Listamos os 10 melhores talentos sub-21 da Inglaterra

Confira as principais joias inglesas sub-21 do momento

0
499
sub-21 da Inglaterra

Não é nenhuma surpresa que a Inglaterra seja uma das melhores fontes de jovens talentos do futebol mundial atualmente. A quantidade inesgotável de jovens talentos que a cada ano surgem nos times é impressionante. Decidimos listar os 10 melhores talentos sub-21 da terra da Rainha neste momento para que você possa ficar de olho nos jogadores que muito em breve podem estourar de vez no futebol mundial.

Lembrando que em nossa lista, decidimos excluir os jogadores que já receberam/recebem oportunidades na seleção principal. Por isso, nomes como Jadon Sancho, Marcus Rashford, Alexander Arnold, Joe Gomez, Harry Winks, Tammy Abraham, Dominic Solanke, James Maddison e Lewis Cook não estão presentes, mas recebem mais do que menção honrosa.

Acompanhe a PL Brasil no Youtube
Dezin Pergunta #01 – Recordes da Premier League

Listamos os 10 melhores talentos sub-21 da Inglaterra

Dominic Calvert-Lewin

Cria da base do Sheffield United, Calvert-Lewin foi adquirido pelo Everton em 2016, por 1,5 milhões de libras. A partir deste mesmo ano, ele se tornou peça frequente nas seleções de base da Inglaterra, desempenhando um bom papel, especialmente na Copa do Mundo sub-20 em 2017.

No torneio, o jovem atacante do Everton marcou o gol do título, na final contra a Venezuela – os ingleses venceram por 1 a 0. Hoje, Calvert-Lewin é o principal artilheiro da seleção sub-21, tendo marcado quatro gols em dez jogos até aqui no Europeu da categoria.

Foto: Getty

O atleta contabiliza 31 jogos como titular do Everton na Premier League, tendo marcado nove gols. Nesta temporada, DCL registra quatro gols e uma assistência em oito jogos como titular, sugerindo que esta pode ser a sua melhor temporada com a camisa dos Toffees.

Fazendo muito com poucos minutos, a tendência é que Calvert-Lewin possa seguir evoluindo e se torne um atacante respeitável na Inglaterra.

O atacante é alto (1,87m) mas ainda assim é veloz, podendo jogar como a referência do time ou pelos lados. Com os recentes elogios de Marco Silva, a temporada parece ser promissora para o número 29.

Ademola Lookman

Lookman provocou resultado imediato na temporada 2016/17. Contratado pelo Everton vindo do Charlton Athletic, onde tinha um bom desempenho na terceira divisão inglesa, o jovem ponta esquerda teve a oportunidade de estrear em partida contra o Manchester City, no Goodison Park.

Ele entrou no lugar de Ross Barkley já no tempo adicional, e com poucos minutos em campo, fez um belo gol que sacramentou a goleada por 4 a 0 do time de Liverpool sobre os comandados de Guardiola.

Apesar do bom desempenho na segunda metade daquela temporada, era óbvio de que Lookman precisaria de mais minutos em campo para se desenvolver, e foi com este propósito que ele saiu em empréstimo na temporada seguinte, para o RB Leipzig.

Leia mais Harvey Elliott: o jogador mais jovem a estrear profissionalmente na Inglaterra

Foto: Getty

Em apenas 11 partidas pelo time alemão, Lookman marcou cinco gols e deu três assistências, fazendo com que a sua permanência fosse motivo de prioridade no clube. No entanto, o Everton não cedeu e o jovem habilidoso voltou ao time de origem para a temporada 2018/19.

A perspectiva era de que Lookman pudesse se tornar peça importante do time de Marco Silva, mas até aqui o jogador vem recebendo poucos minutos em campo, sendo apenas uma boa opção entre os reservas. Foram 12 jogos, tendo iniciado em apenas dois, o que dá uma média de 33 minutos em campo pela Premier League.

O winger tem como características a velocidade e o drible, tendo os recursos necessários para causar desequilíbrio no sistema defensivo adversário. Se o Everton quiser manter o seu jovem talento por mais uma temporada, terá que oferecer a ele mais tempo de jogo.

Tom Davies

Mais um jogador da excelente base do Everton, Tom Davies é um dos jovens mais estimados do time azul, e já vem atuando com regularidade desde a temporada 2016/17.

Nesta temporada, Davies acabou perdendo espaço para André Gomes, que passou a fazer parceria com o incontestável Gueye.

