De xodó a emprestado em dois anos: o que aconteceu com Torreira no Arsenal?

Uruguaio chegou a cair nas graças do público, mas agora irá jogar no Atlético de Madrid

De xodó da torcida a emprestado em dois anos: o que aconteceu com Lucas Torreira no Arsenal?
(Foto: Ian Kington/AFP via Getty Images)

Após boas temporadas pela Sampdoria na Itália, Lucas Torreira foi contratado pelo Arsenal para a temporada 2018/2019, após a Copa do Mundo da Rússia. O uruguaio chegou ao Emirates Stadium e logo virou um grande xodó da torcida.

Demonstrando muita raça em campo, contribuindo para o esquema do então treinador Unai Emery e até fazendo gols importantes, não demorou para ele virar titular absoluto. Parecia inegociável. Mas tão rápido quanto a ascensão, foi a queda. E hoje, dois anos depois, o volante está sendo emprestado para o Atlético de Madrid.

Afinal, o que aconteceu com Lucas Torreira no Arsenal? A PL Brasil faz um balanço de sua passagem em Londres para tentar entender como o então queridinho da torcida Gunner rapidamente deixou de ser uma opção.

Chegada e ascensão meteórica

Torreira chegou após boa impressão na Sampdoria e na Copa do Mundo de 2018. No começo da temporada 2018/2019, ele ainda era figura mais frequente no banco, entrando durante o segundo tempo das partidas. Mas não demorou para se tornar um destaque.

Com Granit Xhaka titular absoluto, o uruguaio conseguiu ganhar a posição do jovem francês Mattéo Guendouzi (outro recém-chegado) e se estabeleceu entre os 11 de Unai Emery. A qualidade na marcação, a presença dentro de campo e a raça demonstrada em vários momentos fez a torcida se apaixonar.

Xhaka e Torreira faziam uma boa dupla de cabeça de área, e ajudaram o Arsenal em um momento de 22 jogos sem derrotas. Em novembro de 2018, o camisa 11 chegou a ser eleito com 70% dos votos da torcida o melhor jogador do mês nos Gunners.

No começo do mês seguinte, ele teve seus grandes momentos em Londres. O primeiro foi no North London Derby diante do Tottenham, em casa. Após sair perdendo por 2 a 0, o Arsenal virou para 4 a 2. E o gol final foi de Torreira, que marcou pela primeira vez no clube. Vibrou muito, tirou a camisa, transbordou garra e fez a torcida explodir.

De xodó da torcida a emprestado em dois anos: o que aconteceu com Lucas Torreira no Arsenal?
(Foto: Shaun Botterill/Getty Images)

Uma semana depois, duelo inesperadamente difícil em casa contra o Huddersfield Town. Para as pretensões de G-4 dos Gunners, o empate até o fim era desastroso. Mas aos 38 minutos do segundo tempo, após cruzamento de Pierre-Emerick Aubameyang, Torreira emendou uma linda meia bicicleta. Um golaço, 1 a 0, mais uma vitória.

Em um momento de transição após a saída do técnico Arsène Wenger depois de duas décadas, o Arsenal precisava de referências. Parecia que Torreira seria uma delas. Para muitos especialistas, ele havia sido a melhor contratação da primeira metade da PL em 2018/2019.

Entre setembro e dezembro, em 15 partidas da liga, o uruguaio jogou todos os 90 minutos em 13 delas. Até que algumas mudanças na formação da equipe começaram a prejudicá-lo.

Problemas e perda da titularidade

Já na temporada 2018/2019, Unai Emery decidiu fazer alterações táticas. Entre elas, Torreira acabou passando para uma função um pouco mais ofensiva. Ele jogaria mais à frente do que o normal, mais próximo de um ‘camisa 10’ do que necessariamente um cabeça de área.

Era claro que aquilo dificilmente funcionaria, pelo estilo mais “brigador” e físico do que técnico do volante. Com isso, ele parecia claramente desconfortável dentro de campo. E rapidamente suas performances começaram a cair.

Para completar, o fim de época da equipe não foi nada positivo. Com um calendário teoricamente tranquilo, a vaga no G-4 pela PL foi desperdiçada. E a esperança da final da Europa League foi destroçada com a goleada por 4 a 1 sofrida para o rival Chelsea na decisão em Baku.

A temporada 2019/2020 começou e Torreira seguiu perdendo prestígio. Com o Arsenal mostrando muitas dificuldades na saída de bola, o jogador foi caindo de desempenho. A defesa sofreu, o time era armado de forma errada e os erros dispararam em todo o elenco. Assim Emery rapidamente perdeu a mão, e o clube despencou.

Até mesmo em uma teórica fase de grupos tranquila da Europa League, os Gunners passaram perto de derrotas vexatórias. Na PL, chegou a vencer uma partida em 11 e a defesa virou uma peneira. O inevitável aconteceu, e veio a troca de técnico: saiu Unai Emery, entrou Mikel Arteta.

Chegada de Arteta no Arsenal e fim do ciclo de Torreira

De xodó da torcida a emprestado em dois anos: o que aconteceu com Lucas Torreira no Arsenal?
(Foto: Ian Kington/AFP via Getty Images)

Ex-auxiliar de Pep Guardiola no Manchester City, Arteta chegou para dar a renovação que o Arsenal precisava e esperava-se então que Lucas Torreira tivesse mais chances entre os titulares. Mas o camisa 11 acabou ficando longe disso.

Com Arteta assumindo, Dani Ceballos passou a ganhar mais espaço. O meia emprestado pelo Real Madrid atraiu as atenções do comandante espanhol pelo estilo técnico, de mais cuidado com a bola. Claramente havia um choque entre as ideias aplicadas no time e o estilo do uruguaio.

Torreira, como ficou bem claro desde o começo da temporada 2018/2019, é um jogador mais físico. Ele se destaca no contato, no estilo brigador e na aplicação defensiva, sendo um importante cabeça de área. Entretanto, Arteta é discípulo de Guardiola e adepto de um estilo mais ofensivo, com troca de passes e posse de bola com intensidade ofensiva.

Leia mais: Thomas Partey é a solução do meio-campo do Arsenal?

Para completar, nas estatísticas Ceballos superou Torreira proporcionalmente em interceptações e divididas, além de mais chances criadas. O casamento com o novo Arsenal não funcionou.

O Arsenal fez esforçou para renovar o empréstimo de Ceballos em 2020/2021. Assim, não havia mais espaço para Torreira. E o que foi bastante especulado em toda a janela de verão aconteceu: ele foi emprestado ao Atlético de Madrid, como parte da negociação que levou Thomas Partey ao Emirates Stadium.

Inegavelmente Torreira precisa evoluir. Tanto no aspecto físico (o que já é prejudicado pela baixa estatura), quanto no aspecto técnico. Ele não deslanchou em Londres também por desempenhos abaixo da média. Mas é preciso contextualizar tudo que envolveu uma queda tão repentina.

Nas mãos de Diego Simeone, que tem um estilo mais próximo ao do atleta, seus bons desempenhos podem voltar na Espanha. E em se tratando de empréstimo, esse seria o cenário ideal. Pois em forma e jogando seu melhor futebol, Lucas Torreira pode ser uma grande peça para o Arsenal. Peça esta que já foi importantíssima, mas não durou como se esperava.