‘Socos, arranhões e mordidas’: O caso do jogador que foi condenado à prisão mas continua atuando na Championship

6 minutos de leitura

No mês passado, um tribunal na Bélgica considerou Ilias Chair, meia marroquino do Queens Park Rangers, da Championship, culpado de uma agressão e impôs uma sentença de prisão de dois anos. No entanto, ele continua jogando em uma das ligas de futebol mais assistidas do mundo.

Chair chegou ao clube em 2017, aos 19 anos. Desde 2020, é o jogador do QPR com mais participações em gols — mas também foi nesse ano que ocorreu o incidente, na Bélgica, que teve “socos, arranhões e mordidas”, e acabou com uma vítima com uma fratura craniana grave. Segundo a justiça belga, Chair foi o responsável pela agressão com uma pedra.

O caso de agressão

O site inglês “The Athletic” relembrou o caso. Chair, então com 22 anos na ocasião, estava de férias depois do fim da temporada com o QPR. Ele viajava em grupo na Floresta das Ardenas, no sul da Bélgica. A excursão terminou na vila francesa de Bazeilles, na fronteira entre os dois países.

Depois, o jogador e seus amigos deveriam pegar um ônibus para voltar à Bélgica. A suposta vítima, um homem identificado como Niels T, estava esperando o mesmo ônibus, com sua irmã e outro amigo.

Um membro do grupo de Chair, chamada Nora H, se colocou na frente do grupo de Niels T, alegando que, como eles haviam acabado de perder um ônibus anterior, deveriam passar na frente de Niels.

Leicester City v Queens Park Rangers – Sky Bet Championship – King Power Stadium
Foto: Icon Sport

Por conta disso, começou uma discussão, que se intensificou. De acordo com o promotor público da Bélgica, houve “socos, arranhões e mordidas”. Segundo o processo, depois da discussão Niels T estava caído no chão com uma fratura craniana grave.

Ele foi imediatamente levado ao hospital em estado crítico. A vítima afirma que ainda vive as consequências do incidente, tendo sido forçado a abandonar seu emprego de motorista de caminhão.

O promotor público belga afirma que foi Chair quem desferiu o golpe, atingindo Niels T na cabeça com uma pedra. O meia do Queens Park Rangers mantém sua inocência e negou, por meio de seu advogado, que tenha sido ele quem agrediu o homem.

Em 22 de fevereiro, o tribunal sentenciou o meia marroquino, que foi considerado culpado e condenado a dois anos de prisão. Ele também deveria pagar 15 mil euros à vítima.

Por que Chair ainda está jogando na Championship?

O incidente foi investigado pela polícia belga ao longo dos anos. Posteriormente, foi de um caso civil para um criminal, onde o estado belga tentava processar o jogador do QPR.

No tribunal, em janeiro, o promotor público argumentou que Chair não havia cooperado adequadamente com a investigação:

— Ilias Chair foi convidado para interrogatório várias vezes, mas seus advogados sempre afirmaram que ele não podia vir para a Bélgica. Suas atividades como jogador de futebol profissional tornariam impossível interrogá-lo. Um ano depois, ele enviou uma declaração por escrito — disse o promotor em um tribunal.

Apesar da sentença, Chair, que estava na Bélgica para as audiências finais, foi autorizado a retornar à Inglaterra no mesmo dia, pois precisaria comparecer a um evento em Londres. Ele então treinou com o QPR e jogou contra o Rotherham United no dia seguinte, concorrentes diretos na luta contra o rebaixamento.

Para torcedores e torcedores neutros, sua presença em campo trouxe confusão. Por que e como ele estava livre para jogar depois de ser considerado culpado e condenado à prisão?

A lei que explica o caso

Na lei belga, aqueles condenados por um crime têm o direito de apelar. Se isso for feito rapidamente, logo após a sentença inicial, na maioria dos casos o suposto infrator está livre para continuar sua vida normal até que o processo legal seja finalizado.

No caso de Chair, espera-se que esse processo continue por aproximadamente mais um ano — durante esse tempo, estará livre para jogar futebol. No dia seguinte à condenação, o QPR emitiu um comunicado na tentativa de esclarecer a situação.

— O clube está e esteve em contato regular com a equipe jurídica de Ilias Chair em relação a uma acusação de agressão feita contra ele. O processo legal ainda não chegou à sua conclusão. Como tal, o clube não fará mais comentários neste estágio.

Nesse caso, o QPR entende que o meia não pode ser considerado culpado de um crime até que o processo legal seja concluído. Por isso, ele permanece disponível para jogar.

Nas duas primeiras partidas desde a divulgação da sentença inicial, Chair contribuiu com uma assistência na vitória por 2 a 1 contra o Rotherham e marcou o gol de abertura na vitória fora de casa contra o líder da Championship, o Leicester.

Guilherme Ramos
Guilherme Ramos

Jornalista pela UNESP. Escrevi um livro sobre tática no futebol e sou repórter da PL Brasil. Já passei por Total Football Analysis, Esporte News Mundo, Jumper Brasil e TechTudo.

Contato: [email protected]