Balanço da temporada 2018/2019 do Huddersfield na Premier League

Aliado ao pouco investimento, time sofreu com a queda de rendimento de seus principais jogadores

Balanço da temporada 2018/2019 do Huddersfield na Premier League
A campanha de 2018/19 do Huddersfield é séria candidata a entrar na lista (Foto: Reprodução/Sky Sports Premier League)

Balanço da temporada 2018/2019 do Huddersfield na Premier League

Após escapar brilhantemente do rebaixamento na temporada passada, a expectativa para o Huddersfield Town na Premier League 2018/19 era de que a equipe pudesse fazer uma campanha mais sólida, contando principalmente com um melhor desempenho de seus principais jogadores.

A manutenção do técnico David Wagner era um bom combustível para que isso acontecesse. O alemão foi um elemento vital para que os Terriers continuassem a viver um conto de fadas na elite do futebol inglês, mas certamente era necessário reforçar o plantel, que era de longe um dos mais limitados.

Leia mais: PL Brasil Press Awards: a opinião dos jornalistas sobre a temporada 2018/2019
Foto: Sky Sports

Isso não aconteceu. Novamente o Huddersfield apostou em reforçar o elenco de forma discreta, sem nenhuma contratação impactante, e com certeza isso pesou no final das contas.

As chegadas do meio-campista holandês Bacuna, do lateral Erik Durm e do atacante francês Adama Diakhaby (entre outros reforços) não surtiram o salto de qualidade que era desejado no time.

Aliado ao pouco investimento, o time sofreu com a queda de seus principais jogadores nesta temporada. A decepção principal foi Aaron Mooy. Responsável direto por manter o time na elite na temporada passada, o meio-campista australiano caiu drasticamente de desempenho e não conseguiu ter atuações decisivas como era esperado pelos torcedores.

Com a demissão de David Wagner e a chegada do também alemão Jan Siewert, a mensagem passada era de que o time já se preparava para a disputa da Championship 2019/20.

Não pela falta de capacidade do novo treinador, mas pelo fato de que pouca coisa mudaria com um elenco tão inferior aos outros times da Premier League. Resta aos tricampeões ingleses lutarem ferozmente na segunda divisão para poderem voltar a elite novamente.

Destaque 

No Huddersfield desde 2013, Billing foi um dos poucos destaques da equipe nesta temporada. 2018/19 foi a época em que ele mais atuou (registrou 2192 minutos em campo) e com uma excelente margem de crescimento – com apenas 22 anos- tem tudo para permanecer na Premier League em algum outro time.

Imponente pelo alto, Philip Billing foi um dos poucos destaques do Huddersfield. (Foto: Getty)

O dinamarquês foi quase imbatível pelo alto. Com 1,93 metros, ganhou em média 7.8 duelos aéreos por partida. Sua importância foi ofuscada com o péssimo desempenho defensivo do time como um todo, mas quem acompanhou o Huddersfield de perto, viu valores bem especiais no jovem meia central.

Decepção 

Mooy foi elemento-chave do Huddersfield na temporada passada, tendo papel essencial na permanência do time na Premier League. Em 2018/19, todos esperavam que o australiano, mais adaptado ao nível da elite, pudesse ter números ainda melhores. No entanto, o meio-campista passou despercebido e em 29 jogos, marcou apenas três gols e registrou uma assistência.

Aaron Mooy não conseguiu decidir jogos como a torcida esperava. (Foto: Getty)

O atleta de 28 anos não foi o pior jogador da equipe, mas pela expectativa que foi criada em torno do armador, ficou um sentimento de que poderia ter rendido mais. Claramente a queda de desempenho do jogador influenciou diretamente na descida precoce do Huddersfield.

Revelação 

Karlan Grant foi uma contratação de ouro do Huddersfield. O jogador estava tendo partidas impressionantes pelo Charlton Athletic e marcado 14 gols em 28 jogos pela terceira divisão inglesa.

Na janela de janeiro, Grant deu um grande salto na carreira indo para os Terriers, e mesmo com apenas 13 jogos disputados na Premier League (9 como titular) o atacante inglês marcou quatro gols, terminando como artilheiro do time no campeonato.

Karlan Grant surpreendeu a todos na Premier League. (Foto: James Griffiths)

Rápido e incisivo, Grant tem apenas 21 anos e pelo que mostrou até aqui, tem uma projeção bem otimista. Indo para a Championship, a tendência é de que o jovem possa ser ainda mais fundamental ao clube.

Com a possibilidade de atuar por uma temporada completa, o inglês pode muito bem ser o artilheiro do time na próxima edição da segunda divisão inglesa.