Roma salvou torcedor do atentado de 11 de setembro

0
149
Roma
Foto:Divulgação/PL Brasil

Neste sábado (11), o maior atentado terrorista da história completa 20 anos. Contudo, dentre histórias de comoção, uma história traz a Roma como protagonista por ter salvo a vida de um torcedor fanático do atentado. 

A saber, na manhã de 11 de setembro de 2011, dezenove terroristas sequestraram quatro aviões comerciais de passageiros. Os sequestradoras colidiram dois dos aviões contra as Torres Gêmeas do complexo empresarial do World Trade Center, na cidade de Nova York.

Posteriormente, um terceiro avião com passageiros colidiu contra o Pentágono e a quarta aeronave seguiu para Pensilvânia. Dessa maneira, foi contabilizada cerca de 3000 vítimas.

Entretanto, dentre tantas vidas perdidas, muitas pessoas se salvaram. Assim, dentre as quais, um norte-americano, filho de imigrantes italianos e torcedor fanático da Roma está entre os sobreviventes.

Anthony Zomparelli trabalhava na empresa Marsh & McLennan, uma corretora de seguros  que tinha escritório no 100º andar da Torre 1  no World Trade Center. No entanto, na manhã daquele fatídico dia a Roma recebia Real Madrid no Estádio Olímpico pela  UEFA Champions League. 

Contudo, Zomparelli queria ficar em casa para acompanhar seu time do coração. Desse modo, o torcedor fanático ligou para seu chefe e inventou que estava doente e, assim, o consultor faltou ao trabalho naquela manhã e sobreviveu a maior tragédia da história.

 “Sou eternamente grato por não ter ido ao trabalho naquele dia.  E serei eternamente grato a Deus e à AS Roma por serem as razões pelas quais ainda estou vivo e bem” disse Anthony Zomparelli para uma entrevista ao site oficial do time em 2018.

Todavia, naquele dia o torcedor não viu seu time vencer, afinal a Roma perdeu por 2 x 1 para o Real. Ademais,  Zomparelli perdeu em torno de 300 colegas de trabalho.

“Essas pessoas não eram apenas meus colegas, eles eram uma segunda família para mim e não importa onde eu vá nesta vida, eles estarão sempre no meu coração”.

ROMA FAZ AMISTOSO COM REAL MADRID EM NOVA YORK NO ANO SEGUINTE 

No entanto, no ano seguinte Anthony teve uma grande surpresa, a Roma foi aos Estados Unidos para enfrentar o mesmo Real Madrid em um amistoso. Dessa maneira, o torcedor contou que comprou seis ingressos para o jogo e estava tão animado quanto uma criança estaria esperando por um presente na época do Natal.

Porém, o que ele não sabia era que o amigo de seu pai levava jogadores que atuavam na Itália para passeios em Nova York e assim, ele levou os levou os jogadores da Roma pela cidade para visitar o Empire State Building e o Ground Zero.

 “Ao visitar o Ground Zero, um amigo de meu pai contou minha história de como perdi a tragédia de assistir ao jogo na televisão.  Segundo ele, os jogadores ficaram pasmos.  Ele conta que Batistuta e Tommasi perguntaram se poderia ser arranjado um encontro entre a equipe e eu.  Quando ouvi a notícia, fiquei chocado.

Em suma, Anthony naquela oportunidade conheceu Batistuta, Tommasi, Candela, Emerson, Samuel, Panucci, Antonioli, Pelizzoli, Bombardini e Cassano. Entretanto, ele não conheceu Francesco Totti, que havia se machucado e não participou dessa partida.

Ademais, o norte-americano contou que teve apenas alguns minutos com os jogadores devido à sua agitada agenda, porém disse que ia valorizar esses momentos por toda a vida.

Zomparelli, em entrevista no 17º ano do atentado falou como se sentia: “Neste aniversário da tragédia do World Trade Center, como em todos os aniversários, tudo o que posso dizer a todos vocês ao redor do mundo é que vivam a vida ao máximo”.

”Viva a vida como se não houvesse amanhã. Viva a vida sem arrependimento. Abrace seus entes queridos e aproveite tudo o que te faz feliz. Agradeço ter minha família, amigos e minha preciosa Roma, que sempre me farão feliz e orgulho, em ganhar ou perder. Como diz a música de Antonello Venditti, Grazie Roma! ”, completou Anthony Zomparelli.