Balanço da temporada 2018/2019 Manchester United na Premier League

Red Devils têm péssimo início com Mourinho, ótima recuperação com OGS, mas fim melancólico na sexta posição

Manchester United x Barcelona: analisamos o confronto das quartas da Champions
WOLVERHAMPTON, ENGLAND - APRIL 02: Paul Pogba of Manchester United during the Premier League match between Wolverhampton Wanderers and Manchester United at Molineux on April 2, 2019 in Wolverhampton, United Kingdom. (Photo by Robbie Jay Barratt - AMA/Getty Images)

Balanço da temporada 2018/2019 Manchester United na Premier League

Decepcionante. Essa palavra resume bem a temporada do Manchester United. Após terminar a Premier League de 17/18 com o vice-campeonato, mas com o Manchester City muito distante, os Diabos Vermelhos novamente ficaram de fora da disputa pela taça, vendo dois dos seus maiores rivais ingleses, Manchester City e Liverpool, num embate histórico.

O United iniciou sua temporada com o técnico português José Mourinho, que já era contestado nessa época. No mercado, foram apenas três reforços: o brasileiro Fred, o jovem Diogo Dalot e o experiente goleiro Lee Grant.

O início da PL foi péssimo, fato que geraria a demissão de Mourinho perto da virada de turno e de ano, resultando na chegada de Ole Gunnar Solskjaer, que assumiu interinamente inicialmente, sem pretensões de continuar na temporada seguinte.

Leia mais: PL Brasil Press Awards: a opinião dos jornalistas sobre a temporada 2018/2019

Mourinho foi demitido em dezembro (Foto: Peter Byrne/PA Images via Getty Images)

Mou foi demitido depois de conquistar apenas 26 pontos nas 17 primeiras rodadas, o pior começo de campanha no Campeonato Inglês desde o ano de 1990. Solskjaer, ídolo do clube, se tornou treinador interino e teve um início avassalador, com grande série de vitórias, que fizeram a equipe entrar no top4 da competição, algo que o próprio José Mourinho disse meses antes que seria impossível.

Entretanto, o impacto inicial de OGS acabou e a realidade novamente mostrou seu rosto para o time de Old Trafford. Depois da lua de mel da torcida com a equipe e o novo treinador, os antigos defeitos reapareceram, e esses estão diretamente relacionados a péssima administração do clube por seus dirigentes.

Ficou novamente claro que são necessárias contratações de jogadores e de um diretor de futebol, caso queiram retornar a ser protagonistas na terra da Rainha.

OGS deu nova cara ao time, com uma fantástica arrancada inicial (Foto: Catherine Ivill/Getty Images)

Resultado: sexta colocação na tabela final de classificação, sem vaga na próxima Uefa Champions League e muitos questionamentos sobre o futuro desse plantel atual.

Destaque

Sempre se espera muito do craque do time. Ou seja, a expectativa em torno das atuações de Paul Pogba é sempre grande, visto que o francês campeão do mundo é um dos melhores meio-campistas do futebol inglês e mundial.

E mesmo que, assim como o time, tenha tido altos e baixos, Pogba foi o maior destaque individual da equipe, em temporada com considerável participação em gols, seja marcando ou assistindo seus companheiros.

A contratação mais cara da história dos Red Devils fez 13 gols e deu sete assistências nessa edição da Premier League, tendo entrado na seleção da Associação de Jogadores Profissionais de Futebol da Inglaterra, a PFA. Esse fato gerou o questionamento de parte da imprensa e de torcedores.

Durante a melhor fase do United na temporada, logo após a estreia de Solksjaer, Pogba foi incrível e demonstrou toda a sua qualidade pelos campos ingleses, e sendo protagonista daquela ótima sequência do time treinado por OGS.

Entretanto, como dito anteriormente, o camisa 6 teve altos e baixos. Começo e fim de temporada em baixa, e na metade muito bem como a maioria dos seus companheiros.

Pogba teve altos e baixos, mas seu alto foi espetacular (Foto: Michael Regan/Getty Images)

Decepção

Fred foi a grande contratação do Manchester United para a temporada, mas não teve o primeiro ano que esperava com a camisa dos Diabos Vermelhos. Esperava-se que o meio-campista brasileiro se firmasse como titular e fosse importante peça da equipe, o que não aconteceu.

Imagina-se que continue se desenvolvendo na Premier League, e que sob o comando de OGS se torne a peça fundamental que se imaginava que se tornaria logo na sua primeira temporada em Old Trafford.

Ao todo, fez apenas 17 jogos, tendo iniciado 13 como titular e quatro como opção no banco de reservas. Marcou um gol e deu somente uma assistência na Premier League 2018/19, com média de 61 minutos em campo por partida.

Fred chegou na Premier League depois de disputar a Copa do Mundo da Rússia (Foto: Quality Sport Images/Getty Images)

Revelação

O jovem defensor português chegou ao United em negociação junto ao Porto. Diogo Dalot é lateral-direito de origem, mas mostrou que pode atuar em diferentes posições no Porto e confirmou isso na Inglaterra. Com a saída de Valencia da equipe e a idade já avançada de Young, muito provavelmente Dalot é o futuro dono da posição na lateral direita dos Red Devils.

Pedido por Mourinho, o camisa 20 não foi utilizado logo de cara pelo técnico português. Inclusive começou a ser mais constante em atuações com Solskjaer. E o treinador norueguês o escalou como homem mais avançado pela direita, agradando e dando mais opções para o comandante e para o seu futuro em Old Trafford.

Com agressividade ofensiva notória, Dalot fez 16 jogos na PL que foi finalizada, iniciando 12 partidas. Não foi responsável por nenhum gol, mas deu duas assistências.

Dalot deve ser o futuro da lateral direita do United (Foto: Catherine Ivill/Getty Images)

Estatísticas da temporada do Manchester United na Premier League 2018/19:

  • Sexta posição com 66 pontos;
  • 19 vitórias, nove empates, 10 derrotas;
  • 65 gols feitos, 54 gols sofridos;
  • Artilheiro: Paul Pogba (13 gols);
  • Jogadores com mais partidas disputadas: Pogba (35), Rashford (33), Lukaku (32).