Goleador e mortal: Raheem Sterling faz a melhor temporada de sua vida

Com ajuda de Guardiola, Sterling faz uma temporada no nível dos grandes pontas em 2019. Agora só falta o título da Premier League

De promessa a craque: a temporada que coroa a evolução de Raheem Sterling
Com Guardiola, Sterling ficou mais decisivo (Foto: Laurence Griffiths/Getty Images)

Raheem Sterling nasceu em Kingston, na Jamaica. Chegou à Inglaterra com apenas cinco anos. Aos dez, já era observado pelo Arsenal e outros clubes ingleses. Foi jogar nas categorias de base do Queens Park Rangers, e desde então, com muito trabalho duro e esforço, Sterling melhora a cada dia, especialmente, nesta temporada.

O pequeno Raheem por volta dos 12 anos (Foto: Terry Pengilley)

A história de vida de Sterling é sensacional. Desde o sacrifício da mãe para levá-lo à Inglaterra, ao custo da irmã que lhe levava todos os dias, às 3h15 da manhã, aos treinos. O exemplo e superação vem de casa.

Leia mais: Você não sabe o sacrifício que a mãe de Sterling fez para ele virar jogador

Raheem se transferiu para o Liverpool em janeiro de 2010, mas só estreou no profissional em março de 2012, ao 17 anos.

É o segundo mais jovem a jogar pelo clube. Desde então, temporada a temporada, Sterling só melhora.

Ele integrou as seleções sub-16, sub-17, sub-19 e sub-21 da Inglaterra. Mas desde 2012, joga pela principal.

Raheem Sterling antes de Pep Guardiola

Existia o senso comum que via Sterling um tanto quanto um jogador limitado no Liverpool.

“Eu lembro que a gente costumava zoar ele porque ele não sabia finalizar. Se ele estivesse cara a cara com o goleiro, ele iria chutar com o lado errado do pé e a bola iria para fora. Todos nós ríamos.” – Luis Suárez sobre Sterling

Foram 23 gols em 129 jogos na sua passagem pelo Liverpool (foto: Getty Images)

Em três temporadas no Liverpool, ele nunca teve números realmente consistentes. Em 2013-14 foram nove gols e duas assistências em 33 jogos. Já em 2014-2015, sete gols e seis assistências em 35 jogos (jogando em média 87 minutos por jogo. Um gol a cada 436 minutos).

Sterling também tomava algumas decisões erradas, perdia alguns gols relativamente fáceis por deficiência na finalização. Isso também era reflexo da pouca idade, mas são pontos que hoje em dia são infinitamente melhores no futebol dele.

A melhor temporada da carreira de Sterling

A temporada 2018-2019 já é a melhor da carreira de Raheem. Até 30 de abril, ele tem 17 gols e 10 assistências em 32 jogos na Premier League.

Jogando em média 81 minutos por partida. Isso quer dizer que Sterling marca a cada dois jogos e participa de algum gol quase 1 vez por partida.

Números de Sterling via SofaScore

Note que a frequência de gols é ótima. Sinal da constância de Sterling. Mo Salah, por exemplo, marca um gol a cada 147 minutos, marca parecida com a de Sterling. O egípcio é o atual artilheiro da Premier League com 21 gols.

A qualidade nas finalizações também impressiona. Sterling chuta, em média, três vezes a cada dois jogos. E marca uma vez a cada dois jogos também. Logo, a cada três chutes, Sterling marca um gol

O inglês já deu 10 assistências e criou 12 grandes chances. No Liverpool, o máximo que conseguiu foi dar seis passes para gol na temporada 2014-15.

A título de comparação, Eden Hazard tem 29 participações em 35 jogos. Mané tem 21 participações em 34 jogos. O jovem inglês, por sua vez, ostenta 27 em 32 partidas. Raheem Sterling mostra números e desempenho melhores que os grandes pontas da Premier League

O tutor Pep Guardiola

Além de todo o esforço do jogador, Pep Guardiola tem um grande mérito nisso também. Pep tutelou Sterling até no jeito em que ele conduzia a bola. Raheem disse que conduzia com a parte externa do pé pois era mais estiloso.

Guardiola então explicou que assim ele levava 1 segundo a mais para fazer qualquer coisa. Desde então, Sterling aprendeu a conduzir a bola pisando nela e tendo-a mais perto do pé.

