Análise dos confrontos dos times ingleses nas competições europeias

Clubes da Terra da Rainha chegam às fases finais das competições continentais com boas perspectivas

0
235
Análise dos confrontos dos times ingleses nas competições europeias

A Uefa Champions League e a Uefa Europa League chegam nas suas fases de mata-mata. E todos os times ingleses avançaram, sendo quatro na Champions League e dois na Europa League.

Por isso, a PL Brasil preparou uma análise dos confrontos dos times da Premier League, dissecando as situações dos clubes da Terra da Rainha e suas chances nos seus respectivos duelos.

Manchester United x PSG 

No dia 17 de dezembro, quando foi definido que o Manchester United, até então treinado por José Mourinho, enfrentaria o PSG de NeymarMbappé e Cavani, boa parte da torcida desanimou.

O time era o sexto colocado da Premier League, a 19 pontos do primeiro colocado e com extremas dificuldades de sequer disputar uma posição no top four, com 11 pontos de distância. 

No entanto, as coisas mudaram. Mourinho não está mais no comando, e o time não é mais o mesmo de antes. Ole Gunnar Solskjaer foi anunciado como comandante interino da equipe no dia 19 de dezembro, pouco tempo depois de o confronto ser definido, com tempo para mudar o parâmetro desanimador. E ele conseguiu. 

OGS assumiu logo após o time perder de forma humilhante para o seu maior rival, o Liverpool, por 3 a 1, em uma partida onde os Reds tiveram 30 finalizações a mais que os Red Devils. Um verdadeiro massacre.  

Desde então, são 10 vitórias e um empate, com 28 gols feitos e apenas sete sofridos somando todas as competições. O saldo de gols que antes era zero na PL, agora já está em 17, com 11 pontos atrás do líder e tendo subido duas posições na tabela, sendo o quarto colocado e o terceiro melhor ataque da competição.  

O novo treinador não só recuperou o ânimo do time e da torcida, como fez a maior estrela do time ter o protagonismo que todos esperam. São oito gols e cinco assistências em nove jogos de Paul Pogba sob o comando do norueguês na Premier League, sendo ele o artilheiro do time na competição com onze gols; é também o líder de assistências com nove passes para gol. 

Além dele, Martial e Rashford estão, pela primeira vez desde que estão juntos nesse plantel, jogando bem juntos. Nenhum outro treinador havia conseguido fazer isso até então. Nem Van Gaal e nem Mourinho. Agora, a conexão está cada vez mais apurada, e a expectativa de gols de ambos os jogadores é alta.

OGS e Pogba são os dois mais importantes nesta retomada do Manchester United (Foto: Gareth Copley/Getty Images)

O atacante inglês, inclusive, assumiu a posição de titular como atacante, pondo Lukaku como suplente do time. O francês também merece mais um destaque que é o da french connection.

Com afinidade de um nível extremamente elevado com Pogba, os dois proporcionam ao United uma elevação de patamar dentro do futebol mundial e da temporada atual. 

A defesa também se tornou mais consistente. O time que antes sempre sofria gols nas partidas, já coleciona cinco clean sheets em onze partidas da competição.

Isso deve-se não só ao sempre eficiente e milagroso De Gea, como também pela evolução de Lindelof. O sueco está cada vez mais sólido na defesa da equipe, adquirindo protagonismo no setor e passando consistência para os companheiros. 

O PSG, antes amplo favorito visto os momentos vividos pelo clube, chega por baixo no confronto. Neymar está lesionado e não jogará nenhuma das duas partidas diante dos Red Devils, enquanto Cavani sofreu lesão às vésperas da partida em embate válido pelo confronto francês.

O time que já teria dificuldades por enfrentar um novo United, também precisará confrontar as ausências de dois dos seus três grandes nomes do ataque. Caberá a Mbappé comandar esse ataque na tentativa de um triunfo. 

O confronto promete. O espetáculo perde com as ausências dos dois craques do PSG, mas não deixará de ser muito bom para os amantes do futebol. 

