Provocação: torcida do Bayern estende faixa contra o PSG em jogo da Champions

1 minuto de leitura

A torcida do Bayern de Munique estendeu uma faixa na Allianz Arena, na vitória por 2 a 0 sobre o PSG nesta quarta-feira (8), para provocar o time francês, em jogo de volta das oitavas de final da Champions League.

–Nosso açougueiro corta o longo braço do Catar–, diz a mensagem.

A faixa faz referência ao fato do PSG pertencer ao Qatar Sports Investment (QSI), braço de investimento esportivo do governo catari, e pelo ex-presidente do Bayern de Munique, Uli Hoeness, ser um empresário do ramo da carne.

Faz 11 anos que a QSI comprou o Paris Saint Germain por 4 bilhões de euros (cerca de R$ 22 bilhões). Desde então, o clube francês se tornou um dos mais ricos do planeta, virou soberano em seu país e segue na busca incessável pelo título da Champios League.

A relação entre o PSG e o governo catari é polêmica pelo longo histórico de violações de direitos humanos do país, incluindo a remanescente evidência de trabalho escravo. A compra do clube parisiense é visto como “Sportswashing”, uma prática para “lavar” a imagem do país por meio do futebol.

Porém, Uli Hoeness também possui uma imagem polêmica. Enquanto era presidente do Bayern de Munique, o empresário ligado ao mercado de carnes foi condenado e preso por fraude fiscal de aproximadamente 28 milhões de euros (R$ 91 milhões). Ele ficou detido durante um dos principais momentos da história do clube alemão, que conquistou a Champions League, Copa da Alemanha e Bundesliga em 2012/13. Em 2016, ele foi solto para responder à Justiça em liberdade.

Torcida do Bayern provoca PSG e Catar na Allianz Arena
Foto: Peter Kneffel/dpa – Icon sport
Romulo Giacomin
Romulo Giacomin

Formado em Jornalismo na UFOP, passou por Mais Minas, Esporte News Mundo e Estado de Minas. Atualmente, escreve para a Premier League Brasil.