Apesar de ter tido apenas 606 minutos em campo nesta edição de Premier League, o jovem talento continua a se desenvolver e tem tudo para se tornar um grande meio-campista.

Tom Davies é excelente no trato com a bola, seja em passes curtos ou em lançamentos. Ele não é muito veloz, mas consegue ter um bom poder de combate e é incansável em campo.

Ele é um dos jogadores mais constantes da Inglaterra sub-21, e apesar de no momento ser uma opção entre os reservas no Everton, tem recebido mais minutos do que Morgan Schneiderlin e James McCarthy – nomes mais tarimbados.

Dean Henderson

Henderson faz parte da base do Manchester United desde os 14 anos, e a sua forma atual tem sugerido que ele pode ser o sucessor de David De Gea no Old Trafford.

Após empréstimos para Stockport, Grimsby Town e Shrewsbury, Henderson tem tido uma temporada brilhante pelo Sheffield United, sendo um dos principais destaques da equipe que atualmente briga pelo acesso à primeira divisão inglesa.

Foto: Getty

O arqueiro de 21 anos atuou em 27 partidas pela Championship nesta temporada, tendo ficado oito delas sem sofrer gols. Além disso, Henderson tem uma média de 1 gol sofrido por jogo, o que faz com que o Sheffield tenha a segunda melhor defesa da competição (empatado com o Leeds, Birmigham e Bristol City).

O inglês recebe convocações regulares da seleção sub-21 e, muito em breve, pode se tornar mais um na boa safra de goleiros ingleses que representam a seleção principal. A qualidade na saída em cruzamentos e o bom recurso de defesa com os pés são as principais características da joia do United.

Aaron Wan-Bissaka

Em fevereiro do ano passado, Roy Hodgson estava lidando com diversos jogadores lesionados em seu time, o que fez com que apostasse num jovem lateral da base do Eagles como titular em um jogo contra o Tottenham.

Apesar da derrota por 1 a 0, Wan-Bissaka fez uma excelente partida, sendo um muro impenetrável. As partidas seguintes vieram e as ótimas performances do lateral o fizeram ser o jogador do mês de março do time. E a titularidade foi mantida.

Foto: Getty

Wan-Bissaka é um defensor seguro, que domina bem as técnicas básicas de marcação e oferece velocidade ao time quando acionado. Apesar do Crystal Palace concentrar suas ações ofensivas pelo lado esquerdo do campo (com Wilfried Zaha), o lateral tem se aventurado mais em solo ofensivo e já registra uma assistência na Premier League.

Ele representa a Inglaterra sub-21 e muito se discute sobre uma possível convocação à seleção principal, além de uma transferência para um clube maior, inclusive do Big-Six. Sendo transferido ou não, Wan-Bissaka é a principal revelação da Premier League no momento.

Phil Foden

Foto: The Times

Talvez o melhor talento dessa geração inglesa. Phil Foden é um dos jogadores mais completos na sua idade. E tem como técnico um certo Pep Guardiola, crucial no desenvolvimento técnico, tático e psicológico desses atletas.

Foden chegou ao lado azul de Manchester aos oito anos e sempre foi tido como uma das grandes promessas do clube.

Com o passar dos anos, foi se destacando nas categorias de base e, em novembro de 2017, estreou no profissional num jogo de Champions League, diante do Feyenoord, onde o City ganhou por 1 a 0. O jovem meio-campista foi o quarto jogador inglês mais novo a jogar a competição, com 17 anos e 177 dias.

Com a camisa da Inglaterra, Foden ganhou a Copa do Mundo sub-17, marcando dois gols na final contra Espanha e, para completar, foi eleito o melhor jogador do torneio e também bola de ouro sub-17.

Foden é um meia criativo, driblador e que tem uma ótima consciência tática. Com o passar dos anos, tem tudo para se firmar de vez com no City, especialmente como substituto de David Silva, que tem uma idade avançada e deve deixar o clube nas próximas temporadas.

Ryan Sessegnon

Foto: Evening Standard

Sem dúvidas o nome mais falado dessa geração durante a temporada 2017/2018. Ryan Sessegon foi um dos grandes destaques no retorno do Fulham à Premier League. Seu desempenho foi tão bom, que, chegou a ser especulado no “big six”.

Sessegnon chegou ao Fulham em 2008, com oito anos de idade. E mesmo sendo lateral-esquerdo de origem, sua maior qualidade sempre foi o jogo ofensivo – guardada as devidas proporções, lembra o galês Gareth Bale.

