‘Está longe do ideal’: Southgate explica escolha por Maguire e diz qual a maior carência da Inglaterra

5 minutos de leitura

O treinador da seleção da Inglaterra, Gareth Southgate, convocação na última quinta-feira (31) 26 jogadores para os jogos contra a Ucrânia e a Escócia, marcados para acontecer na primeira metade de setembro.

No mesmo dia em que anunciou os convocados, Southgate deu uma entrevista para explicar as escolhas. Estiveram entre os principais assuntos, por exemplo, a ausência de Raheem Sterling, que começou bem a temporada no Chelsea; a inclusão de jogadores que não têm muitos minutos na Premier League, como Harry Maguire e Kalvin Phillips; e a influência de jogadores selecionáveis que foram atuar na Arábia Saudita, como Jordan Henderson.

Os convocados de Southgate na seleção da Inglaterra:

  • Goleiros: Sam Johnstone (Crystal Palace), Jordan Pickford (Everton), Aaron Ramsdale (Arsenal)
  • Defensores: Ben Chilwell (Chelsea), Levi Colwill (Chelsea), Lewis Dunk (Brighton & Hove Albion), Marc Guehi (Crystal Palace), Harry Maguire (Manchester United), Fikayo Tomori (AC Milan), Kieran Trippier (Newcastle United), Kyle Walker (Manchester City)
  • Meio-campistas: Trent Alexander-Arnold (Liverpool), Jude Bellingham (Real Madrid), Conor Gallagher (Chelsea), Jordan Henderson (Al-Ettifaq), Kalvin Phillips (Manchester City), Declan Rice (Arsenal)
  • Atacantes: Eberechi Eze (Crystal Palace), Phil Foden (Manchester City), Jack Grealish (Manchester City), Harry Kane (Bayern Munich), James Maddison (Tottenham Hotspur), Eddie Nketiah (Arsenal), Marcus Rashford (Manchester United), Bukayo Saka (Arsenal), Callum Wilson (Newcastle United)

Por que Sterling não foi chamado?

A justificativa para Sterling não ser chamado, de acordo com o treinador, tem a ver com a ausência do atacante do Chelsea nas últimas convocações e a consolidação de quem estava na lista anterior. “Ele não estava disponível nas últimas duas convocações e isso deu a oportunidade para outros jogadores atuarem bem e se estabelecerem no grupo“, justificou ele.

— Não queria deixar ninguém de fora. É muito bom ver Raheem começar bem a temporada, ele parece estar em boas condições e, obviamente, é um jogador importante para nós. Foi uma escolha difícil e ele não está feliz com isso, mas não tenho dúvidas que terá uma excelente temporada com o Chelsea — ressaltou Southgate.

E por que Maguire e Kalvin Phillips entraram?

Harry Maguire, escanteado do Manchester United, foi o jogador mais contestado da lista pela imprensa da Inglaterra. Para incluí-lo, Southgate usou a justificativa da ausência de opções e da necessidade de experiência. Ele argumentou contra outros concorrentes: Tyrone Mings (Aston Villa) está fora da temporada por lesão, Eric Dier (Tottenham) não tem sido relacionado e Conor Coady (Leicester) agora joga na Championship.

— Olhando para todos os jogadores que foram convocados no setor durante os últimos anos, temos espaço livre no setor e, para esses dois jogos, é importante ter experiência nessa área do campo — disse o treinador.

Já sobre a inclusão de Kalvin Phillips, que tampouco vem tendo chances no Manchester City, o técnico disse que faltam opções alternativas a Declan Rice.

Kalvin é o melhor primeiro volante que temos fora o Rice. Henderson e Conor Gallagher podem jogar ali, mas não é a melhor posição para eles. Não temos muita profundidade nessa posição — completou ele.

No entanto, Southgate fez questão de destacar que “está longe do ideal o fato deles não estarem jogando muitos minutos no momento“.

A principal carência do elenco

Na mesma entrevista, Southgate deixou claro qual é, na sua visão, a principal carência da Inglaterra: a lateral-esquerda. Apenas Ben Chilwell foi chamado para a posição, apesar de Levi Colwill também poder jogar lá.

Não temos muitos laterais-esquerdos jogando no mais alto nível, ainda mais com a lesão de Luke Shaw. Talvez Tyrique Mitchell, Rico Henry, Ben Chilwell… Dan Burn é um zagueiro jogando como lateral no Newcastle — justificou ele.

Henderson na Arábia Saudita

O treinador também falou da influência do mercado da Arábia Saudita, que levou vários jogadores da elite europeia graças ao seu investimento bilionário durante a última janela de transferências. Um deles foi o volante Jordan Henderson que, apesar de agora atuar no Al-Ettifaq, continua na lista da Inglaterra.

A chave para a sua convocação vai ser a intensidade da liga por conta do calor. Isso precisa ser considerado. Claramente o nível da liga está mudando e outros países terão o mesmo problema, mas não acho que eles vão deixar de convocar jogadores (que atuam por lá).

Novo desafio fará bem a Kane, segundo Southgate

Outra referência da Inglaterra que mudou de clube na janela foi o artilheiro Harry Kane, que deixou o Tottenham pelo Bayern de Munique por 100 milhões de euros. Na opinião de Southgate, a mudança fará bem ao artilheiro.

Eu vejo a mudança de forma positiva, como um novo desafio para ele e também sob uma perspectiva de experiência de vida. Vai viver numa cultura e país diferente, o que é brilhante para o seu desenvolvimento pessoal e familiar — garantiu ele.

Próximos jogos

A Inglaterra enfrenta a Ucrânia no sábado (9), às 13h (horário de Brasília), pela quinta rodada das Eliminatórias da Eurocopa. Três dias depois, tem um amistoso contra a Escócia, em Glasgow, às 15h45 (horário de Brasília).

Diogo Magri
Diogo Magri

Jornalista formado pela ECA-USP, campineiro e repórter na PL Brasil. Passagens por EL PAÍS, Revista Veja e Futebol Globo CBN.

Contato: [email protected]