Rogério Ceni aponta principal diferença entre Brasil e Premier League, e escolhe o melhor entre Alisson e Ederson

6 minutos de leitura

Rogério Ceni era só sorrisos na luxuosa sala de imprensa do centro de treinamentos do Manchester City. O técnico do Bahia concedeu entrevista coletiva nesta sexta-feira (12) e pôde se aprofundar no intercâmbio realizado entre as equipes do Grupo City, que deve durar até a próxima semana.

O comandante do Esquadrão rasgou elogios a Pep Guardiola, apontou os principais pontos da parceria e ainda deixou sua visão sobre o futebol disputado na Premier League em comparação ao Brasil. De quebra, Rogério Ceni indicou preferência entre Ederson e Alisson.

Rogério Ceni se derrete por Guardiola

Se o treinador espanhol rendeu fortes elogios ao brasileiro, do outro lado a história foi igual. Ceni agradeceu colocou Guardiola no patamar de melhor treinador de futebol. O técnico do Bahia ainda destacou que é uma possibilidade absorver fragmentos do estilo de jogo do Manchester City para aplicar no futebol brasileiro.

Eu agradeço as palavras. Pode ter certeza que é um prazer para mim, um privilégio. Eu estive no Barcelona há 10, 11 anos atrás visitando. Depois, jogamos contra ele, eu ainda como atleta, no meu penúltimo ano de carreira, quando ele estava no Bayern de Munique. Mês passado estiver aqui, pude estar com ele. Encontrá-lo mais uma vez, sempre gentil e receptivo. Melhor treinador do mundo. Eu acho que a gente sempre tem coisas positivas de sistema de jogo, como se joga. Das maneiras alternativas de jogo, para tentar, cada vez mais aumentando o nível dos jogadores do Bahia, tentar encaixar similaridades de jogo. É um privilégio.

O ex-goleiro afirmou que o futebol mais bonito do mundo é o praticado pela equipe de Pep Guardiola. Ele listou algumas situações que diferenciam o esporte que é praticado no Brasil para o resultado final na Europa.

–O futebol mais bonito é o de Pep Guardiola. No Brasil, temos dificuldade em relação à qualidade. A maioria dos nossos melhores jogadores jogam na Premier League. O que mais muda do Brasil para cá é a temperatura e o gramado. O futebol é muito rápido, muito intenso. Os campos são diferentes. A intensidade é muito diferente.

Guardiola e Rogério Ceni em encontro do Bahia com o Manchester City (Foto: Bahia/Twitter)

Como o intercâmbio com o Manchester City pode servir para o Bahia

De acordo com Rogério Ceni, a viagem a Manchester irá colaborar de vários modos com a delegação tricolor. Um deles é o âmbito social para os jogadores, que estão em contato direto com um outra cultura e com jogadores do primeiro escalão do futebol mundial.

Para a gente, tem sido fantástico. Uma experiência não só de cunho profissional, mas de cunho social, de interatividade. A gente agradece muito a receptividade que a gente vem tendo aqui por parte de todos. É uma experiência única. Muitos atletas ainda não tinham saído do país, e ter a primeira experiência na Inglaterra, num centro de treinamento fantástico como esse, com jogadores que acabaram de ganhar um Mundial, com cinco taças na temporada, eu acho que é algo que vai ficar para sempre na mente deles–

Outro ponto importante é a integração do Bahia no City Football Group. Rogério Ceni revelou que tem se inteirado mais do modo de trabalho da holding e que pretende carregar essa expertise para o futebol brasileiro.

Desde o mês passado, que estivemos aqui, já foi muito importante. Ferramentas que a gente pode usar no futuro. As reuniões e os departamentos, tudo aqui é feito com processos. E você precisa se acostumar a isso para poder usufruir de tudo que eles têm. Principalmente a história desses últimos dez anos de crescimento do clube, para que a gente possa aplicar no Brasil.

‘Troca’ com Guardiola e escolha entre Alisson e Ederson

Já na reta final da entrevista, Rogério Ceni foi perguntado sobre qual jogador do Manchester City escolheria para o levar ao Bahia se pudesse. Com tanta qualidade à disposição, o comandante não conseguiu apontar um único atleta e acabou sugerindo, na brincadeira, uma troca de cargos com Guardiola.

É difícil. Todos os jogadores são fantásticos. Tive a oportunidade de assistir ao jogo contra o Crystal Palace e eu amei todos os jogadores. Eu gosto tanto da forma que os defensores conseguem construir a jogada lá de trás. A qualidade dos jogadores no um contra um. É difícil, quem sabe possamos fazer um intercâmbio. O Pep vai para a Bahia e eu fico aqui.

Especialista da posição, Rogério Ceni também foi questionado sobre quem é melhor: Alisson ou Ederson. O goleiro-artilheiro titubeou e não tomou uma posição clara, mas rasgou elogios ao arqueiro do Manchester City e destacou sua qualidade para jogar com os pés.

–É muito difícil, já que são dois goleiros de nível seleção. Ederson especificamente cresceu no clube que eu passei a minha vida, o São Paulo Futebol Clube. Ele cresceu como um goleiro que joga com os pés. Ele mudou o mundo dos goleiros. Ederson com certeza está no top 3, top 5, goleiros do mundo. Mas em relação a construir jogadas, ele é o melhor do mundo.

Rogério Ceni se encontra com Ederson no Manchester City (Foto: Reprodução/mancity.com)

Lucas Barbosa
Lucas Barbosa

Redator da PL Brasil. Foi por meio da Premier League, na tela do antigo Esporte Interativo, em 2007, que o Jornalismo entrou na minha vida. Duas paixões que abriram portas e me fazem realizar sonhos todos os dias. Passei pelos portais Mais Minas e Esporte News Mundo.