Um Manchester United embalado, invicto com o novo treinador e sedento por vitórias; enquanto do outro lado, um PSG desfalcado, que luta para quebrar a premissa de nunca ter chegado muito longe em uma Champions League. 

Tottenham x Borussia Dortmund 

Esse com certeza é um dos confrontos mais interessantes de se assistir nessas oitavas de final. Duas equipes que não possuem favoritismo para título na competição, mas que com certeza irão proporcionar um ótimo espetáculo. 

O Tottenham chega ao confronto com dois desfalques importantes. Harry Kane e Dele Alli estão lesionados e não poderão ajudar Pochettino a desbancar o atual líder da Bundesliga. 

Terceiro colocado da Premier League com 60 pontos, os Spurs estão a cinco pontos do líder City e com nove de vantagem para o quarto colocado Manchester United.

O momento vivido é no mínimo curioso. Eliminado na semifinal da Copa da Liga e na fase de 16 avos de final da FA Cup, o time ganhou todas as quatro partidas de PL desde que Kane e Alli se lesionaram. 

Mesmo com dificuldades, o time conseguiu se manter na terceira posição. Obviamente a ausência desses dois nomes faz com que o clube chegue com certa desconfiança no confronto, visto que dessas quatro vitórias, três foram obtidas com muito suor, e os três pontos só foram garantidos nos minutos finais dos embates. 

Son e Eriksen estão em condições de jogo e deverão assumir o protagonismo do confronto pelo lado do Tottenham. Llorente não possui a mesma qualidade de Kane, o que gera grande déficit no poderio da equipe.

Além deles, Lucas Moura, que teve ótimo início de temporada mas agora passa por um momento irregular, também pode ser uma forte arma para combater os aurinegros.

Na ausência de Kane, Son é a principal arma ofensiva dos Spurs (Foto: Daniel Hambury/EMPICS/PA Images via Getty Images)

O time alemão por sua vez vive uma fase estranha. Eliminado nos pênaltis na Copa da Alemanha, o Borussia Dortmund viu no último fim de semana o Hoffenheim empatar um confronto onde eles eram os vencedores pelo placar de 3 a 0.

É um time muito forte ofensivamente, no entanto, constantemente sofre em sua defesa, o que pode ser um trunfo a ser explorado pelo time inglês. 

Marco Reus, estrela do BvB e um dos melhores jogadores da Europa no momento, não jogou a última partida da Bundesliga e está fora do primeiro confronto. Com uma lesão na coxa, é desfalque para a equipe, o que pode trazer certa igualdade para o confronto. 

Isso porque o Borussia tem em Reus boa parcela de seus gols e inventividade nas partidas. Ainda que Sancho e Alcácer façam boa temporada, o alemão da camisa 11 decide jogos em favor de seu time, tal qual Kane faz em favor do Tottenham. 

Ainda sim, a partida promete. Duas equipes que, mesmo desfalcadas, possuem bons nomes para promoverem um bom espetáculo. A ideia de jogo de ambos está voltada na busca pelo gol, o que pode trazer um confronto bastante movimentado e emocionante, com promessa de decisão apenas na partida derradeira. 

Liverpool x Bayern de Munique 

Liverpool vive um momento inconstante na temporada. Depois de abrirem grande vantagem na ponta perto da virada do ano, os Reds oscilaram, perderam pontos importantes e viram o Manchester City encostar de vez.  

Na Champions League, a trajetória foi de altos e baixos. Nos três primeiros jogos do grupo C, foram duas vitórias em casa (um emocionante 3 a 2 contra o PSG e um 4 a 0 contra o Estrela Vermelha) e uma derrota como visitante, por 1 a 0 frente ao Napoli. 

Na segunda parte do grupo, duas derrotas como visitante – 2 a 0 para o Estrela Vermelha e 2 a 1 para o PSG – fizeram os Reds chegarem à última rodada precisando vencer o Napoli em casa. 

O suado triunfo por 1 a 0, com gol de Salah e grande atuação de Alisson, classificou o atual vice-campeão europeu. O time foi o segundo da chave com nove pontos, empatado com o Napoli, se garantindo pelos gols marcados (o PSG liderou com 11 pontos). 

