Após defender a Palestina, ‘queridinho’ de Ten Hag treina separado no Bayern e pode ser afastado

4 minutos de leitura

Nos últimos dias, casos de jogadores sendo penalizados por defenderem a Palestina durante o conflito contra Israel têm sido recorrentes no futebol europeu. Recentemente, foi a vez de Mazraoui, do Bayern de Munique e “queridinho” de Ten Hag nos tempos de Ajax.

O lateral-direito marroquino foi convocado pelo atual campeão alemão para uma reunião na sede do clube, na Säbener Strasse, na tarde de quarta-feira, após ter publicado mensagens anti-Israel depois do ataque terrorista do Hamas.

Apesar de não ser oficialmente afastado, Mazraoui já não treinou com a equipe bávara nesta quinta-feira (19), noticiou o jornal alemão “Bild”.

Mazraoui pode ser afastado por posicionamento pró-Palestina

Uma vez que o Bayern ainda não emitiu uma declaração oficial sobre o a situação, ainda não se sabe se o seu comportamento terá consequências para Mazraoui. Entretanto, tudo o que se sabe é que o número 40 do Bayern não entrou em campo com seus companheiros nesta manhã.

Em vez de treinar com a equipe, Mazraoui treinou individualmente e, após a sessão de treino da equipa, deu voltas sozinho com o treinador de atletismo Stephan Kerth.

O jogador marroquino só tinha regressado a Munique da Data Fifa na quarta-feira. Ele não participou no jogo da sua seleção pelas Eliminatórias da Copa Africana de Nações, no último dia 17, contra a Libéria.

Torcedores do Bayern em Israel protestam

O grupo de torcedores “Bayern Israel” tinha pressionado o clube e exigido, em declaração no nas redes sociais, que os bávaros “soubessem lidar” com o defensor com base nos valores do clube.

— Esperamos que o FC Bayern de Munique, que foi essencialmente construído sobre uma comunidade judaica e luta contra o racismo de todas as formas, saiba tratar o jogador Noussair Mazraoui de acordo com os valores do clube. O Hamas é o ISIS. Nunca mais é agora! – dizia a postagem.

Ten Hag e Mazraoui no Ajax (Foto: Icon Sport) bayern palestina
Ten Hag e Mazraoui no Ajax (Foto: Icon Sport)

Mesmo que o grupo de torcedores não descreva com mais pormenor como deve ser o tratamento exigido, é um apelo claro para que Mazraoui seja responsabilizado pelas suas mensagens.

Internamente, existe uma grande pressão no Bayern devido ao passado judaico do clube através do ex-presidente Kurt Landauer, mas também devido à responsabilidade para com o novo jogador israelita contratado no verão, Daniel Peretz, que veio do Maccabi Tel Aviv.

Guilherme Ramos
Guilherme Ramos

Jornalista pela UNESP. Escrevi um livro sobre tática no futebol e sou repórter da PL Brasil. Já passei por Total Football Analysis, Esporte News Mundo, Jumper Brasil e TechTudo.

Contato: [email protected]