Swansea City – História, Mercado da Bola e Estatisticas

0
539
swansea city
Swansea City - Os cisnes do País de Gales

Antes de tudo, o Swansea City Association Football Club, ou apenas Swansea City, é um clube de futebol localizado na cidade de Swansea. Aliás, a segunda maior do País de Gales, no Reino Unido. Com uma das mais longevas histórias no futebol, o time foi fundado em 1912, primeiramente com o nome de Swansea Town. Apesar de pouco conhecido internacionalmente, há alguns anos tem participado constantemente das principais ligas inglesas, tendo conquistado a Copa da Liga da Inglaterra em 2012/13.

Também conhecido pelo apelido de Swans (Cisnes, em português), o clube acumula uma série de altos e baixos ao longo de sua rica história. No entanto, a melhor delas talvez seja a corrida para sair da 4ª Divisão e conquistar o acesso para a tão sonhada Premier League, após vencer os play-offs da Championship em 2011. Esta trajetória inclusive, virou filme, eternizada em “Jack to a King – The Swansea Story” no ano de 2014. O clube ainda tem no seu repertório uma participação na Europa League de 2013/14, chegando até as oitavas de final.

Trajetória do Swansea City, fundação, conquistas e ascensão

A princípio, a grande atração esportiva na cidade de Swansea na década de 1910 era o rúgbi. Praticamente não existiam olhos para o mercado da bola redonda. De tal forma que todas as tentativas de emplacar um time de futebol no local não davam certo. Pelo menos não até a fundação do Swansea Town AFC, no verão de 1912. Assim como muitos clubes da região, logo a equipe ingressou na segunda divisão da Liga do Sul, já na temporada seguinte. O primeiro presidente do clube foi JW Thorpe. Além disso, alugaram um terreno chamado Vetch Field, propriedade da empresa Swansea Gaslight CO.

No Vetch Field, o Swansea Town disputou a sua primeira partida profissional. O clube empatou em 1 x 1 com aquele que hoje é o seu maior rival, o Cardiff City, em 7 de setembro de 1912. Depois de quatro temporadas na Liga Sul, o time foi um dos responsáveis por fundar a 3ª divisão da Liga de Futebol, que em seguida virou a Divisão Três, uma temporada depois. Os Swans alcançaram o acesso para a 2ª Divisão em 1925, quando venceu o Exeter City por 2 x 1. Em 1926 chegaram até a semifinal da FA Cup pela primeira vez, quando foi derrotado pelo Bolton Wanderers.

Após a Segunda Guerra Mundial, o Swansea Twon viveu um longo período na 2ª Divisão nacional, com algumas quedas para a Divisão Três, e retornos em seguida. Em síntese, foram cerca 20 anos nesta situação. Contudo, em 1964, o clube chegou na semifinal da FA Cup novamente. Mas dessa vez perdeu para o Preston em uma virada por 2 x 1. Além disso, em 1965, o time sofreu mais um rebaixamento e caiu para a Divisão Três, indo parar na 4ª Divisão dois anos depois. Em 1969 o clube passou a se chamar Swansea City, em relação ao crescimento sua cidade.

A rápida ascensão seguida de uma queda mais rápida ainda

Certamente, John Toshack, ex-atacante do Liverpool, Cardiff e da seleção galesa, foi o principal nome da ascensão do clube. O jovem treinador, de apenas 28 anos, levou o Swansea City para a conquista de duas promoções seguidas, que colocaram o time novamente na 2ª Divisão. Em maio de 1981, o clube superou o mesmo Preston, pelo placar de 3 x 1, e chegou na elite do esporte no Reino Unido pela primeira vez na sua história. Enquanto esteve entre os melhores, conquistou resultados incríveis, como vitórias em cima de Liverpool, Manchester United, Arsenal e Tottenham Hotspur.

No entanto, alguns fatores como lesões de jogares importantes, infelicidade no mercado da bola e problemas financeiros levaram o time à uma queda tão grande quanto havia sido a subida. Nos dois anos seguintes a equipe sofreu dois rebaixamentos e Toshack foi demitido. Em 1985, o empresário Doug Sharpe assumiu a gestão do clube para evitar uma possível falência. O que não impediu mais um rebaixamento.

Desde então, o Swansea City perambulou pelas ligas inferiores do Reino Unido por anos e anos. Algumas vezes na 2ª divisão, outras na 3ª e outras na 4ª. Na grande maioria o clube até conseguia fazer temporadas estáveis, mas sempre correndo risco de ser rebaixado. Com toda a certeza, quando subia, o clube suava bastante para conseguir se manter, até cair novamente. A instabilidade financeira, gestões ruins, chegando até a ter quatro treinadores em um mesmo ano, além de decisões precipitadas no mercado da bola afetaram diretamente a história do time.

Novo estádio e chegada à Premier League

Em 2005, o Swansea City se mudou para o novo Liberty Stadium. Construído no local do antigo Estádio de Atletismo Morfa e campos de jogos, o estádio para 21.000 lugares se tornou uma das principais instalações esportivas do país. O primeiro jogo competitivo aconteceu em agosto daquele ano e terminou com uma vitória por 1 x 0 contra Tranmere Rovers. O local continua sendo a casa dos Swans até hoje.