O sorteio, entretanto, não foi nada generoso: as bolinhas determinaram como adversário o Bayern de Munique, líder do grupo F. O duelo entre os dois pentacampeões europeus é possivelmente o mais aguardado das oitavas da UCL. 

Apesar do momento de oscilação na PL, o Liverpool chega em um melhor momento e com favoritismo. Os Reds estão nas cabeças do torneio e mostram mais condições de apresentar um bom futebol em comparação aos rivais. 

Na defesa, Alisson e Virgil van Dijk são dois dos grandes destaques do futebol europeu. No meio, apesar das alterações constantes de Jürgen Klopp, o time já mostrou grandes desempenhos, ainda mais com a entrada permanente do recém-chegado Fabinho. 

E o trio de ataque impõe respeito a qualquer um. Mohamed Salah, Roberto Firmino e Sadio Mané contribuem com gols, assistências e muita movimentação – o egípcio é o artilheiro da PL. O futebol pode não ser aquele encantador da temporada passada, mas é bastante eficiente. 

Para completar, o adversário não vem bem. O Bayern, com o técnico Nico Kovac, não consegue render o esperado e é o vice-líder na Bundesliga, cinco pontos atrás do líder Borussia Dortmund. 

Na UCL o time foi o primeiro do grupo F, mas teve que suar sangue para salvar a posição para o Ajax – 14 pontos dos alemães e 12 dos holandeses. A pressão em Munique é grande, Kovac tem sido muito questionado e a resposta precisa ser rápida. 

Apesar da pausa de inverno na Alemanha, com quase um mês de intervalo entre a virada do turno, os bávaros não voltaram com a evolução esperada e ainda sofrem, o que dá ao Liverpool mais favoritismo.  

O ataque do Liverpool continua com um desempenho ofensivo que se destacou no cenário europeu na temporada (Foto: Visionhaus/Getty Images)

Porém, não é um time para se desprezar. O Bayern é pentacampeão da UCL e tem nomes como Frank RibéryArjen Robben e Robert Lewandowski. É uma equipe de peso e muita qualidade que a qualquer momento pode acordar. 

Ambos terão que lidar com desfalques importantes. Suspensos, Virgil Van Dijk e Thomas Müller estão fora do jogo de ida. Neste sentido, a ausência deve ser mais pesada para o Liverpool. 

Van Dijk não só arrumou a defesa dos Reds e é um dos grandes termômetros do time, mas também não tem reposição à altura. E com Joe Gomez e Trent Alexander-Arnold machucados, é possível que Jürgen Klopp precise fazer improvisações no setor. 

O Liverpool decide a vaga fora de casa, mas isso não tem sido problema. Na última temporada, os Reds conseguiram grandes vitórias nos jogos de ida em Anfield (3 a 0 no Manchester City nas quartas e 5 a 2 na Roma na semi) que facilitaram a ida à final. 

Ou seja, no prognóstico atual, o Liverpool é favorito. Os ingleses têm jogado melhor, com um time muito perigoso e que apresenta boas opções. Além disso, a atmosfera em Anfield poderá fazer diferença para os Reds, como fez na última época. 

Mas é bom tomar cuidado, porque o time tem oscilado nas últimas semanas e o Bayern, mesmo em má fase, é perigoso, com grandes nomes e camisa pesadíssima. Garantida apenas é a promessa de duas grandes partidas neste confronto. 

Manchester City x Schalke 04 

O Manchester City de Pep Guardiola está inserido numa forte disputa pelo título da Premier League contra o Liverpool, principalmente.

Porém, recordista na temporada passada no campeonato nacional, o objetivo maior dos Citizens é ir além da Inglaterra e conquistar a Europa.  

Na fase de grupos, foi líder do seu grupo com 13 pontos, apesar de ter sido derrotado dentro dos seus domínios para o Lyon, equipe que não foi vencida pelo City, já que na França o confronto terminou empatado.  

A continuação da sua caminhada se dá diante do Schalke 04, time que foi segundo colocado no Grupo D da competição europeia, atrás do Porto. O primeiro embate entre ingleses e alemães será no próximo dia 20 de fevereiro, na Alemanha, enquanto a volta ocorrerá somente no dia 12 de março, no Etihad Stadium. 

