Losers: série da Netflix conta a história do Torquay United em 87

Conheça o curioso episódio de um time não tão conhecido na Inglaterra

0
473
Créditos: Reprodução/Netflix

A série de documentários “Losers” (“Perdedores” em inglês) é mais uma ótima produção original da Netflix. Nos oito episódios da sua primeira temporada demonstra como atletas de diferentes esportes lidam com fracassos, transformando a tristeza da derrota num grande triunfo.

O segundo episódio denominado “The Jawns of Victory”, (“Vitória por um triz” em português) tem como tema a história de uma temporada bem importante do Torquay United.

Em 1986/87, o clube do sudeste inglês por muito pouco não foi rebaixado e não deixou a Liga Profissional da Inglaterra. 

Torquay United Football Club é um time de futebol da cidade de mesmo nome, conhecida como Riviera inglesa, fundado no ano de 1899. Atualmente disputa a National League, a sexta divisão inglesa, e tem como grandes rivais o Plymouth Argyle e o Exeter City

As condições do clube passavam longe das melhores, que viajava com todo elenco numa espécie de van (Foto: Reprodução/Netflix)

Leia mais A luta histórica de 5 jogadores negros contra o racismo na Inglaterra

A história a ser contada nesse texto é sobre a temporada 1986/1987 do clube, uma das mais importantes da sua centenária história, e que seria a primeira com rebaixamento automático, ou seja, se terminasse o campeonato na última posição desceria de divisão imediatamente. 

A equipe disputava a quarta divisão neste ano, a última do futebol profissional. Uma queda poderia representar o fim do clube, fato que por muito pouco não aconteceu. 

O Torquay era treinado por Stuart Morgan, que havia deixado o cargo de auxiliar técnico no Bournemouth para assumir o comando do clube do sudeste inglês, que tinha como destaques o goleiro Kenny Allen, o zagueiro Jim McNichol e o atacante Paul Dobson.  

Leia mais Quando o Nottingham Forest venceu o Barcelona numa final europeia

Para os torcedores e ex-jogadores daquele time, aquela temporada estava sendo muito azarada e tinha tudo para terminar da pior forma, já que as derrotas seguidas tiraram a confiança da equipe.

O clube chegou na última rodada com 47 pontos e na penúltima colocação, com um ponto a mais que o lanterna Burnley e um a menos que o Lincoln, que ocupava a antepenúltima posição da tabela de classificação. 

A partida decisiva do Torquay United foi disputada dentro do seu estádio, o Plainmoor, diante do Crewe Alexandra, que havia feito boa temporada e que cumpria tabela nesse duelo.

Leia mais As histórias da última passagem do Oldham pela elite inglesa

No entanto, no jogo não foi bem isso que viu. O Crewe abriu 2 a 0 com menos de 20 minutos de partida e levou os torcedores locais ao desespero. O azar continuaria? A falta de confiança afetaria novamente os jogadores do Torquay United? O clube partiria dali para o seu triste fim? 

Felizmente, não. O primeiro gol dos donos da casa saiu logo aos dois minutos do segundo tempo, em cobrança de falta desviada de Jim McNichol, que também seria personagem fundamental na sequência do jogo.

Perto do final do confronto, McNichol, após correr contra a saída da bola pela lateral, foi mordido ferozmente por um cão policial, Bryn, que fazia a segurança da partida juntamente com seu treinador Harris

Leia mais Quando Wolves e Manchester United davam as cartas no futebol inglês

A mordida foi feia e resultou num razoável corte na perna, porém sem sangrar muito. Naquela época só era permitida uma substituição por equipe, que já havia sido realizada. Ou seja, se Jim deixa o jogo, o time, que necessitava muito do gol, ficaria com apenas dez jogadores em campo.

Jim não deixou a partida e manteve sua equipe com os 11 jogadores em campo (Foto: Reprodução)

A equipe médica fez um curativo na coxa de Jim, que decidiu que permaneceria em campo. Durante o período em que o curativo estava sendo feito, os jogadores do Torquay se uniram e discutiram como chegariam ao gol salvador. 

Porém, o gol não sairia de nenhuma forma ensaiada. Saiu no último minuto dos acréscimos, quando a bola sobrou na área do Crewe e o atacante Paul Dobson marcou um dos tentos mais importantes da história do clube.

O episódio ficou conhecido como “The Great Escape”, a grande escapada, mais uma das tantas protagonizadas pelo Torquay United em sua história. 

Paul Dobson foi o responsável pelo gol decisivo (Foto: Reprodução/Netflix)

Leia mais O dia em que o Arsenal venceu a seleção brasileira

Um fato marcante mas triste deve ser pontuado. Infelizmente, Bryn, o pastor alemão diretamente ligado com o destino do Torquay, faleceu tempos depois do episódio, mas Harris, seu eterno companheiro, possui suas cinzas em casa até os dias de hoje. 

Bryn virou personagem na cidade do sudeste da Inglaterra (Foto: Reprodução)