Sandy Turnbull, a referência polêmica de Manchester que morreu na Primeira Guerra Mundial

Conheça essa incrível história do futebol inglês

0
247
sandy turnbull manchester

Nos dias de hoje não é difícil encontrar jogadores que saem do seu local de conforto, que é o campo, para se expressar. Seja por razões ambientais, políticas, os atletas aproveitam sua forte imagem para expressar opiniões em que buscam impactar e resultar em melhorias. Uma das figuras que foi pioneira desse movimento de jogadores que não se contentam em apenas jogar, e é pouco conhecida, foi o escocês Alexander Turnbull, o famoso e polêmico Sandy Turnbull.

Origem de Sandy Turnbull

Voltemos a mais de um século para saber a história desse jogador que marcou o início do dois times de Manchester e morreu na Primeira Guerra Mundial.

Alexander “Sandy” Turnbull nasceu no dia 30 de julho de 1884 na humilde Hurlford, na Escócia. Alex foi o segundo de sete filhos. Casou-se com Florence Amy, parceira que teve quatro filhos: Alexander Jr., Irene, James e Ronald.

Alexander e Ronald tentaram seguir o caminho do pai em 1932, quando assinaram com o Manchester United. Contudo, foram dispensados antes mesmo de terem oportunidade de jogar.

Sua carreira começou cedo. Aos 14 anos, já jogava bola aos sábados em um clube local, Hurlford Thristle. Quando completou 16, já era o ganha-pão da família, sendo listado como “uma mina de carvão”.

Aos 17, assinou seu primeiro contrato com o Manchester City, em que receberia três libras por semana.

No lado azul de Manchester, o jogador não teve momentos tão grandes quanto no lado vermelho. Dois anos após sua chegada, 1904, venceu a FA Cup, seu primeiro título de relevância. Por lá, começou sua amizade com um dos melhores jogadores da época, o também atacante, Billy Meredith.

Leia mais: 10 times com mais jogadores brasileiros na história da Premier League

Turnbull, o segundo, da direita pra esquerda, da fileira inferior com seu primeiro título profissional. (Foto: Football And The First War/Reprodução)

Billy tinha de tudo para ser a imagem perfeita que Sandy precisava para o seu início de carreira, uma espécie de tutor. Na época em que o esporte começava a nascer, era o melhor. No City, já eram oito anos de casa. Os dois criaram uma forte relação. Em campo, parecia ser o ideal, mas fora dele, nem tanto.

Banido do City e ida para o United

Quatro anos após a conquista da FA pelo City, Meredith admitiu estar envolvido com um esquema ilegal de pagamentos extras do City, que era ilegal na época. O caso tomou grandes proporções e foi provado que a equipe pagava a mais para diversos jogadores. 17 acabaram sendo banidos do clube, entre eles, Sandy Turnbull.

Vendo a casa cair, o Manchester United soube se aproveitar. Com a polêmica, os Diabos Vermelhos o contrataram. De brinde, seu amigo, Billy, veio junto. Era ali que começava a se formar a grandiosa história do Manchester United.

O começo não poderia ter sido melhor. Sandy fez parte do início do Manchester United, que até 1902, era conhecido como Newton Heath LYR Football. Sua maior conquista veio em 1910, quando o time se mudou para seu novo estádio, Old Trafford.

Turnbull deixou seu nome marcado na história ao ser o primeiro jogador a marcar um gol em Old Trafford.

Seu primeiro título foi também o primeiro título de liga da história do time. Na temporada de 1907/08, vinha sendo o destaque da equipe, tendo seu melhor ano da carreira, com mais de 20 gols.

A temporada ficou marcada pelo jogador marcar dois gols contra o ex-clube e acabar sendo expulso. Foi a primeira expulsão em um Manchester Derby.

Também foi responsável pelo primeiro título de FA Cup dos Diabos. A temporada era a de 1908-09 e o jogador chegou lesionado para a final contra o Bristol City.

Leia mais: A história do último rebaixamento do Manchester United

Momento do gol de Turnbull que deu o primeiro título de FA Cup para o United. (Foto: Football And The First War/Reprodução)

Apesar de não estar 100%, uma bela história sempre merece um final feliz. Em um gol típico de atacante oportunista, Sandy Turnbull pegou o rebote de um chute de Harold Halse e mandou para a rede. Era o gol do título.

O gol do título da FA fez com que ele atingisse outra conquista pessoal: o primeiro jogador do United a ter uma música própria criada pelos torcedores.

“Why we thought you were ‘crocked’

Dashing Sandy,

That to fame your road was blocked,

Hard Lines Sandy,

But you came up to the scratch,

Made an effort for THE match…

When Halse hit the shiv-ring bar,

Lucky Sandy

There were groans heard near and far,

Deep ones, Sandy

But the ball was on the bound,

And your boot was safe and sound,

When the net your great shot found,

Champion Sandy…”

Embate com associação

O jogador tinha um belo caminho pela frente em Manchester. Contudo, o sucesso e conforto nem sempre pareciam ser o que ele tinha como objetivo de vida. Na temporada seguinte à conquista histórica, começava-se a ver um novo Sandy Turnbull.