Com um talento incrível, subiu para o time profissional aos 15 anos. Terminou sua primeira temporada com sete gols marcados em trinta jogos, excelentes números para um jogador tão novo. Seu talento já impressionava. Com 17 anos, assinou seu primeiro contrato profissional, válido até junho de 2020.

Pela seleção inglesa, foi convocado para a disputa da Eurocopa sub-19, e não decepcionou. A Inglaterra se sagrou campeã e Sessgnon ficou entre os destaques, com três gols marcados.

A temporada do Fulham na Premier League não é boa, proporcionando oscilações na carreira de Sessgnon. Porém, é bem provável que ele vá para algum clube maior, onde possa desenvolver suas habilidades e explodir de vez.

Walker Peters

Foto: eurosport

Se Kylie Walker, Kieran Trippier e Alexander Arnold dominam a lateral direita da seleção principal, esse setor deve ganhar ainda mais opções com o passar do tempo. Walker-Peters, jóia do Tottenham, é um dos grandes candidatos a essa vaga.

Walker-Peters chegou ao Tottenham em 2013, com seus 16 anos. Em dezembro de 2015, recebeu o prêmio de melhor jogador sub-21 do clube. Já mostrava um talento, que foi ainda mais reconhecido quando assinou seu primeiro contrato profissional com os Spurs, em 2017.

O jovem lateral tem como principal característica o apoio. É um jogador bastante ofensivo e com qualidade no cruzamento para servir os atacantes. Sua melhor partida foi durante o Boxing Day, contra o Bournemouth, onde Walker-Peters deu três assistências no primeiro tempo.

Ao fim do jogo, foi eleito o melhor jogador da partida, prêmio que ele conseguiu em duas partidas anteriores, diante de Leicester e Newcastle. Pela seleção inglesa, também teve ótima participação. Foi titular na equipe que conquistou a Copa do Mundo sub-20.

Com Trippier sendo titular absoluto da lateral direita e Aurier como reserva imediato, Walker-Peters acaba tendo poucas chances para jogar. Entretanto, o jovem lateral pode muito bem ser titular do Tottenham num futuro próximo.

Reiss Nelson

Foto: Getty Images

O Arsenal é dono de uma das maiores joias inglesas do mundo. Reiss Nelson, revelado pelos Gunners, é um ponta bastante promissor. Hoje, no Hoffenheim, busca amadurecer e evoluiu para voltar ao seu clube de origem e fazer história.

Nelson chegou no Arsenal com nove anos, e desde cedo, impressionou seus treinadores. Logo foi promovido para as categorias de cima, onde continuou se destacando. Em dezembro de 2016, no seu aniversário de 17 anos, assinou seu primeiro contrato profissional.

O ponta de 18 anos até fez algumas partidas pelo Arsenal, mas com a ampla concorrência nunca consegiu se firmar. Por isso, ele foi emprestado para o Hoffenheim, clube que é referência no desenvolvimento de jovens talentos como Nelson.

Nelson é um ponta rápido, habilidoso e com muito potencial. É um dos talentos mais promissores desta geração. Ao que tudo indica, deverá retornar ao Arsenal na próxima temporada, onde quer mostrar todo o seu potencial.

Lloyd Kelly

Foto: Bristol City

Por jogar no modesto Bristol City, Lloyd Kelly talvez seja o menos conhecido dessa lista. Entretanto, seu talento não deixa a desejar. É um dos grandes nomes para a lateral esquerda numa futuro bem próximo.

Kelly estreou pelo Bristol City em agosto de 2017, diante do Plymouth Argyle. Seu primeiro gol aconteceu em dezembro do mesmo ano, diante do Reading. A partir deste mês, ele começou a jogar com uma frequência maior e foi se firmando na titularidade.

Pela seleção inglesa, o lateral esquerdo segue muito prestigiado. Além de fazer parte do elenco sub-20, é o capitão da equipe. Kelly é um jogador muito rápido, que se destaca por suas chances criadas e os bons cruzamentos. Mas claro, seu desempenho defensivo também não deixa a desejar. Inclusive, por ser alto, o jogador pode até jogar na zaga.

Recentemente Kelly teve seu nome ligado ao Liverpool, mas até o momento não passa de rumor. Porém, o jogador deve se transferir para algum clube da Premier League em breve, tendo em vista que é um dos principais talentos dessa geraçao.

Por: Lucas Holanda e Matheus Santana