Balanço da temporada 2018/2019 do Arsenal na Premier League

Gunners tiveram uma PL de altos e baixos e não conseguiram o sonhado top-4

0
468
Balanço da temporada 2018/2019 do Arsenal na Premier League
(Foto destacada: Chloe Knott - Danehouse/Getty Images)

Balanço da temporada 2018/2019 do Arsenal na Premier League

A temporada do Arsenal na Premier League foi cercada de muita expectativa. A maior delas, certamente, estava na área técnica: depois de 21 anos de Arsène Wenger, Unai Emery chegava como novo treinador com dúvidas e muita responsabilidade.

O campeonato como um todo foi de altos e baixos. Os Gunners começaram perdendo seus dois primeiros jogos para Manchester City e Chelsea, mas foram se acertando e chegaram a emplacar 14 jogos de invencibilidade no primeiro turno (incluindo sete vitórias seguidas).

A partir daí, começou a briga pelo sonhado top-4 (e a vaga na Champions League) com Chelsea, Tottenham e Manchester United que durou toda a temporada. O time atingiu sua melhor posição na 31ª rodada, batendo o Newcastle por 2 a 0 em casa e pulando para terceiro.

Com um estilo intenso, Unai Emery chegou trazendo mudanças no jogo do Arsenal (Foto: Chris Brunskill/Fantasista/Getty Images)

Leia mais: A ótima temporada de James Maddison no Leicester

Junto com isso, Unai Emery teve que lidar com as lesões no elenco. Durante a temporada, vários jogadores se lesionaram, principalmente na instável defesa. Os piores casos foram de Rob Holding, Hector Bellerín e Aaron Ramsey (de saída para a Juventus), que sofreram lesões que encerraram suas temporadas.

Com sete jogos para o fim, o Arsenal não enfrentaria nenhum time do temido big-6 e tinha a tabela considerada mais acessível. Porém, foi justamente no momento decisivo que começou a derrocada: apenas duas vitórias nos últimos sete jogos, incluindo três derrotas seguidas.

Os outros times da briga pelo G4 também tropeçaram bastante, mas os Gunners foram ainda piores e deixaram escapar a vaga à Champions pela PL por apenas um ponto para o grande rival Tottenham.

A esperança de fim de temporada é a final da Europa League – contra o também rival Chelsea, no dia 29 de maio, em Baku, no Azerbaijão.

Destaque

Com a histórica camisa 14, Auba foi um dos artilheiros da PL e o grande goleador do Arsenal (Foto: Shaun Botterill/Getty Images)

Não dá para falar da temporada 2018/19 do Arsenal sem citar Pierre-Emerick Aubameyang. Em sua primeira época completa em Londres, o gabonês mostrou que valeu cada centavo das £ 56 milhões gastas ainda na janela de inverno da temporada anterior.

Com a histórica camisa 14 do clube, Auba se mostrou versátil e letal. Unindo seu poder de finalização à velocidade, pôde jogar como segundo atacante (mais fixo na área) ou como primeiro atacante, buscando mais o jogo (assim formando uma ótima dupla com Alexandre Lacazette).

O resultado foi a a artilharia da Premier League, com 22 gols em 38 jogos – empatado com Mohamed Salah e Sadio Mané, do Liverpool. Este número é ainda mais chamativo se vermos que, em 17 partidas, o gabonês foi substituído ou saiu do banco em algum momento, sem jogar os minutos completos.

Decepção 

O meia alemão começou a temporada com muita expectativa, mas correspondeu pouco em campo (Foto: Matthew Ashton – AMA/Getty Images)

Com o time precisando de uma reviravolta após o melancólico fim da temporada 2017/18 e a chegada do novo treinador, muito se esperava de Mesut Özil. De contrato renovado e camisa 10, o alemão recebia mais uma chance como a grande esperança de qualidade técnica.

Mas o que se viu foi uma temporada bem abaixo. Apesar de um crescimento ao final, voltando inclusive ao time titular, a Premier League do meia foi muito inconstante e contou com mais momentos ruins do que bons, amargando por várias vezes o banco de reservas.

O ponto mais baixo foi após a partida contra o West Ham, na terceira rodada. Segundo informações da ESPN Brasil, Özil e Emery discutiram em um treino e o alemão foi colocado no banco. Ao descobrir o fato, antes da partida, ele deixou o estádio e ficou fora do elenco.

Leia mais:
Podcast PL Brasil #66 | Respeitem a Premier League!

Apesar de todas as partes declararem que o fato era mentiroso, nos 38 jogos do ano, ele não entrou (seja lesionado, não relacionado ou no banco) em 14. Por isso, os rumores sobre seu futuro cresceram e não seria surpresa vê-lo deixando Londres.

Revelação 

O jovem Niles recebeu mais chances nessa temporada e ganhou moral no elenco (Foto: Catherine Ivill/Getty Images)

Depois de receber mais chances na temporada 2017/18, ainda sob o comando de Arsène Wenger, Ainsley Maitland-Niles renovou contrato com o Arsenal. E com Unai Emery como treinador, o jovem inglês ganhou boas oportunidades.

A primeira delas não deu nada certo: no jogo de abertura da PL, em agosto contra o Manchester City, Maitland-Niles fraturou a perna e só voltou a jogar como titular em dezembro. Apesar disso, ele continuou bem utilizado.

Em uma temporada com vários problemas e lesões no elenco, Niles jogou em várias posições. Só nesta temporada ele atuou como titular na lateral esquerda, na direita e no meio de campo, como volante. Sua polivalência foi importante para suprir momentos complicados do time no ano.

Leia mais: PL Brasil Press Awards: a opinião dos jornalistas sobre a temporada 2018/2019

Sua Premier League foi de altos e baixos, com uma pequena queda nos últimos jogos. Porém, ao que tudo indica, Emery deve contar com Niles e manterá-lo no elenco para a temporada 2019/20. A expectativa é que ele se estabeleça e, com mais experiência, receba mais chances.

Estatísticas da temporada do Arsenal na Premier League 2018/19:

  • Quinta colocação com 70 pontos;
  • 21 vitórias, sete empates, 10 derrotas;
  • 73 gols feitos (terceiro melhor ataque), 51 gols sofridos (12ª melhor defesa)
  • Artilheiros: Pierre-Emerick Aubameyang (22), Alexandre Lacazette (13), Henrikh Mkhitaryan (6), Mesut Özil (5), Aaron Ramsey (4)
  • Líderes de assistências: Alexandre Lacazette (8), Aaron Ramsey (6), Alex Iwobi (6), Pierre-Emerick Aubameyang (5), Hector Bellerín (5)
  • Jogadores com mais partidas disputadas: Bernd Leno (31), Shkodran Mustafi (31), Pierre-Emerick Aubameyang (30), Granit Xhaka (29), Alexandre Lacazette (27)