Em declaração estilo ‘Ted Lasso’, técnico do Tottenham relaciona Champions League a Willy Wonka

5 minutos de leitura

A série “Ted Lasso” chegou ao seu fim em 2023, mas os fãs continuam lembrando com carinho da produção da Apple. Interpretado pelo americano Jason Sudekis, o personagem principal Ted cativou os telespectadores, entre outros motivos, pelas suas comparações completamente aleatórias na tentativa de entender e assimilar as regras do futebol e da Premier League.

E o que tudo isso tem a ver com o Tottenham? Na coletiva pré-jogo, concedida nesta sexta-feira (8), o treinador Ange Postecoglou deu uma declaração no melhor estilo “Ted Lasso” para falar sobre a busca dos Spurs por uma vaga para a Champions League na tabela.

Ange Postecoglou relaciona Champions League com Willy Wonka em entrevista

Depois de uma fase complicada por causa do número de lesionados e perdas temporárias durante os torneios de seleções na Ásia e na África, o Tottenham tem se recuperado na tabela e hoje ocupa a 5ª posição.

Ange é constantemente questionado sobre a importância de garantir a classificação para a Champions League da próxima temporada como uma forma de dar continuidade ao seu trabalho nos Spurs. E o técnico sempre responde que a sua prioridade é desenvolver a equipe.

Na coletiva desta sexta, ele encontrou uma forma criativa de responder porque se preocupa mais com o fortalecimento do elenco que com uma classificação. Para isso, ele fez uma comparação com… o filme “A Fantástica Fábrica de Chocolate”.

— O mais importante é que no final deste ano tenhamos uma equipe que vai desafiar no ano seguinte e continuar a crescer. No momento o mais importante somos nós, a nossa identidade e o nosso futebol, porque só se classificar… cara, não é um bilhete dourado do Willy Wonka, sabe?

A citação do técnico do Tottenham se refere ao personagem principal do filme inspirado no livro do britânico Roald Dahl. A versão original foi gravada em 1971 e ganhou um remake em 2005, dirigida por Tim Burton.

Na história, Willy Wonka é o dono excêntrico de maior fábrica de chocolate do país — não é dito o nome, mas acredita-se que seja a Inglaterra. Um dia, ele lança uma promoção, na qual foram colocados cinco bilhetes dourados em chocolates de sua marca. Quem os encontrasse ao comprar os doces, ganhavam o direito de passar um dia inteiro visitando a misteriosa fábrica.

Ao longo do filme, as crianças vencedoras vão descobrindo que parar ganhar o “prêmio final”, era necessário mais do que só encontrar o bilhete dourado.

Para Ange, a classificação para a Champions, por si só não é um indicativo do sucesso do seu trabalho no Norte de Londres.

— Isso (a classificação) dá a você um ano na Liga dos Campeões. Mas se você não desenvolver ou crescer a partir disso, não terá sentido, pelo menos eu acho. Porque não estamos nisso pela participação. Estamos nisso para ganhar coisas.

— Sim, se chegarmos à Champions League este ano significa que progredimos em relação ao ano passado. Mas será que o nosso futebol progrediu? Somos uma equipe melhor? Somos uma equipe mais forte? Vamos melhorar no verão para ter certeza de que no próximo ano estaremos ainda melhores?

O treinador foi questionado se o fato de não ir para a Champions não tornaria esse desenvolvimento mais difícil. Ange discordou, afirmando que a classificação é consequência desse fortalecimento. Por isso, a vaga não deve ser enxergada como o “bilhete dourado” do filme.

— Seu desenvolvimento é o seu desenvolvimento. Se você continuar se fortalecendo como equipe, esse tipo de coisa nem entra na equação. Você deveria estar lá (na Champions League) o tempo todo. Mas se esse é o seu objetivo e pensar que isso é um bilhete de ouro para riquezas infinitas, não é o caso. 

Maria Tereza Santos
Maria Tereza Santos

Me formei em Jornalismo pela PUC-SP em 2020. Antes de escrever para a PL Brasil, fui editora na ESPN e repórter na Veja Saúde, Folha de S.Paulo e Superesportes.