Balanço da temporada 2018/2019 do Crystal Palace na Premier League

Para o patamar e metas da equipe, terminar no meio da tabela não foi algo ruim

0
275

Balanço da temporada 2018/2019 do Crystal Palace na Premier League

Um time que era leão fora de casa e um gatinho dentro de seus mandos. Essa é a definição direta e curta sobre o Crystal Palace, um dos considerados pequenos da liga que, em um breve futuro, pode facilmente brigar por posições melhores. Em 38 jogos, foram 49 pontos (14 vitórias, sete empates e 17 derrotas).

O que mais chama atenção na temporada do Crystal Palace é o desempenho longe de casa. O time comandado pelo renomeado Roy Hodgson somou incríveis 29 pontos na casa dos adversários, quinta melhor campanha, ficando na frente de times como Arsenal, Chelsea, Wolverhampton e Everton. Enquanto no Selhurst Park foram apenas 20, terceiro pior desempenho entre os 20 times.

Towsend, acompanhado de Bissaka, comemorando seu belo gol no Etihad. Um dentre os 4 que fez contra times do Big 6. (Foto: Clive Brunskill/Getty Images)
Leia mais: PL Brasil Press Awards: a opinião dos jornalistas sobre a temporada 2018/2019

Tal irregularidade reflete a falta de peças fundamentais para o funcionamento do time. Houve uma boa mescla de nomes jovens como Wilfried Zaha e Aaron Wan-Bissaka com experientes, como Luka Milivojevic e Andros Townsend, mas faltou jogadores que organizassem tal mescla. Quem sabe um bom meio-campista, como João Moutinho, trazido pelos Wolves no início da temporada.

Para o patamar e metas da equipe, terminar no meio da tabela não foi algo ruim. Mas o time poderia mais. Em caso de manutenção da equipe para a próxima temporada, o que não é algo difícil, investimentos maiores podem ser feitos para que o time possa brigar na famosa “Copa Everton”, a disputa entre os times que vem logo após o big 6.

A temporada do Crystal Palace também ficou marcada pela despedida do lendário goleiro Julián Speroni, que desde 2004 atua pelos Eagles. Foram 402 jogos e 110 sem sofrer gol. Outro que se despede é o meio-campista Jason Puncheon, que atuou 169 vezes, com 16 gols e 22 assistências.

Destaque

No meio de tantas dúvidas de um time ainda em organização, há uma grande certeza: o lateral inglês Aaron Wan-Bissaka. Podendo já ser considerado uma das joias dessa nova geração da Inglaterra, o lateral teve uma das melhores temporadas de um defensor na liga e já é cobiçado por grandes, como por exemplo, o Manchester United.

sub-21 da Inglaterra

A frase “foi um dos melhores defensores da temporada” não tem nenhum tipo de hipérbole. Bissaka foi o defensor com mais desarmes na liga, com 129. De maneira geral, perdeu apenas para os meio-campistas Wilfired Ndidi (144), do Leicester, e Idrissa Gueye (143), do Everton.

Apesar de grande participação defensiva, Bissaka ainda tem que evoluir seu lado ofensivo caso queira se sobressair mais no cenário mundial, visto que hoje os laterais que se destacam, apoiam muito bem. Mas o caminho ainda é longo e a paciência deve ser sua melhor amiga. O inglês completa apenas 22 anos em novembro.

O lateral ganhou todos os prêmios de melhor jogador nas premiações da equipe de fim de temporada. Ganhou a que é votada por jogadores e torcedores do clube. Uma grande temporada sendo bem recompensada.

Surpresa 

27 anos de idade, oito temporadas de serviços prestados pelo Tottenham e as três últimas pelo Palace. Townsend parece ter encontrado finalmente seu bom futebol. Longe de ser um gênio da bola, craque do time, o atacante/meia foi uma das válvulas de escape no time de Roy Hodgson.

Por já ter uma certa experiência na competição, foi um dos jogadores mais decisivos do time na temporada. Entre seus seis gols da temporada, Townsend fez o da vitória contra o Tottenham e deixou sua marca na derrota contra o Liverpool, Chelsea e Manchester City. Gol contra o City que foi premiado como o mais bonito da temporada do time.

Como dito acima, Andros não foi o destaque nem o gênio desse time, mas para um jogador que chegou desacreditado de um clube grande, o que é até normal, surpreendeu na temporada e promete ajudar o time londrino caso fique para as próximas temporadas.

Decepção 

Christian Benteke of Crystal Palace reaction during Crystal Palace and Brighton. (Photo by Sebastian Frej/MB Media/Getty Images)

A decepção da temporada do Crystal Palace não necessariamente se deve ao fraco desempenho do jogador, mas por diversos fatores. Christian Benteke é um dos carros fortes da equipe, e após perder 22 jogos por lesão no joelho, não conseguiu voltar no mesmo ritmo esperado.

Em 16 jogos desde a lesão, o belga marcou apenas um gol (média de 0.06). Na temporada anterior, o belga já havia desapontado com três gols em 31 jogos. A expectativa sempre foi alta visto que ele foi a maior contratação da história da equipe.

Benteke passa de certeza para incógnita. Com 28 anos e aparentemente em decadência, deveria o Palace seguir em frente? A concorrência já bate na porta. Seu contemporâneo belga, Michy Batshuayi, emprestado pelo Chelsea, marcou cinco vezes no curto período em que está no clube londrino. Caso permaneça, Benteke pode perder mais espaço ainda.

Não há posts para exibir