CEO do Liverpool se manifesta sobre conclusão do inquérito de Hillsborough

0
185

Ian Ayre, CEO do Liverpool, falou nesta terça-feira (26) ao site oficial do clube sobre as conclusões do inquérito de Hillsborough.

“Depois de 27 longos anos, o verdadeiro veredito foi dado, confirmando o que as famílias sempre acreditaram – seus amados foram ilegalmente mortos.

O Liverpool Football Club saúda a decisão do júri, de uma vez por todas, que nossos torcedores não foram, de forma alguma, responsáveis pelo que aconteceu em Hillsborough. Nós sempre lembraremos a bravura altruísta e heroísmo de muitos fãs que ajudaram uns aos outros na angustiante circunstância em que se encontravam naquele dia. Nós enaltecemos a todos que, desde o começo do inquérito, tiveram a coragem e a força para relembrar o que passaram na ocasião.

Desde 15 de abril de 1989, a solidariedade mostrada pelos torcedores do Liverpool para com as famílias e sobreviventes mostra o caráter único tanto do clube quanto da cidade. Nós também somos muito gratos pelo apoio incondicional demonstrado pela comunidade futebolística nos últimos 27 anos.

Essa tem sido uma jornada dolorosa para as famílias e para os sobreviventes, que sofreram e se sacrificaram por tanto tempo. A resiliência e dignidade que eles demonstraram durante sua incansável luta pela verdade têm sido digna e inspiradora. Suas condutas e ações ao longo de sua luta trouxeram orgulho para a cidade de Liverpool e servirão como um tributo duradouro as vítimas.

Os 96 homens, mulheres e crianças que foram mortas ilegalmente em Hillsborough nunca serão esquecidos”.

Veja mais: Conhece todos os brasileiros que já atuaram no futebol inglês? Confira!

Em 1989, em uma partida válida pela semifinal da FA Cup entre Liverpool e Nottingham Forrest, 96 torcedores morreram e centenas ficaram feridos devido a superlotação de Hillsborough. Na época, ninguém foi julgado pelo desastre e a polícia culpou os próprios torcedores pelas mortes ocorridas.

Durante muito tempo, as famílias das vítimas lutaram para esclarecer o ocorrido naquela tarde de 15 de abril e, 27 anos depois, a Justiça britânica inocentou os torcedores e apontou negligência dos policiais presentes no jogo.

Não há posts para exibir