Quanto custa patrocinar um clube da Premier League?

Estampar a logomarca de uma empresa na camisa de um clube da Premier League está longe de ser algo que “não tem preço”

2
569
Quanto custa patrocinar um clube da Premier League?

Não há dúvidas de que o futebol tornou-se também um grande meio para que empresas fizessem suas publicidades alcançarem níveis mundiais. Se a Premier League é conhecida por ser a liga que importa jogadores de todas as partes do mundo, dá para afirmar que, pelo menos em termos de patrocínio, são os estrangeiros que vêm até a Inglaterra. Então, quanto custa patrocinar um clube da Premier League?

O apelo global da liga é comprovado com 16 clubes com patrocinadores principais com sede no exterior. Somente Liverpool, Southampton, Stoke City e Watford possuem patrocinadores britânicos.

Segundo um estudo divulgado pela agência Sporting Intelligence, assim ficaram ranqueados os contratos de publicidade anual dos patrocinadores principais com cada um dos 20 clubes da Premier League:

Quanto custa patrocinar um clube da PL?

Comparado à temporada anterior, quando atingiu 226,5 M €, a soma dos valores de patrocínio dos 20 clubes da elite do futebol inglês cresceu, quase, 55 M €.

Mesmo com o notável crescimento dos Citzens nos últimos anos, a parte vermelha de Manchester ostenta o maior contrato de patrocínio da Inglaterra.

Encabeçada pelos Red Devils, o famoso “top 6” dos clubes ingleses é evidenciado também se olharmos as cifras.

Leia mais: ‘Eterna promessa’, Barkley chega ao Chelsea tendo de se provar 

Mesmo com os menores contratos entre os seis primeiros, Arsenal e Liverpool arrecadam, com o patrocinador principal, três vezes mais do que o West Ham, primeiro clube em seqüência.

Outro fato que chama a atenção na tabela é o perfil dos patrocinadores. É dominado pelas casas de apostas, cuja atividade é alvo de muitas discussões e pautas legislativas acerca da proibição do segmento no Reino Unido.

Siga a PL Brasil no Youtube

  • Quais são os salários mais altos da Premier League? 

Leia mais: Kevin De Bruyne: a máquina de passes