As manchetes mostravam que, liderados pelo atacante, jogadores faziam reivindicações contra a recém-formada Association Footbal Players Union. Tal associação foi criada em 1907 e ditava as regras do futebol da época, dentre elas a que mais importava: o salário de jogadores.

Atletas eram obrigados a renovar com a União ou teriam seus registros cancelados. Muitos renovavam por medo. Contudo, foi em 1909 que o time inteiro do United, liderado por Sandy e Charlie Roberts, capitão do time, se recusou como forma de protesto.

Eles foram punidos pelo clube, mas seguiam treinando em campos locais. Eram os “Exilados Football Club”.

Leia mais: Conheça Joelinton, a contratação mais cara da história do Newcastle

Os exilados mudaram o futebol até os dias de hoje. (Foto: Football and History/Reprodução)

Felizmente, os Exilados fizeram sucesso. Jogadores de outras equipes abraçaram a causa e a liga não teve outra opção ao não ser deixar de resistir. Os resultados foram imediatos. Em 1909, o salário máximo dos jogadores saiu de três libras para quatro libras.

Os jogadores perceberam que poderiam ir mais longe, ganhar mais e atingir mais pessoas. Com a crescente do esporte, era a hora de crescerem também. O episódio serviu de inspiração para a abolição de valor máximo de jogadores em 1960. A Boseman Ruling, em 1995.

Depois da situação extracampo, Sandy teve mais uma boa temporada na carreira, que foi a de 1910-11. Na ocasião, o atacante contribuiu com 18 gols para chegar ao seu segundo título nacional em três anos.

Nas quatro temporadas seguintes em que teve pelo United, Turnbull marcou 27 gols. Um bom número, mas para ele, era normal alcançar essa marca em apenas uma temporada, quiçá duas. Sua queda culminou com um evento que teve impacto bem maior do que poderia se imaginar, a Primeira Guerra Mundial.

Servindo o Exército

A guerra começou em 1914, ano em que parecia predestinado que a carreira do jogador chegasse ao fim. Era o começo do fim de um grande jogador.

Tudo começou em 1912, quando o treinador Ernest Mangnall saiu do United para comandar o City. A equipe ficou em quarto na temporada seguinte, contudo, nas outras duas, terminou em 14º e 18º. Na temporada em que o time ficou em 18º, 1915, um escândalo de manipulação de resultados tomou conta da Inglaterra.

Turnbull, outros três jogadores do United e quatro do Liverpool, combinaram uma vitória dos Red Devils em Old Trafford.

A investigação da época mostrou que pelo menos três jogadores do United, entre eles Turnbull, se encontraram duas vezes com Jackie Sheldon, capitão do Liverpool. No dia que antecedeu a partida, os jogadores apostaram 7-em-1 no placar de 2 a 0 para o time da casa. Os jogadores acabaram banidos do time no mesmo ano. A carreira de Sandy estava com seus dias contados.

Movidos pela Guerra, os noticiários motivavam os cidadãos a se alistarem para ajudar no grande confronto. Em 1916, o incansável Sandy decidiu que era a vez de mudar da grama verde para a lama das trincheiras, se alistando para o Regimento de Middlesex.

A foto abaixo foi a última dele. Com amigos de guerra, fazia um churrasco e, algo raro era notado: estava sorrindo. Ele nunca sorria para fotos.

Captura e morte 

Em trincheiras de guerra, Sandy Turnbull, à direita do cozinheiro, e amigos conseguiam se distrair. (Foto: Football And The First War/Reprodução)

Sua morte não foi confirmada pelo fato de que seus registros militares foram destruídos durante a Segunda Guerra Mundial, em um bombardeiro ocorrido em Londres. Seus outros registros também foram destruídos quando Old Trafford foi bombardeado em 1941.

Com poucas informações, é sabido que ele foi transferido para o oitavo batalhão do Regimento de East Surrey, por lá, os soldados jogavam futebol. Os diários oficiais diziam que o tal batalhão venceu todas as partidas antes da final de divisão. Coincidência ou um dos melhores jogadores da época estava “brincando” por lá?

O jornal The Manchester Guardian relatou que, em 1917, o jogador estava sendo feito de prisioneiro e que a informação tinha enviada para sua esposa, em Manchester, por um de seus comandantes.

“Estou escrevendo para tentar explicar o que aconteceu com seu querido marido, Alec. Ele foi ferido, e para nossa tristeza, caiu na mão dos alemães. Depois de ferido, Alec liderou seus homens por uma milha, lutando até o fim. Nós todos o amávamos, era um pai para todos nós e o mais popular de todo o regime.”

Sua morte não foi confirmada, mas a certeza que fica é que Turnbull morreu como um herói. Seja para sua família, fãs de Manchester, ou companheiros de regime militar.

Um homem de princípios que, apesar de se envolver em muitas polêmicas, sempre foi justo e determinado na busca pela justiça. No futebol, fez o papel de herói e vilão. Ao representar seu país, não era visto como certo ou errado, mas sim exemplo a ser seguido.

Sandy Turnbull não foi só um forte nome na cidade de Manchester, em que é homenageado até os dias de hoje e ainda é o 19º maior artilheiro da história do United. Fez muito pelo maior esporte do mundo e pela sua pátria, em que precisou abandonar sua, talvez não existente, zona de conforto.

Não há posts para exibir