Solskjaer já fez tudo que podia no Manchester United

Em processo de reconstrução, o clube precisa de um novo técnico

1
129
Solskjaer já fez tudo que podia no Manchester United
Alex Livesey/Getty Images Sport

Era 19 de dezembro de 2018, o Manchester United anunciou a chegada do ídolo Ole Gunnar Solskjaer como treinador interino da equipe. Um dia antes, o português José Mourinho, hoje no Tottenham, havia sido demitido do clube.

Siga a PL Brasil no Youtube

10 JOGADORES QUE ESTÃO SURPREENDENDO NA PREMIER LEAGUE

Oficialização e queda no desempenho

Aproximadamente três meses depois de chegar aos Red Devils, o técnico norueguês foi oficializado em Old Trafford, com contrato de três anos. Após bons resultados, a histórica classificação em Paris contra o PSG e a aparente recuperação de peças importantes, Solskjaer mostrava que poderia ser o nome certo para o time.

Entretanto, as coisas não aconteceram da forma que a direção do United esperava. Depois da efetivação, ainda em 2018/19, os resultados deixaram de acontecer e a equipe não alcançou a classificação para a Champions League.

Solskjaer comemora classificação contra PSG.
Julian Finney/Getty Images Sport

Leia mais: Rashford vive fase artilheira e se torna protagonista

Temporada 2019/2020

Para 2019/20, o norueguês seguiu no comando e foi um dos responsáveis pelas chegadas de Maguire, Wan-Bissaka e Daniel James. Além da contratação de novos nomes, deu aval para saída de nomes como Lukaku, Alexis Sánchez e Smalling.

A atual temporada passa longe de ser a ideal. Aparentemente, Solskjaer já fez tudo que podia e não tem mais cacife de fazer algo diferente. Mesmo que peças como Rashford, McTominay e Fred façam grandes temporadas, o conjunto da obra não é nada animador para os torcedores do Manchester United.

Leia mais: A volta por cima de Fred no Manchester United

Embates contra o Big Six

É justo a pontuação de que contra as equipes do Big Six, o time de OGS ia bem. Como foi contra o Liverpool em Old Trafford, quando quase venceu o líder e diante do City no Etihad, na vitória por 2 a 1.

No entanto, deixou de mostrar imposição em outros jogos contra os grandes. Por exemplo, na derrota por 2 a 0 para o Arsenal e no revés contra os Citizens na Copa da Liga, dentro de casa.

Solskjaer e Guardiola a beira do campo.
Michael Steele/Getty Images Sport

Leia mais: McTominay: a peça fundamental no meio-campo do Manchester United

Números negativos

Na atual Premier League, o Manchester United disputou 72 pontos possíveis e conquistou apenas 34. Ou seja, menos de 50%. Para ser exato, a equipe tem 47,22% dos pontos disputados. É o pior início de campeonato dos últimos 30 anos.

Em 2019/20, os Red Devils perderam para seis equipes da metade inferior da Premier League. O time foi derrotado por Burnley, Watford, Bournemouth, Newcastle, West Ham e Crystal Palace.

O último revés foi para o Burnley, time comandado por Sean Dyche e que ocupa a 13ª posição. A equipe de Dyche não marcava um gol no primeiro tempo da PL por 11 jogos seguidos e precisou de 39 minutos contra o United. A última vitória do Burnley em Old Trafford tinha ocorrido no longínquo 1962.

Leia mais: O caminho do gol: Como os gols são construídos na Premier League?

Desempenho

O United de Solskjaer até demonstrou que podia ter um padrão, mas jogo a jogo esse padrão torna-se mais difícil de ser identificado por torcedores e analistas. A equipe tornou-se dependente do brilho de Rashford, visto que não possui uma peça no meio-campo capaz de fazer o jogo ser gerado depois da bola passar por McTominay e Fred, que como dito antes vêm fazendo boas temporadas.

Sem Rashford, o ataque vira um problema. Como também é a defesa. O time sofreu nove gols de bola parada na temporada na PL, mais do que qualquer outro time. E nos últimos dez jogos, marcou apenas na metade com somente três jogadores (Rashford, Martial e Greenwood) indo às redes.

O treinador norueguês erra na escalação e nas alterações, além de apostar em peças que já demonstraram não ter competência de estarem no elenco do United. A insistência em jogadores como Jesse Lingard e Phil Jones assusta.

Leia mais: Mason Greenwood: como a joia inglesa pode ajudar o Manchester United

Continuidade na reconstrução do clube

O Manchester United passa por um momento de reconstrução pelo qual o Liverpool também passou. Hoje os Reds colhem os frutos de todo o processo. Talvez Solskjaer já tenha encerrado sua missão no processo dos Red Devils e seja hora de outro técnico assumir o comando do clube.

Pelo que circula na imprensa europeia, os nomes que mais agradam a cúpula do United são Massimiliano Allegri, multicampeão com a Juventus na Itália, e Mauricio Pochettino, que deixou o Tottenham no final de 2019.

Pochettino nos tempos de Tottenham.
Ian Kington/AFP

1 COMENTÁRIO

  1. Descordo totalmente uma reconstrução leva tempo e o united precisa de varias peça. Primeira janela reforça a defesa que era uma peneira trouxe um otimo zagueiro e um otimo lateral direito, revelou jogadores como alex zagueiro e brandon willians prata da casa, meio campo fez fred recuperar seu bom futebol e mactoming evoluir , mais não tem reservas de nivel para esses jogadores. O meio campo criativo o mata ta em final de carreira parece vagalume e o andreia e lingard não tem qualidade para ser esse jogador, setor sem nenhuma peça de nivel. O ataque tem um bom ataque titular duas joias jovens como greenwood e james, mais não tem no elenco atacante para fazer sombra aos titulares e brigar por posição hoje. Resumo tem um elenco mediano na europa league. As criticas o treinador Ole indentifia o problema e a diretoria não contrata os jogadores pedicos como bruno fernandes, van de beek, soumare do lille e timo verne ou lautaro. O problema e o treinador ou o elenco que e deficiente para a premier league, o treinador não e mágico não da para tirar o que certos jogadores não tem. O problema esta no ed woodward e nos glazes até a torcida já percebeu, não vai adiantar trocar de treinador , pois o elenco será o mesmo e a diretoria não dara respaldo como faz com o Ole .

Comments are closed.