O retorno para a Premier League aconteceu na temporada de 2011/12. O Swansea City se tornou o primeiro time galês a disputar o torneio desde a sua formação em 1992. Ao longo do ano derrotou times especulados ao título, como Arsenal, Liverpool e Manchester City. Como resultado, terminou a temporada de estreia em 11º lugar na tabela. O clube, inclusive, chegou a liderar o campeonato na segunda rodada da edição de 2012/13. A primeira vez que ocupou o lugar máximo esporte no Reino Unido desde 1981.

Campeão da Copa da Liga e participação na Europa League

Em 15 de outubro de 2012 o Swansea City disputou a final da Copa da Liga. Na verdade, o clube atropelou o seu adversário, o Bradford City, pelo placar elástico de 5 x 0. Aquela foi a maior diferença no placar na história da final do torneio. Os autores dos gols que consagraram um dos troféus mais importantes do time foram Dyer (2), De Guzman (2) e Michu. Além do título, os Swans conquistaram uma vaga na UEFA Europa League da temporada seguinte.

Apesar de não ser considerado um dos favoritos, o time fez uma campanha europeia digna de elogios. Antes de mais nada, começou batendo no Valência, da Espanha, pelo placar de 3 x 0, jogando fora de casa. terminou como 2º colocado do grupo e se classificou para o mata-mata. Nas oitavas de final acabou tendo de enfrentar o Napoli, da Itália. A princípio, o Swansea se saiu muito bem ao conseguir segurar o time do técnico Rafa Benítez em casa, com um 0 x 0. Mas no jogo da volta não sustentou o resultado e se despediu do torneio com 3 x 1 para o adversário, em fevereiro de 2014.

O time terminou a edição de 2014/15 da Premier League com 56 pontos conquistados, na 8ª colocação do torneio. Em suma, foi a segunda melhor campanha do clube em toda a história. Porém, nos anos seguintes o Swansea City não conseguiu manter o mesmo rendimento e logo foi acumulando posições do meio da tabela para baixo. Até que na temporada 2017/18 sofreu um novo rebaixamento. Hoje o clube joga a Championship, tendo disputado a final do play-off na temporada passada, onde saiu derrotado por 2 x 0, pelo Brentford, em Wembley. Agora, em 2021/22, inicia mais uma vez a busca do retorno para a elite do futebol no Reino Unido.

Mercado de Transferências do Swansea City

Apesar de não ser considerado um dos mais fortes times do Reino Unido, como Manchester United, Liverpool, Chelsea, dentre outros, o Swansea City já fez transações muito interessantes no mercado de transferências. Portanto, confira aqui a relação de alguns dos nomes mais importantes que o clube já contratou.

Wilfried Bony do Manchester City por £ 13 milhões e do Vitesse por £ 16 milhões

Decerto, a melhor maneira de começar a lista é falando do responsável pela 5ª e pela 4ª maior transação no mercado de transferências da história do Swansea City. Wilfried Bony chegou ao Liberty Stadium pela primeira vez em julho de 2013, quando o time desembolsou cerca de £ 16 milhões para ter o, até então, centroavante e artilheiro do Vitesse, da Holanda. O jogador logo se destacou marcando 34 gols em 70 jogos e ajudando os Cisnes nas campanhas da Premier League e Europa League. Então, em 2015 ele foi vendido ao Manchester City por £ 25 milhões.

Anos depois, na temporada de 2017/18, os Swans foram novamente ao mercado de transferências e trouxeram Bony de volta. O jogador saiu do Manchester City depois que o clube do País de Gales pagou £ 13 milhões. Contudo, a segunda passagem não foi tão boa quanto a primeira. O atacante anotou apenas cinco gols em 27 partidas e logo se transferiu para o Al-Arabi SC, do Catar.

Sam Clulas do Hull City por £ 16,3 milhões

A terceira maior aquisição do Swansea City no mercado da bola foi a de Sam Clucas. O meio-campista chegou do Hull City em 2017, pela quantia de £ 16,3 milhões. No entanto, a sua passagem pelo Liberty Stadium foi um tanto quanto apagada e sua saída para o Stoke City na temporada seguinte não deixou muitas saudades. Em suma, o jogador fez poucas atuações de tirar o fôlego e marcou apenas três gols em 36 partidas.

Borja Bastón do Atlético de Madrid por £ 18 milhões

Todo o mercado da bola parou para prestar atenção no Swansea City quando o atacante Borja Bastón desembarcou em Gales, em 2016. O jogador vindo do Atlético de Madrid chegou com bastante moral e custando £ 18 milhões aos cofres do novo clube. No entanto, depois uma temporada um tanto irregular, foi emprestado nos anos seguintes até se transferir em definitivo em para o Aston Villa sem custos, em 2020. Pelos Swans, o atleta fez 41 partidas e marcou somente sete gols.

André Ayew do West Ham por £ 22 milhões

Por fim, a maior transação do mercado da bola da história do Swansea City. André Ayew chegou ao clube em 2015, e após uma breve passagem foi para o West Ham. Acontece que anos depois, em 2017, os Swans quiseram repatriar o jogador e tiveram de desembolsar cerca de £ 22 milhões. Ao todo, até hoje a contratação mais cara do time foi uma das melhores, já que marcou 47 gols em 141 jogos.