Site expõe bastidores de crise do Chelsea, cita Thiago Silva e revela arrependimento de reforços

6 minutos de leitura

Menos de um ano após a demissão de Graham Potter no Chelsea, duas derrotas duras na Premier League foram o suficiente para pressionar não só o técnico Mauricio Pochettino, mas todo o projeto liderado pelo dono Todd Boehly.

E além das críticas ao treinador e ao proprietário do clube, alguns jogadores recém-chegados ao clube mostraram arrependimento por assinar contratos tão longos e não acreditam mais no “grande projeto” que lhes foi apresentado, segundo o “The Athletic”.

Thiago Silva tem pouca influência no elenco

Em tempos passados, a ideia de uma temporada do Chelsea saindo dos trilhos sob a liderança de um treinador pouco convincente teria provocado uma conversa entre as estrelas veteranas do clube, referidas pelo ex-jogador John Obi Mikel como “os caras grandes” na sua época: John Terry, Frank Lampard, Didier Drogba e Petr Cech.

Todos tinham a atenção de Abramovich e, quando ele buscava opiniões em momentos de crise, suas avaliações invariavelmente tinham mais peso. Mas, agora, quem se qualificaria como “os caras grandes” neste elenco do Chelsea?

Thiago Silva pode ser o único “e sua esposa Belle é mais vocal publicamente do que ele”, diz o The Athletic. O tweet dela pedindo mudanças durante a derrota para o Wolves não foi deletado e é difícil evitar a conclusão de que o alvo principal de sua crítica foi Pochettino.

Thiago Silva Chelsea
(Foto: Icon Sport)

A tensão em campo entre o brasileiro e seu treinador tem sido um tema recorrente nos últimos meses. No segundo tempo da vitória por 4 a 1 sobre o Tottenham em novembro, Pochettino passou boa parte da comemoração de um gol envolvido em uma discussão prolongada e animada com o veterano de 39 anos.

Uma troca semelhante quase aconteceu quando Cole Palmer comemorou abrindo o placar contra o Wolves no domingo. Pochettino, visivelmente agitado, tentou chamar a atenção de Thiago Silva na linha do meio-campo, mas eventualmente teve que chamar Enzo Fernandez para transmitir uma mensagem depois que o defensor veterano não ouviu ou simplesmente não reconheceu.

Apesar de liderar todo o elenco do Chelsea em minutos jogados na Premier League nesta temporada, o The Athletic afirma que o brasileiro não tem a influência nos níveis mais altos do clube para provocar a saída de Pochettino.

Esta provavelmente será sua última temporada em Stamford Bridge, em parte porque seu contrato está chegando ao fim e em parte porque suas limitações físicas estão sendo exploradas com crescente frequência por atacantes muito mais jovens e rápidos.

Além dele, este é um elenco jovem e inexperiente que passou longos períodos desta temporada sem o capitão (James) e o vice-capitão (Ben Chilwell) devido a lesões. Isso dito, a alta cúpula do clube não sente que o time está lutando porque o elenco carece de experiência.

Bastidores de um Chelsea ‘inexperiente e arrependido’

No entanto, apesar de ter jovens jogadores, carência de experiência pode não ser uma “desculpa” em um elenco cheio de jogadores com longas passagens por seleção. Sterling e Chilwell são dois dos membros mais antigos do grupo, enquanto Enzo Fernández é um campeão da Copa do Mundo, por exemplo.

A crise de lesões parece finalmente estar diminuindo, mas, nas últimas semanas, Pochettino enfatizou o desafio de fazer com que jogadores recuperados voltem à forma máxima em meio a jogos competitivos. Christopher Nkunku, apesar de lampejos de qualidade, ainda não está atuando com capacidade total.

Não é uma revolta, mas há uma visão dentro do Chelsea de que o atual grupo titular está cheio de direitos e com “falta de fome” em alguns setores. Segundo o The Athletic, alguns dos novos jogadores expressaram privadamente arrependimento pelos contratos de longo prazo que assinaram e não veem o grande projeto que lhes foi vendido inicialmente.

Jogadores com contratos longos no Chelsea

  • Enzo Fernández – 9 anos
  • Moises Caicedo – 8 anos
  • Benoit Badiashile – 8 anos
  • Mykhailo Mudryk – 8 anos
  • Nicolas Jackson – 8 anos
  • Noni Madueke – 8 anos
  • Malo Gusto – 8 anos
  • Andrey Santos – 8 anos
  • Wesley Fofana – 7 anos
  • David Datro Fofana – 7 anos
  • Cole Palmer – 7 anos
  • Robert Sánchez – 7 anos
  • Lesley Ugochukwu – 7 anos
  • Romeo Lavia – 7 anos
  • Djordje Petrovic – 7 anos
  • Deivid Washington – 7 anos

Adicionada a isso a inconsistência natural da juventude, a pressão de grandes valores de transferência e o crescente desdém de seus torcedores, e “o resultado é uma mistura tóxica”, como descreve o site.

O mercado do Chelsea

Houve certa relutância do Chelsea em entrar no mercado de transferências em janeiro, com a implicação de que eles estavam lutando para cumprir as regras de lucro e sustentabilidade da Premier League (PSR).

No entanto, o Chelsea fez lances por jogadores, incluindo o altamente avaliado Antonio Nusa, do Club Brugge, que era alvo do Tottenham e viu uma mudança proposta para o Brentford desmoronar na semana passada.

Segundo o The Athletic, essa falta de reforços não foi vista como desastrosa — inclusive, planos já estão sendo elaborados para contratações no verão, uma indicação de quão confiantes estão em relação à sua posição no PSR.

pochettino chelsea
(Foto: Icon sport)

“Jogadores sairão”, diz o site, mas o Chelsea não precisa vender para comprar. O número de entradas e saídas deve ser menor do que no verão de 2023 (quando fizeram mais de 30 negócios, incluindo empréstimos), pois o clube acredita que a maior parte da reestruturação do elenco da era Abramovich foi concluída.

Uma fonte explicou ao The Athletic que a ideia dos Blues desde o início era construir um elenco pronto para aproveitar o momento em que Pep Guardiola e Klopp deixassem seus cargos no Manchester City e no Liverpool, respectivamente. No entanto, sempre houve a ideia de que o time mais jovem da Premier League precisaria de tempo para crescer junto.

A decisão de Klopp de deixar o Liverpool no final desta temporada veio mais cedo do que o previsto. O contrato de Guardiola expira no próximo ano e, embora o treinador de 53 anos tenha indicado que está disposto a assinar uma extensão, o Chelsea acredita que há uma boa chance de ele não o fazer. Aí está a esperança deles.

Guilherme Ramos
Guilherme Ramos

Jornalista pela UNESP. Escrevi um livro sobre tática no futebol e sou repórter da PL Brasil. Já passei por Total Football Analysis, Esporte News Mundo, Jumper Brasil e TechTudo.

Contato: [email protected]