Que Zicovardia! 69 anos de história

Que Zicovardia! 69 anos de história
Foto Destaque Divulgação: Udinese Calcio/ Jornal dos Sports (1976)

Não importa se você o chamava de Arthur Antunes Coimbra, Galinho de Quintino ou propriamente de Zico, o mundo inteiro sabia seu nome. De antemão, nesta quinta-feira (03/03) um dos melhores brasileiros que já vestiu a camisa da seleção completa 69 anos de muita história. Se Pelé é o Rei do futebol, Zico é o príncipe, considerado pelo próprio como o seu grande sucessor! Então, acompanhe aqui na Premier League Brasil toda a trajetória desse grande ídolo na Udinese.

Antes de tudo, o meio-campista havia conquistado tudo que podia aqui no Flamengo e a torcida já sabia que quando estava em campo era festa garantida. Em uma temporada histórica, Zico foi importantíssimo nas conquistas inéditas da Libertadores e do Mundial em 1981, marcando duas vezes e se tornando ídolo incontestável.

Zico – Sua trajetória pela Udinese, na Itália

Logo depois veio a despedida, em 1983/84 o Flamengo recebeu uma proposta irrecusável para o jogador jogar em Udine. Com isso, pagando quatro milhões de dólares, se tornou a maior compra de um time italiano na época.

A saber, o modesto time da Itália superou outras grandes potências nacionais para contratar Arthur. Roma e Juventus ficaram inconformadas, gerando um certo escândalo no país. O que fez os torcedores Friulani pressionarem a vinda do jogador, ou voltariam para a Áustria ( a região de Friuli já pertenceu ao Império Austríaco)

Além disso, o gigante Real Madrid havia oferecido 600 mil dólares, um valor que a Udinese rapidamente superou. Bem como, ironicamente, a primeira partida do brasileiro foi vencendo o time espanhol por 2 x 1, ainda na pré temporada.

Decerto, como explicar o sentimento dos torcedores da Bianconeri o Zebrette quando Zico marcou quatro gols e quatro assistências nos dois primeiros jogos. A torcida estava incrédula, um exímio batedor de falta sem dúvidas, encantando a todos com sua maestria e habilidade.

O camisa dez da Seleção Canarinho precisou de apenas duas temporadas para marcar seu nome na história do clube e da Itália. Dessa maneira, levou sua equipe à nona colocação no Campeonato Italiano e terminou como vice artilheiro, com 19 gols. Apenas um gol o separava de Michael Platini (que jogou seis partidas a mais), campeão com a Juventus naquela temporada.

Nesse ínterim, a revista britânica “World Soccer” (conceituada como uma das melhores revistas futebolísticas do mundo) o elegeu como melhor jogador do ano, em 1983. Do contrário, a “France Football” apenas elegia jogadores europeus.

Apenas duas temporadas foram suficientes para tamanha idolatria no clube

Por fim, na temporada seguinte o time brigava contra o rebaixamento e Zico ainda atuou muito pouco, em 15 ocasiões só. Contudo, ainda conseguiu marcar 12 gols. Portanto, com alguns problemas judiciais em relação ao direito de sua imagem. O jogador preferiu terminar sua passagem na Itália e voltar ao Flamengo, já que a equipe também não investiu o suficiente para brigar pelo Scudetto, como haviam prometido.

Para nós, friulanos, Zico tem o mesmo significado de um motor da Ferrari colocado dentro de um Fusca. Sentimo-nos os únicos no mundo a possuir um carro tão maravilhoso e absurdo

Em conclusão, ovacionaram o craque durante comemoração dos 120 anos do clube, antes da partida contra o Sassuolo no campeonato. Assim, ainda teve direito a volta olímpica pelo estádio Friuli e uma faixa dizendo “Graças a você o mundo nos conheceu”. Zico era mais que um herói vestido com as cores branca e preta! Ao todo foram 30 gols por Udine, sendo 17 com aquela magia que encantou a todos, por bola parada.

Zico ringrazia l'Udinese e i suoi tifosi con una lettera aperta < Club < Noticias < Udinese

Faixa da torcida do Udinese para Zico: "Graças a você o mundo nos conheceu" (Foto: Reprodução de Twitter)

Todos os Gols de Zico na Udinese

Meu negócio não era fazer graça não, era fazer gol.” – Finaliza Zico

Foto Destaque: Udinese Calcio/ Jornal dos Sports (1976)