A primeira e nada amigável passagem de Solskjaer como treinador na Premier League

Relembramos o período do norueguês no comando do Cardiff City

A primeira e nada amigável passagem de Solskjaer como treinador na Premier League

Muitos podem não se recordar, mas Ole Gunnar Solskjaer teve uma passagem como técnico da Premier League há alguns anos, no comando do Cardiff City. Solskjaer atravessou inúmeros problemas treinando a recém-promovida equipe galesa, na temporada 2013/14.

Aposentadoria, Manchester United Reserves e Molde

Solskjaer sempre foi lembrado como um super substituto, um 12º jogador que muitas vezes entrava e decidia jogos difíceis para os Red Devils.

A grande lembrança dos torcedores é da decisão da Champions de 1999, quando substituiu Andy Cole e marcou o gol do título.

Dois minutos antes, Teddy Sherringham, outro jogador que veio do banco de reservas, havia marcado o gol de empate, também nos acréscimos.

Após 11 anos no clube, o norueguês se aposentou em 2007 por conta de problemas físicos, continuando no clube como embaixador. Se tornando treinador dos atacantes do Manchester United na temporada 2007/08, Solskjaer inicia sua jornada que o levaria em maio de 2008, a treinar a equipe reserva do clube.

Com a demisão de Åge Hareide da seleção da Noruega, o cargo fora oferecido a ele, que optou por não aceitar, afirmando não estar preparado ainda para tamanha responsabilidade.

Em novembro de 2010, aceita a proposta do Molde, clube norueguês para se tornar treinador efetivamente da equipe em janeiro de 2011 (vale lembrar que a temporada na Noruega é diferente da europeia, por ser anual) com o grande objetivo de conquistar o campeonato nacional.

(Foto: Ian MacNicol/Getty Images)

Leia mais: Copa da Inglaterra 2001: quando Owen destruiu o Arsenal e o Liverpool foi hexa

No Molde, clube que o projetou para o futebol inglês, conquistou por duas vezes a Tippeligaen (2011 e 2012), além da Copa da Noruega em 2013. Em 2012, por pouco não assumiu o Aston Villa após a demissão do escocês Alex McLeish.

O retorno de Ole ao futebol inglês se deu em 2014, mas não da forma que ele provavelmente imaginava.

O desastroso Cardiff de Solskjaer

Malky Mackay era o treinador escocês responsável por colocar a equipe galesa pela primeira vez na Premier League, após o título da Championship na temporada 2012/13.

Apesar de tudo, Vincent Tan, proprietário do clube, fez diversas críticas sobre suas contratações, transferência no verão e sobretudo em relação a seus resultados e estilo de jogo, abaixo do esperado.

Em dezembro de 2013, Tan pediu a Mackay que se demitisse, o que veio a ocorrer quase no final do mesmo mês, após derrota em casa por 3 a 0 diante do Southampton.

Apesar de ocuparem a 16ª colocação, duas acima da zona de rebaixamento, apenas um ponto à frente do Fulham.

Mackay guiou a equipe do Cardiff ao título da Championship na temporada 2012/13. (Foto: Matthew Lewis/Getty Images)

Leia mais As origens da icônica narração esportiva inglesa

David Kerslake assumiu interinamente a equipe por duas rodadas, até a chegada de Solskjaer em janeiro de 2014. Na 20ª rodada os Bluebirds estavam na 17ª colocação, um ponto acima do Crystal Palace, primeira equipe da zona para a Championship.

Com apenas 4 vitórias na liga até então, o norueguês surgiu como uma possibilidade para que a equipe conseguisse se salvar da degola, porém, o potencial do treinador não foi mostrado nas rodadas seguintes da Premier League.

Foram três derrotas consecutivas (West Ham, Manchester United e Manchester City) e a primeira vitória só viria em março, diante do Fulham.

Além dela, só mais uma diante do Southampton na 36ª rodada, quando os Bluebirds eram lanternas com 30 pontos e necessitavam de um milagre improvável para permanecer na elite, o que não veio a ocorrer.

12 derrotas, 3 vitórias e 3 empates, esse foi o balanço da meia temporada de Solskjaer no Cardiff pela Premier League.

Solskjaer em Old Trafford como treinador do Cardiff. Time foi derrotado por 2 a 0. (Foto:Michael Regan/Getty Images)

Leia mais 10 celebridades que tentaram jogar em clubes ingleses

Contrariando as expectativas, Vincent Tan o manteve no cargo. O Cardiff tinha bom elenco para jogar a Championship e era cotado como um dos candidatos ao retorno à elite do futebol inglês.

O time para a temporada seguinte se manteve quase inalterado para a segunda divisão, inclusive contando com a chegada do atacante austríaco Guido Burgstaller, grande esperança de gols (e que só faria três partidas pela Championship, antes de ser contratado pelo Nuremberg) e que até hoje é considerado uma das piores contratações da história do clube.

O início de Championship em 2014/15 parecia promissor até a terceira rodada, quando os Bluebirds venceram o Wigan. Depois disso, o time emplacou uma sequência de quatro jogos sem vitória, incluindo derrotas para Middlesbrough, Norwich e Wolverhampton, além de um empate diante do Fulham.

Na 14ª colocação e sem boas perspectivas para permanecer no clube, Ole foi demitido dos Bluebirds. Seu aproveitamento foi de 30%, com 9 vitórias, 5 empates e 16 derrotas em 9 meses no comando do clube.

A derrota diante do Middlesbrough e o início irregular na Championship, culminaram na demissão do norueguês (Foto: Stu Forster/Getty Images)

Recomeço no Molde e consolidação no Manchester United

Após retornar ao Molde em 2015, mesmo sem conquistar nenhum título desde então, o norueguês recolocou a equipe na luta pelo título, da agora Eliteserien. Foram dois vice-campeonatos nas duas últimas temporadas.

Com a demissão de Mourinho e sua contratação como treinador interino até o final da temporada (com seu auxiliar Erling Moe assumindo o Molde), o norueguês recuperou a boa forma de jogadores importantes do Manchester United. Curiosamente, seu primeiro jogo ao retornar a Premier League foi diante do Cardiff City e Ole não decepcionou, goleando o ex-clube por 5 a 1.

Contra o PSG, mais uma remontada em uma competição europeia, dessa vez, como treinador (Foto: Julian Finney/Getty Images)

O animador recomeço do Manchester United sobre sua tutela mostram que efetivá-lo no clube seria uma decisão acertada.

Após o fiasco em Cardiff, Ole finalmente vive dias de sucesso em Manchester, tal qual nos tempos áureos de super substituto.

Leia mais Van Nistelrooy: glória no United como um dos melhores atacantes da Europa

Um dos grandes méritos de Solskjaer na temporada, foi recuperar o melhor futebol de Paul Pogba (Foto: Gareth Copley/Getty Images)