Jorginho: ‘Gostaria de voltar à Serie A, mas…’

4 minutos de leitura

Na ausência de Martin Odegaard, Jorginho foi escolhido para ser o capitão do Arsenal nas últimas três partidas. Jogando nos Gunners desde janeiro de 2023, o contrato do o ítalo-brasileiro vai até a metade de 2024. Apesar da possibilidade de renovação, ainda não há certeza sobre o futuro do jogador.

Jorginho está com a seleção italiana para participar dos últimos jogos das Eliminatórias da Eurocopa de 2024. Em entrevista coletiva concedida nesta terça-feira (14), o camisa 20 do time londrino deu a entender que há chances de um retorno para o futebol da Itália.

“Gostaria de voltar à Serie A, mas…”

Jorginho passou a maior parte de sua carreira profissional em times italianos, desde 2010. Em 2018, ele se transferiu para a Premier League para atuar no Chelsea, onde foi campeão da Liga Europa, Champions League e Mundial de Clubes da Fifa.

Desde sua chegada aos Gunners, ele acumula 30 jogos. Na atual edição da Premier League, o volante entrou em campo nove vezes, sendo quatro delas como titular.

Questionado sobre seu futuro, no entanto, ele admitiu que tem o desejo de retornar à Série A:

— Estou com muitas dúvidas, gostaria de voltar, mas não sei quando seria o momento certo. Quero voltar sim, mas não sei quando, sinto que ainda tenho coisas para fazer no Arsenal. Sempre leva tempo quando você muda de time, mas os primeiros seis meses no Arsenal não foram negativos, pelo contrário — afirmou o jogador.

Além da braçadeira de capitão, Jorginho foi escalado como titular nas últimas partidas devido à ausência de Thomas Partey. O “The Mirror” havia divulgado na última semana que o meio-campista ganês foi submetido a um procedimento especializado para tratar seu problema na coxa, que já vinha o atrapalhando nas últimas temporadas. Por isso, o tempo de recuperação do camisa 5 deve se estender até 2024.

O volante também falou sobre as diferenças de trabalhar com um treinador como Mikel Arteta.

— Obviamente leva tempo para entender melhor os mecanismos, Arteta dá um bilhão de informações, mas estou muito feliz com isso. Cresci muito em campo, em experiência. Troquei de time, de técnico, portanto (recebi) mais informações. Entendi ainda mais o jogo e como competir — garantiu Jorginho.

— Competir não significa apenas jogar bem, mas também vem da experiência. E isso procuro passar essa experiência também para os meus companheiro — finalizou.

Maria Tereza Santos
Maria Tereza Santos

Jornalista pela PUC-SP. Na PL Brasil, escrevo sobre futebol inglês masculino E feminino, filmes, saúde e outras aleatoriedades. Também gravo vídeos pras redes e escolhi o lado azul de Merseyside. Antes, fui editora na ESPN e repórter na Veja Saúde, Folha de S.Paulo e Superesportes.