Promessa de R$ 105 milhões do Arsenal alfineta Arteta

4 minutos de leitura

O investimento do Arsenal em jovens promessas nas últimas temporadas rendeu muitos elogios ao diretor Edu Gaspar. Nomes como Gabriel Martinelli, Martin Odegaard e William Saliba, por exemplo, se mostraram ótimos acertos, mas nem todas as contratações dos Gunners deram certo logo de cara.

O meio-campista belga Albert Sambi Lokonga chegou ao Arsenal em 2021 por 17 milhões de libras (R$ 105 milhões) como uma grande promessa. No entanto, teve um início inconsistente e, agora, emprestado ao Luton Town, busca uma redenção neste início de carreira.

Adaptação difícil no Arsenal

Em 2021, seu ano de estreia na Premier League, Lokonga foi titular em nove dos primeiros 13 jogos, mas perdeu espaço gradativamente, terminando a temporada com apenas 19 aparições.

lokonga arsenal luton
Lokonga contra João Gomes na atual temporada (Foto: Icon Sport)

Redenção no Luton e ‘alfinetada' a Arteta

Nesta temporada, Lokonga está emprestado ao Luton Town e tem sido elogiado pelo desempenho em campo. No time comandado pelo técnico Rob Edwards, ele encontrou o que “precisava”, e seus elogios, em entrevista ao “The Athletic”, soaram como uma “cutucada” ao comandante dos Gunners.

— Ter um técnico que te apoia, que te dá confiança, que confia em você… É isso que um jogador deseja e o que um jogador precisa para ter o seu melhor desempenho. É por isso que estou tentando retribuir em campo.

As boas atuações do belga no Luton chamaram a atenção de ninguém menos que Jurgen Klopp, técnico do Liverpool, que o elogiou antes de uma partida entre as duas equipes:

— Lokonga, quando você o vê jogando, você pensa: ‘Oh, ele é um jogador do Arsenal e eles o emprestaram? Interessante.

Arteta Arsenal
(Foto: Icon Sport)

Ainda com futuro incerto no Arsenal, o meio-campista de 24 anos foca em aproveitar ao máximo sua experiência no Luton. O contrato de empréstimo é válido até o fim da temporada.

Aos 24 anos, ele busca consolidar seu talento e provar que pode ser um jogador importante para o time londrino, por quem ele ainda tem carinho e segue acompanhando.

— Não percebi o quão grande era o Arsenal até este ano, porque quando você está nele, você não pode ver realmente o que está acontecendo lá fora. Você apenas se concentra em jogar e treinar. Agora que estive no Palace e no Luton, você pode olhar de mais longe e ver como o clube é grande. Eles têm torcedores em todo o mundo – afirmou.

Guilherme Ramos
Guilherme Ramos

Jornalista pela UNESP. Escrevi um livro sobre tática no futebol e sou repórter da PL Brasil. Já passei por Total Football Analysis, Esporte News Mundo, Jumper Brasil e TechTudo.

Contato: [email protected]