos de TV aconteceram ao longo das renegociações com a Sky. Assim como qualquer empresa, a Sky anuncia seus lucros para bolsa de valores e a Premier League sempre esteve atenta a pedir mais e mais. Assim como mostrado nesse texto do Telegraph.

Sky Sports
GLYN KIRK/AFP via Getty Images

Leia mais: Como funciona a divisão de dinheiro na Premier League?

Como resultado, nos anos 2000, todos os contratos de transmissão estavam acima de um bilhão de libras. A Premier League usou a estratégia de venda de pacotes por horário. Usaremos o exemplo da negociação dos pacotes em 2018:

  • Pacote A: 32 jogos de sábado 12h30 GMT. 08h30 ou 09h30 no Brasil, a depender do horário de verão inglês.
  • Pacote B: 32 jogos de sábado 17h30 GMT. 13h30 ou 14h30 no Brasil, a depender do horário de verão inglês.
  • Pacote C: 8 jogos de sábado 19h45 GMT e 24 jogos domingo 14h GMT. No primeiro caso 16h45 ou 17h45 no Brasil. No segundo caso 10h ou 11h. Ambos a depender do horário de verão inglês.
  • Pacote D: 32 jogos de domingo 16h GMT. 12h ou 13h no Brasil, a depender do horário de verão inglês.
  • Pacote E: 8 jogos de domingo 14h GMT e 24 jogos de segunda ou sexta 20h GMT. No primeiro caso 10h ou 11h no Brasil. No segundo caso 16h ou 17h. Ambos a depender do horário de verão inglês.
  • Pacote F: 20 jogos em feriado e em meio de semana.
  • Pacote G: 20 jogos de meio de semana.

Cada pacote é negociado no formato no qual a proposta mais alta que dê as garantias de um bom serviço ganhe. Porém a Sky tem prioridade na compra em razão ao longo relacionamento da emissora com a Liga e pode comprar no máximo cinco pacotes. Contudo, a separação da venda em pacotes atraiu, assim como planejado, concorrência.

Leia mais: Conheça Julie Welch, a primeira jornalista inglesa a cobrir futebol

A BT Sports, criada especificamente depois de adquiridos os direitos pela rede de telecomunicações BT, veio a disputar os pacotes já oferecidos com a detentora anterior ESPN. O acordo total que a empresa do grupo Disney e a Sky pagavam à Premier League correspondia a 1,7 bilhão de libras. Tamanha agressividade das negociações elevou os valores para 3 bilhões de libras por ano e a ESPN se retirou das transmissões.

BT Sports transmissões Inglaterra
Catherine Ivill/Getty Images

Atualmente, a Sky detém 128 jogos do campeonato, a BT detém 58 jogos e a Amazon 20 partidas. A Sky comprou os pacotes B, C, D e E. BT comprou os pacotes A e G. E a Amazon comprou o F. Logo, dentre as partidas ofertadas, a Sky passa mais da metade das partidas de sábado e todas de domingo. Um acordo que parece simples, mas que rendeu à Premier League cerca de 5 bilhões de libras por ano.

Entretanto, esse valor já está sendo questionado internamente nas emissoras. Porque a Sky e a BT exigem que um aumento da alíquota teria que implicar em um aumento da quantidade de jogos para ambas. Uma solução inteligente por parte dos donos dos clubes. Porque finalmente as cotas de TV atingiram seu valor máximo, mas eles ainda têm uma janela para ganhar mais dinheiro adicionando mais jogos aos pacotes.

O reflexo social do futebol milionário

Os preços altos fazem os ingleses procurarem maneiras alternativas de acompanharem as transmissões do futebol inglês. Ainda no aspecto legal, os ingleses assistem jogos em pubs. Os pubs são alternativas antigas e já tradicionais. Os ingleses consideram a experiência do pub a mais próxima de assistir ao jogo no estádio. Por exemplo, os clientes regulares desses estabelecimentos passam cerca de 19 horas por mês assistindo a esportes nesses locais, como mostra pesquisa publicada no The Sun.

Além disso, a ilegalidade é o mais comum para pessoas com menos condições financeiras. Cerca de 190 milhões de acessos mensais a sites de conteúdos pagos, filmes e programas de televisão ilegais são feitos todo mês, de acordo com levantamento do The Guardian.

Outros dados levantados pelo The Athletic são de que a Premier League bloqueou mais de 300 mil streamings em 2019/2020. Além dos simples cliques em sites ilegais, os serviços de IPTV já são muito populares na Inglaterra.

Aparentemente, uma pessoa que ganha um salário mínimo dá preferência a pagar apenas 20 libras por ano ao invés de 60 libras por mês para financiar donos milionários de clubes da Premier League. Propagandas desses sites ilegais são comuns em comentários realizados em postagens no Twitter ou Facebook.

O que mudou na pandemia

Em primeiro lugar, após o retorno do futebol pós-paralisação causada pela pandemia houve um comoção para que os torcedores tivessem acesso aos jogos na TV. Sem terem como ir aos pubs e aos estádios, o tradicional público inglês ficaria impossibilitado de acompanhar seu clube de coração. Dessa forma, diversas entidades apelaram para que a Premier League arrumasse uma maneira viável de disponibilizar os jogos.

Por exemplo, em setembro, 17 partidas iriam ao ar na TV britânica mas, no contexto da pandemia, 11 partidas adicionais foram distribuídas entres as detentoras de direitos. Dessa maneira, seis ficaram com a Sky Sports, três com a BT Sports e uma com Amazon Prime Video e BBC. Dessa maneira, as 92 partidas restantes da temporada 2019/2020 da Premier League foram todas transmitidas no Reino Unido.

O contexto da BBC transmitir partidas é no mínimo interessante. A BBC paga à Premier League um pacote especial além dos citados aqui para transmitir melhores momentos estendidos no programa BBC Match of the Day. O programa, apresentado por Gary Lineker, foi durante muitos anos a única maneira de pessoas com menos condições financeiras assistirem futebol. Dessa forma, a Premier League passou pela primeira vez na TV aberta desde a criação da liga de clubes.

BBC transmissões
Michael Steele/Getty Images

Leia mais: Como e por que Margaret Thatcher prejudicou o futebol inglês?

Porém, para temporada 2020/2021 todos os jogos gratuitos voltaram a ser pagos. Em reunião, os clubes decidiram que as partidas que estavam sendo mostradas de maneira gratuita iriam custar 14,95 libras por cada jogo em provedores de TV no sistema payperview. 

As torcidas organizaram protestos na internet para impedir que lucrassem com esses jogos e fizessem com que esse dinheiro fosse doado a instituições de caridade. A campanha arrecadou 300 mil libras, dinheiro suficiente para o pagamento de 20 mil partidas. Após esse fato, em novembro de 2020, os donos dos clubes votaram a situação novamente e decidiram voltar a ceder os jogos de maneira gratuita aos detentores de direito de transmissões do futebol inglês.

Não há posts para exibir