Salford City: o projeto ambicioso dos ídolos do United

Projeto dos ídolos do Manchester United é levar o Salford City ao topo

0
400
Salford City

Apenas se você for realmente um fanático por futebol inglês vai saber da existência do Salford City. Um clube fundado em 1940 e que nunca teve expressivas glórias. No último dia 23, porém, o clube ganhou os principais noticiários da Inglaterra em função da compra de 10% das suas ações pelo ex-jogador David Beckham.

A mudança na história do Salford City

A aquisição faz com que Beckham se junte a Ryan Giggs, Gary e Phil Neville, Paul Scholes e Nicky Butt – a classe de 92 -, formando atualmente um corpo de donos do clube, que fica situado na região metropolitana de Manchester.

Leia mais: Class of 92 – Você não pode deixar de ver este documentário

Os outros cinco integrantes da classe também adquiriram 10% cada, porém em março de 2014.

A demora para a entrada de Beckham no consórcio aconteceu em função dos esforços do inglês em conseguir uma franquia na Major League Soccer.

De acordo com Giggs, a ambição do grupo é levar o Salford para a segunda divisão nos próximos quinze anos. Uma meta certamente ambiciosa para um clube que tem como melhor resultado a presença na segunda rodada da Copa da Inglaterra, na temporada 2015/2016.

Sem dúvidas, a quinta divisão é a mais nobre alcançada pelos Ammies. O clube começou, apenas em 2017, a ter funcionários trabalhando integralmente. O Peninsula Stadium, com as reformas que duraram de 2014 a 2017, passou a comportar posteriormente 5.108 pessoas.

(Divulgação/Salford City)

Leia mais Terry Cooke: o ‘aluno esquecido’ da Classe de 92

Atualmente o Salford City está na quinta divisão do sistema de futebol inglês, tendo subido três divisões nos últimos quatro anos. O Salford briga, ponto a ponto, para conseguir a promoção à quarta divisão – o primeiro nível profissional do futebol na Inglaterra.

“O próximo passo é entrar no nível profissional e sabemos como isso é difícil. O sonho é se tornar um clube de Premier League. O Bournemouth pode ser considerado um exemplo, mas seria um erro planejar algum passo além do nosso próximo jogo”, Gary Neville

Os jogadores somam 60% do controle do clube e os outros 40% pertencem, desde setembro de 2014, ao investigador singapuriano Peter Lim – que também é dono do Valencia. Peter é quem oferece, majoritariamente, a estabilidade financeira ao clube.

Posteriormente à mudança de donos, o clube ganhou novas cores e um logo mais moderno. A transformação não levantou tanta polêmica entre torcedores – uma vez que o clube não é tão tradicional.

A notícia que Beckham se tornará um dos donos foi dada pelos próprios jogadores (Divulgação/Salford City)

Leia mais Manchester United x Leeds: uma rivalidade feroz agora adormecida

Antes de mais nada, os ex-jogadores não participam efetivamente das decisões diárias envolvendo o futebol do clube. Eles não definem prioridades de jogadores, não demitem ou contratam treinadores, nem nada disso.

“Sabemos o que acontece quando os donos se envolvem demais com o futebol”, afirmou Gary Neville.

“Nossa vontade é construir um clube de futebol semelhante aos nossos valores”, completa o ex-lateral. Aliás, o grupo de jogadores toma todas as decisões envolvendo escolhas de metas, objetivos de temporada e escolhas para o futuro do clube: preço de ingressos, investimentos em base, time feminino e afins.

Os integrantes da Classe de 92 têm os seus próprios desafios pessoais envolvendo o futebol. Cada um tem o próprio objetivo e busca, à sua maneira, o seu espaço. Porém, o Salford City é uma história interessante para se correr o olho daqui em diante.