A melhor participação da equipe da cidade de Manchester foi na temporada 2015/16, quando chegou na semifinal e foi eliminada pelo Real Madrid, que se sagraria campeão diante do Atlético de Madrid.

Chegar na semifinal é um grande objetivo para Pep Guardiola, mas sabe-se que o técnico espanhol deseja mesmo é voltar a levantar a taça do maior campeonato de clubes do mundo, algo que só alcançou com o Barcelona e pela última vez no ano de 2011. 

A classificação para as quartas de final da Champions League deve acontecer sem muitos sustos, se nada de muito estranho ocorrer. O Manchester City possui um dos melhores elencos do futebol mundial e na sua equipe titular conta com jogadores como Kun Agüero, Kevin De Bruyne e David Silva, que possuem qualidades incontestáveis.

Agüero e Sterling vêm fazendo grande temporada (Foto: Alex Livesey – Danehouse/Getty Images)

Além desses três craques, outros grandes jogadores fazem parte do plantel liderado por Guardiola, que é capaz de mudar a forma de seu time jogar durante a partida muito facilmente, alterando atletas ou mudando a configuração tática com os mesmos que estão em campo. 

O Schalke 04 não passa por um bom momento na Bundesliga, não estando entre os 10 primeiros colocados do campeonato nacional e com um aproveitamento menor que 40%. Os principais nomes do time de Gelsenkirchen são o atacante Mark Uth e o meia Nabil Bentaleb

Arsenal x BATE 

O Arsenal chegou à Europa League como um dos grandes favoritos. Pelo time, talentos individuais e treinador com calibre no assunto (Unai Emery venceu três vezes seguidas a competição pelo Sevilla, entre 2014 e 2016), os Gunners estão muito bem cotados. 

Na fase de grupos, campanha tranquila. A liderança do grupo E veio com 16 de 18pts possíveis. No primeiro turno do grupo, vitórias por 4 a 2 sobre o Vorskla, 3 a 0 no Qarabag e 1 a 0 no Sporting. 

Na virada, empate em 0 a 0 contra o mesmo Sporting, 3 a 0 no Vorskla e 1 a 0 no Qarabag. A classificação veio com a terceira melhor campanha geral do torneio, atrás de Red Bull Salzburg e Eintracht Frankfurt, que tiveram 100% de aproveitamento. 

Apesar de algumas possíveis pedreiras, o sorteio foi generoso. O Arsenal vai enfrentar na fase 1/16 avos de final o BATE Borisov, da Bielorússia, que passou em segundo no grupo L, atrás do Chelsea. 

O Arsenal é absoluto favorito para se classificar. Apesar de altos e baixos na Premier League (hoje está em quinto), o time no geral tem jogado bem – chegou a emplacar 21 jogos invicto em todos os torneios entre agosto e dezembro de 2018. 

Como preocupação para Unai Emery, as muitas lesões. Os Gunners hoje têm vários jogadores machucados, como Hector Bellerín, Rob Holding, Sokratis Papasthatopoulos e Henrikh Mkhitaryan. 

Na primeira fase, Emery repetiu a estratégia de Arsène Wenger na temporada passada, rodando o elenco na UEL. Isso ainda deverá ser feito por conta do imenso favoritismo neste mata-mata, mas com menos opções, pode vir a sobrecarregar algumas peças. 

As principais forças estão no ataque, em especial na dupla de frente. Alexandre Lacazette e Pierre-Emerick Aubameyang têm muita qualidade, atingiram entrosamento imediato e são os grandes diferenciais dos Gunners. 

A dupla de ataque é o destaque do time comandado por Unai Emery(Foto: Marc Atkins/Getty Images)

O adversário não deve oferecer grandes riscos. O BATE conquistou recentemente o Campeonato Bielorrusso – lá o campeonato vai de março a dezembro – e chegou à incrível marca de 13 títulos seguidos no país. No geral, foi o 15º triunfo. 

