Potescoglou: Champions League não é a prioridade

6 minutos de leitura

Após uma semana de rodada de Champions League, o Tottenham entra em campo novamente, pela Premier League nesta sexta-feira (27). O confronto contra o Crystal Palace é válido pela décima rodada do torneio.

Na entrevista coletiva anterior ao jogo, Ange Postecoglou falou sobre o bom momento que os Spurs vivem, com a campanha invicta e ocupando o primeiro lugar da tabela. No entanto, o tom do treinador foi de cautela, dizendo que há melhorias a serem feitas em todos os setores do time.

Decepção com uma possível perda de vaga para a Champions?

Sem disputar competições europeias nesta temporada devido aos conturbados momentos vividos em 2022/23, a boa campanha inicial dos Spurs sob o comando do novo treinador está dando esperanças aos torcedores de ao menos garantir uma classificação para a próxima Champions League.

Para Ange, no entanto, essa não é a prioridade. O técnico do Tottenham falou sobre isso ao ser perguntado se ficará decepcionado caso não dispute a competição na próxima temporada.

Ficarei desapontado se não formos uma equipe melhor do que a que somos agora. Essa é a minha medida. Se continuarmos a melhorar como equipe, como disse no início do ano, creio que os nossos torcedores me darão uma boa indicação de como estamos evoluindo. Se chegarmos ao final do ano e eles estiverem muito felizes, então acho que estaremos em uma posição, então veremos aonde isso nos leva.

O técnico reforçou que esse cenário só se tornará real com mudanças estruturais na forma do time jogar, que permaneçam em longo prazo. Ele entende que o foco deve ser onde o time quer chegar, e não ficar olhando para as frustações dos últimos anos.

— O meu ponto de referência não é o que aconteceu nos últimos anos, mas onde quero que a equipe esteja e isso independe de onde o time esteve nos últimos tempos. Como eu disse, ao me trazer para o clube, tive consciência de que as coisas iriam mudar. Não por qualquer outro motivo, mas por quem eu sou, pela maneira como faço as coisas e pela maneira como meus times jogam.

O que o Tottenham ainda precisa mudar para seguir bem na Premier League

Ange elogiou muito a parte defensiva do time, dizendo que o setor tem sido “excelente e muito consistente”. No entanto, ele acredita que ainda há muito a evoluir.

— Ainda temos que crescer em todas as áreas. Há áreas onde já somos muito bons, principalmente na parte defensiva do jogo. Acho que temos sido excelentes lá – muito consistentes. Eu disse depois do jogo de segunda-feira à noite que foi isso que nos deu a vitória. 

O ataque, porém, é o que precisa de mais atenção neste momento. Para sua sorte, o time conta com jogadores de qualidade nesse setor.

— Ainda acho que, principalmente no terço frontal, muitos dos nossos movimentos ainda não são naturais e fluentes como gostaríamos que fossem, o que não é surpreendente. Mas o que está nos levando aos gols é que temos muita qualidade lá em cima, o que está contribuindo para isso. Mas ainda acho que o maior crescimento para nós será no lado ofensivo do jogo.

Son “abraçou seu papel de liderança”

Além da perda de um artilheiro, a saída de Harry Kane para o Bayern de Munique deixou dúvidas sobre quem assumiria o papel de liderança no Tottenham a partir dessa temporada. A braçadeira de capitão foi entregue a Son e, na visão de Ange, ele tem cumprido muito bem esse papel — indo além das suas já conhecidas habilidades.

— Ele é um jogador fantástico e já o é há muito tempo, então não sou eu que estou causando impacto nele . Mas acho que ele abraçou seu papel de liderança e quer essa responsabilidade, que é a primeira coisa que você precisa entender.

— Não dá para se esconder, principalmente em dia de jogo. E acho que ele tem sido um verdadeiro catalisador para nós com seus gols, mas também é uma grande parte de nossa estrutura defensiva e de pressão e da forma como temos trabalhado. E ele tem se destacado nessa área.

Maria Tereza Santos
Maria Tereza Santos

Jornalista pela PUC-SP. Na PL Brasil, escrevo sobre futebol inglês masculino E feminino, filmes, saúde e outras aleatoriedades. Também gravo vídeos pras redes e escolhi o lado azul de Merseyside. Antes, fui editora na ESPN e repórter na Veja Saúde, Folha de S.Paulo e Superesportes.