O subestimado jogador do Liverpool que torcedores para imploram que bata o próximo pênalti

7 minutos de leitura

Imagina somar mais de 200 partidas como um jogador de linha, ter 10 anos de carreira, conquistar 8 títulos como profissional e nunca ter feito um gol sequer. Esse caso existe — e é um nome importante do Liverpool de Jürgen Klopp.

Trata-se do inglês Joe Gomez. Aos 26 anos, o versátil defensor — difícil caracterizá-lo só com uma posição — nunca foi tão valorizado em Anfield, mas vive para muitos o melhor momento da carreira. A sua temporada 2023/24 o faz sonhar novamente com a seleção inglesa e causa comoção numa das maiores torcidas da Inglaterra. Motivos para isso não faltam.

Tem desfalque? Chama o Gomez

Na vitória emocionante diante do Nottingham Forest, quando Darwin Nuñez resgatou os três pontos para o Liverpool no último minuto do jogo, Gomez, um zagueiro de origem, começou jogando como volante.

Sem Endo, Szoboszlai, Thiago Alcântara e Bajcetic, todos afetados por problemas físicos, o inglês foi escolhido por Klopp para iniciar na posição mais defensiva do meio-campo. Ele havia feito a função pela primeira vez apenas dias antes, contra o Southampton, pela FA Cup.

Com o passar do jogo, Robertson foi substituído e o destro Gomez foi deslocado para a lateral-esquerda. Antes do final, deu tempo de Conor Bradley, o lateral-direito, sair por desgaste. E lá foi Gomez para o outro lado.

Não seria uma surpresa se o jogador também montasse a playlist de músicas do vestiário no pós-jogo e ainda dirigisse o ônibus do time de volta para Liverpool — brincou Ian Doyle, setorista do clube no “Liverpool Echo”.

A versatilidade, de fato, tem sido o grande diferencial de Gomez no time que luta por todas as competições que disputa na atual temporada. E também uma marca de sua carreira.

Joe Gomez na temporada 2023/24

  • 38 jogos
  • 24 jogos como titular
  • 3 assistências

9 anos de Liverpool

Gomez foi contratado como um promissor zagueiro do Charlton, em agosto de 2015, por cerca de 5 milhões de libras. Ele é o único jogador do elenco atual que estava no clube antes da chegada de Klopp, que chegou em outubro do mesmo ano.

Demorou alguns anos para se firmar no time titular, algo que só aconteceu a partir de 2017/18. Desde então, se mostrou uma opção de elenco tanto para a zaga quanto para a lateral-direita, alternando bons momentos — embora nunca tenha chegado aos melhores momentos dos concorrentes da posição como Alexander-Arnold, Van Dijk, Konaté e Matip.

Gomez trava chute de Castagne em Fulham x Liverpool (Foto: Icon sport)
Gomez trava chute de Castagne em Fulham x Liverpool (Foto: Icon sport)

O bom momento na atual temporada, entretanto, começou longe das suas posições naturais. Vendo uma zaga consolidada com Konaté e Van Dijk, Gomez só encontrou espaço no time titular como lateral-esquerdo, a partir do momento em que os dois expoentes da posição no elenco, Robertson e Tsimikas, se lesionaram.

O pé trocado, a falta de mobilidade, sem a mesma vocação ofensiva de Robertson… tudo indicava que a escolha não seria ideal. Mas Gomez provou o contrário e, num time esfacelado por lesões, garantiu uma constância na lateral-esquerda durante a sequência que levou o Liverpool à liderança da Premier League — a ponto de alguns torcedores até defenderem que o ídolo Robbo não voltaria com facilidade ao time titular.

Com essa versatilidade, o inglês jogou 38 dos 43 jogos dos Reds na temporada. Foi titular em 13 dos últimos 15. Na última improvisação, atual como volante nas vitórias contra Chelsea (que valeu o título da Carabao Cup), Southampton e Forest. Só vitórias.

— A mudança de comportamento entre zagueiro, lateral, pela direita, pela esquerda, volante… a diferença é muito grande neste nível do futebol profissional. De repente o jogo vem de todas as direções, ao mesmo tempo, e muda repentinamente. E ele lida muito bem com isso, é uma loucura. É muito bom e super importante — pontuou Klopp.

Esperança de voltar à Seleção

A fase também volta a colocar Gomez entre os cotados para a seleção inglesa. Gareth Southgate anunciará na semana que vem os convocados para os amistoso contra Brasil e Bélgica, e tem alguns desfalques defensivos — Alexander-Arnold, Marc Guehi e Luke Shaw são os principais exemplos.

Precisa de lateral-direito, zagueiro e lateral-esquerdo? Pois tem um inglês que sabe jogar em todas.

Eu não vou dizer ao Gareth quem ele deve chamar mas, se você tem alguém que cobre quatro posições, é maravilhoso — elogiou o treinador do Liverpool.

Gomez, vale lembrar, era do time sub-21 da Inglaterra quando este era comandado por Southgate. No entanto, soma apenas 11 convocações como profissional, a última delas em 2020.

Denmark v England – UEFA Nations League – Group 2 – League A – Parken Stadium
Joe Gomez em amistoso da Inglaterra, em 2020 (Foto: Icon sport)

E o gol?

Os elogios, a possível convocação, a luta por títulos… tudo isso é louvável na carreira de Joe Gomez. Mas e o gol?

Mesmo para um defensor de origem, que já cumpriu funções no meio-campo, é raro passar tanto tempo no futebol de alto nível sem balançar as redes. Com a contribuição que Gomez tem dado, criou-se uma campanha na torcida do Liverpool para que ele cobre o próximo pênalti e, enfim, acabe com o jejum.

O defensor tem até arriscado alguns chutes de fora da área recentemente, o que também vira motivo de brincadeira nas redes sociais.

A pergunta que fica é: o chefe deixaria Gomez bater um pênalti?

Sim, mas no minuto 89 e se estivermos ganhando por 4 a 0! Por mais que eu adore ver, não estou preparado para isso. Não sei como reagiria — brincou Klopp.

Com gol ou só contribuindo defensivamente, é fato que a admiração dos torcedores do Liverpool por um jogador tão polivalente só cresceu. Como finaliza, o texto do “Liverpool Echo”, “essa temporada tem provado que não existe ninguém como Joe Gomez“.

Diogo Magri
Diogo Magri

Jornalista formado pela ECA-USP, campineiro e repórter na PL Brasil. Passagens por EL PAÍS, Revista Veja e Futebol Globo CBN.

Contato: [email protected]