Assim, o time só volta à ativa justamente contra o Arsenal. Pela Europa League, três vitórias e três derrotas em seis jogos e o segundo lugar da chave L, com 9 pontos. Nos dois principais duelos, contra o Chelsea, duas derrotas (3 a 1 em casa e 1 a 0 fora). 

O nome mais conhecido do time de Barysaw terá um momento especial. O meia Alexander Hleb jogou no Arsenal entre 2004 e 2008, fez parte de grandes conquistas e é um jogador com muito carinho por parte da torcida Gooner. 

A Europa League pode não ser muito valorizada historicamente pelos ingleses, mas deve ser bem vista pelo Arsenal. É um título internacional nunca conquistado e a chance de voltar à Champions League (grande objetivo do ano), ainda mais tendo um treinador com grande sucesso no torneio. 

Diante de todo o cenário, o Arsenal é amplamente favorito. Imaginar algo diferente disso é improvável, ainda mais com os londrinos decidindo em casa. Para os Gunners, o BATE deve ser apenas uma etapa em um caminho mais longo. 

Chelsea x Malmö 

O Chelsea ficar de fora da Uefa Champions League não é algo normal. No entanto, a última temporada dos Blues não foi das melhores, tendo o time londrino terminado a Premier League 2017/18 apenas na 5ª posição. Com isso, se classificou para a disputa da Uefa Europa League na atual temporada. 

Sob novo comando, do técnico italiano Maurizio Sarri, ex-Napoli, a equipe de Stamford Bridge se classificou à segunda fase da competição europeia sem muitas dificuldades, terminando a fase de grupos como líder da sua chave, com 16 pontos em 18 disputados. 

A primeira parte da temporada do clube inglês foi de certa forma inconsistente. Na Premier League ocupa atualmente a quarta colocação, já tendo ocupado a quinta.

Na Premier League ocupa atualmente a quarta colocação, já tendo ocupado a quinta. Sem conseguir disputar a liderança com Liverpool, Manchester City e Tottenham, a briga do Chelsea aparentemente será contra Arsenal e Manchester United pela quarta posição. 

O time londrino sentiu muito a falta de um centroavante de elite no comando do seu ataque, tendo sofrido bastante com as seguidas más atuações de Álvaro Morata. Sarri chegou até a escalar Hazard na posição, mas o craque belga ficava deslocado e não apresentava seu melhor futebol. 

Para resolver esse problema, os Blues foram atrás do argentino Gonzalo Higuaín, de 31 anos, promovendo seu reencontro com Sarri. Já Morata foi emprestado para o Atlético de Madrid. O argentino teve uma boa estreia na Premier League, marcando dois gols na goleada do Chelsea sobre o Huddersfield. 

Hazard e Higuain são a esperança dos Blues para o restante da temporada(Foto: Daniel Leal-OLIVAS/AFP/Getty Images)

Pela segunda fase da Europa League, os londrinos encaram o Malmö, da Suécia, em jogos que ocorrerão nos dias 14 e 21 de fevereiro, sendo o decisivo na capital inglesa.  

O Campeonato Sueco do ano de 2019 ainda não foi iniciado. Na edição de 2018, o Malmö terminou na 3ª colocação, atrás de AIK e Norrköping. Para se preparar para o confronto contra o Chelsea, a equipe sueca tem realizado amistosos desde o mês de janeiro. 

O nome mais importante do time sueco continua sendo o experiente atacante Markus Rosenberg, de 36 anos e camisa 9 da equipe, formado no clube e com passagens por Ajax e Werder Bremen. 

Ao lado de times como Napoli, Internazionale e Arsenal, o Chelsea se mostra como um dos favoritos ao título continental, o qual já conquistou na temporada 2012/13, e que se tornou muito mais interessante a partir do momento no qual o campeão garante classificação para a Uefa Champions League. Fato interessante diante da visualização de uma forte disputa pela 4ª colocação na Premier League. 

O Chelsea deve se classificar sem maiores problemas para as oitavas de final, e seguir até as fases finais da competição, se tudo ocorrer dentro do esperado. 

Neste texto, colaboraram Eduardo Costa e Fabrício Santos.

Não há posts para exibir