“Mikel Arteta treina com ele muitas horas e dias depois do treino especificamente as ações no terço final do campo. Raheem sempre quer ficar no campo, treinando, melhorando e chutando”, disse Pep Guardiola

Arteta faz parte da comissão técnica de Pep desde 2016. Ambos são fundamentais na evolução de Sterling

Pep mudou até a postura corporal de Sterling. Na hora de receber um passe, a posição correta do seu corpo vai lhe render alguns segundo preciosos. É por isso que Sterling sempre consegue receber e partir em velocidade e assim, se torna tão difícil de ser marcado. São pequenos detalhes que fazem toda a diferença.

Como Raheem Sterling se encaixa no Manchester City 2018-19

Guardiola usa o 4-3-3 que se torna um 2-3-5 em fase ofensiva. Sterling pode atuar em ambos os lados. Quando Mahrez ou Bernardo Silva jogam, Sterling vai para a ponta esquerda. Se Sané está em campo, então o inglês atua na ponta direita.

A ideia do Manchester City, dentre outras, é alargar o campo com os wingers, para que o resto trabalhe por dentro. Sterling então fica esperando para ser acionado. Quase sempre o passe vem no espaço entre o lateral e o zagueiro (meio-espaço). Quando a bola chega, ele já está dentro da área pronto pra cruzar rasteiro ou cortar e bater.

Sterling melhorou sua finalização e assim conquistou outras armas para furar defesas adversárias. Se o lateral resolve estreitar a linha em vez de sair para marcar Sterling, então o inglês pode receber em liberdade para enfrentar o 1 contra 1.

O camisa 7 do City também melhorou sua percepção e leitura de jogo ao longo do tempo. Sterling adora atacar as costas da zaga. Quando a jogada se desenrola pelo lado direito, por exemplo, Sterling saber o momento certo para correr no lado-cego do marcador. Você com certeza já viu algum gol que Sterling aparece no lado oposto só escorando para o gol livre.

Se você quiser conferir o vídeo de onde foram tiradas as imagens, é só clicar aqui

Raio-x dos gols de Sterling na atual temporada

O atacante atuou em 32 partidas com uma média de 81 minutos

Como já citado, lado-cego é nada mais que as costas do lateral. Os times de Guardiola sempre usam essa arma: constrói por um lado e finaliza pelo oposto. Os gols de Sterling são um reflexo disso. São 10 vezes que ele recebeu sozinho e quase sem goleiro. Essa foi a especialidade do inglês na Premier League. É preciso muita inteligência para estar no lugar certo e na hora certa.

Além disso, 3 gols saíram quando ele foi lançado no meio-espaço e 2 quando recebeu na amplitude. É difícil decidir como marcar-lo. Teve um gol originado de rebote, após jogada construída por ele. Além de outro em que foi lançado em profundidade, mas no corredor externo e não no meio-espaço.

Foram 7 gols no primeiro tempo e 10 no segundo. Além disso, a região dos chutes que resultaram em gols também chama atenção: 1 de fora da área, 1 entre a a entrada da área e a marca do pênalti e 15 gols num raio de 11 metros do gol. Posicionamento absolutamente diferenciado.

Raheem Sterling chegou à glória individual, mas ainda falta a coletiva

Na atual temporada, ele já tem 8 prêmios de homem da partida. Foi eleito pela Football Writers' Association o melhor jogador do ano com 62% dos votos. (Perdeu o prêmio para van Dijk na eleição feita pela Professional Footballers' Association.)

Além disso, Sterling cada vez mais ganha a fama de clutch (decisivo). Desde a temporada 2017-18, Sterling tem 12 gols nos últimos 10 minutos de jogo.

Na atual temporada da Premier League, ele marcou quatro gols da vitória nos últimos minutos. Bournemouth, Huddersfield, Southampton and Newcastle United sofreram com o inglês.

Se não fosse o VAR, Sterling classificaria o City às semifinais com um hat-trick aos 94 minutos. (Foto: Getty Images)

De mal finalizador a goleador. Cade vez mais driblador, cada vez mais mortal. Passando por cima do racismo e convencendo a imprensa, Sterling chega num nível excepcional com apenas 24 anos. O futuro é animador e Raheem Sterling sabe como chegar lá.