Steven Gerrard: 5 curiosidades sobre a lenda do Liverpool

Saiba alguns fatos interessantes sobre a lenda da camisa 8 dos Reds

Steven Gerrard: 5 curiosidades sobre a lenda do Liverpool
Laurence Griffiths Getty Images

Nesse sábado, 30 de maio, Steven Gerrard completa 40 anos de idade. Como comemoração dessa data, a PL Brasil listou curiosidades sobre a vida e carreira do lendário meio-campista do Liverpool.

Primo perdido na tragédia de Hillsborough

O vínculo entre Gerrard e o Liverpool foi moldado até mesmo compartilhando os piores momentos. Na tragédia de Hillsborough, acontecida em 1989, Stevie perdeu Jon-Paul Gilhooley, um primo próximo que foi a vítima mais jovem do ocorrido.

Em diversas entrevistas, o ex-capitão dos Reds diz que, assim como ele, Jon-Paul era um torcedor assíduo do Liverpool.

Assistir à catástrofe pela televisão e ter perdido um ente querido fez com que Gerrard sofresse muito no período. Ver os seus tios serem firmes inspirou-o não só na carreira como atleta, mas também na vida.

A perda pessoal fez com que o meia inglês ajudasse na consolidação da ideia de valorização das memórias das 96 vítimas e de suporte aos familiares por parte do clube.

Em sua segunda autobiografia, Gerrard finaliza o livro com a frase “Eu jogo por Jon-Paul”.

A quase transferência de Steven Gerrard para o Chelsea

A partir de 2003, com a chegada do investimento de Roman Abramovich, o Chelsea ampliou seu projeto de crescimento e conquistas no cenário do futebol inglês e internacional.

Com o potencial financeiro propiciado pelo dinheiro do russo, os Blues fizeram grandes contratações em diferentes temporadas.

Nesse mesmo período, o Liverpool não gozava de capacidade econômica para disputar os troféus com o Manchester United. A saída de Michael Owen, associada à complicada relação com o diretor executivo Rick Parry, colocava em cheque a permanência de Stevie.

Por outro lado, Mourinho fazia de tudo para levar o meia inglês. O português chegou a afirmar posteriormente que sonhava com um meio-campo formado por Makelele, Lampard e Gerrard.

Os rumores, iniciados em 2004, esfriaram com a chegada de Rafa Benítez que conseguiu manter o capitão do clube no plantel.

Steven Gerrard
Mike Hewitt Getty Images

Leia mais: Fábio Aurélio: “Liverpool x Everton é vida ou morte. Contra o United, não” 

Em meio aos boatos, mesmo que mais mornos, Gerrard protagonizou jogos marcantes contra os Blues. Na final da Copa da Liga de 2004/2005, fez um gol contra e o Liverpool saiu derrotado. No entanto, os Reds levaram a melhor na semifinal da Champions League.

Esperava-se que a especulação da transferência não ganhasse força novamente com a conquista da Champions League, mas não foi o que ocorreu.

A relação entre Gerrard e Parry rendeu um imbróglio na sua renovação de contrato. O scouser ficou insatisfeito e isso fez com que o Chelsea intensificasse as tratativas por ele.

Em certo momento, todos os veículos de imprensa já davam a transferência como sacramentada por algo em torno de 32 milhões de libras. Camisas de Gerrard eram queimadas pela cidade e torcedores chamavam-no de traidor. Em meio a novela, anunciou sua renovação de contrato por quatro anos, deixando todos surpresos.

Terceiro colocado no Ballon d’Or de 2005

Em contrapartida à consolidação da Bola de Ouro como o mais importante prêmio individual que um jogador pode atingir, os atletas que batem na trave dessa conquista – mesmo que com impressionantes temporadas – são costumeiramente esquecidos.

Esse é o caso de Steven Gerrard, o terceiro colocado na premiação de 2005 vencida por Ronaldinho Gaúcho e tendo Frank Lampard na segunda colocação.

O meia do Liverpool carregava consigo as credencias de campeão da Champions League e Supercopa da Uefa, além de ter sido o artilheiro do time na temporada correspondente à premiação.

Após a cerimônia do Ballon d’Or, da revista France Football, a lenda brasileira Pelé chegou a questionar a posição de Gerrard no pódio dizendo que as pessoas olhavam muito para os jogadores que se destacavam por marcar gols e que, na opinião dele, o camisa 8 dos Reds era o melhor jogador do mundo nos últimos cinco anos.

Esforço para atuar o máximo de jogos possível na temporada 2013/2014

make us dream gerrard amazon prime

Um dos principais tópicos abordados pelo documentário Make Us Dream, disponível na Amazon Prime, é a temporada 2013/2014 na qual o Liverpool terminou a Premier League como segundo colocado.

Após 15 anos de clube, convivendo com a pressão de ser a principal figura do time e um dos maiores de sua história, Stevie se animou com a equipe formada naquele ano. Nas temporadas anteriores, o clube acumulou resultados ruins, com elencos fracos.

Além da pressão popular, existia também uma cobrança pessoal de Gerrard sobre si mesmo para vencer o Campeonato Inglês. A última vez que o Liverpool venceu a competição foi em 1990. Esses fatores fizeram o inglês utilizar os mais diversos recursos para enfrentar as limitações físicas que a idade o impunha.

No documentário, Steven conta que, para superar as dores e fazer parte do máximo possível de jogos, realizou os mais diversos tratamentos como acupuntura e injeções de analgésicos, mas reconhece que não deveria.

Ironicamente, um de seus sacrifícios foi se submeter a uma anestesia epidural para aliviar dores nas costas. Dessa forma, pode atuar contra o Chelsea, o mais difícil dos últimos três confrontos de liga.

O destino foi ingrato, e o esforço de Steven foi retribuído com um escorregão que permitiu o primeiro gol dos Blues naquele jogo que se encerrou num 2 a 0. O lance certamente marcou o campeonato e o deixou taxado como o responsável pela posterior perda de título para o Manchester City.

O feito no clássico escocês

Para o fã de futebol internacional mais contido as cinco grandes ligas da Europa, talvez passe despercebido o promissor início de carreira que tem Steven Gerrard como técnico.

Comandando o Rangers, o ex-Liverpool turbinou a reestruturação do time que declarou falência em 2012.

Aliando o desenvolvimento de jovens como Ryan Kent e Alfredo Morelos e a experiência de Steven Davis e Jermain Defoe, Gerrard conseguiu diminuir a distância entre o clube e seu principal rival, o Celtic.

O maior símbolo do crescimento do Rangers e do trabalho positivo do ídolo dos Reds pode ser representado pela primeira vitória no derby de Old Firm depois da falência da instituição.

John Barnes: a exemplar história de um dos maiores jogadores ingleses 

O jogo que encerrou o jejum de mais de seis anos aconteceu no dia 30 de dezembro de 2018. Após o apito final, a torcida vibrou de forma impressionante com o resultado de 1 a 0 e o acirramento da briga pelo título.

Na atual temporada, o Rangers saiu vitorioso no último clássico de Glasgow vencendo dentro da casa dos adversários. A equipe era a segunda colocada, 13 pontos atrás do Celtic. No entanto, a liga encerrou a temporada antes dos jogos restantes e deu o título aos Hoops.

Já na Europa League, o clube perdeu o jogo de ida das oitavas para o Bayer Leverkusen por 3 a 1 no momento em que a competição foi interrompida.

De qualquer forma, a evolução gradual é notória e Steven Gerrard promete qualidade também na sua carreira como treinador.