Conheça os hotéis de R$ 595 milhões do Chelsea que podem ser decisivos para punições do Fair Play Financeiro

4 minutos de leitura

Resultados em campo? Venda e compra de jogadores? Também. Mas uma rede de hotéis pode servir como fator decisivo para a situação financeira do Chelsea e eventuais punições ao clube na Premier League.

No começo desta semana, o balanço detalhado das contas do clube de Londres foi divulgado pela Companies House, agência reguladora oficial do governo britânico.

E uma informação específica chamou atenção. Um ganho de 76 milhões de libras (R$ 595 milhões, na cotação atual) referentes à venda dos hotéis vizinhos ao Stamford Bridge: Millennium e Copthorne, visitados pela reportagem da PL Brasil na capital da Inglaterra.

Faixada do hotel Copthorne, vendido pela empresa dona do Chelsea a outra empresa do grupo de Todd Boehly (foto: Rodolfo Morsoletto/PL Brasil)

Os hotéis foram transferidos da Chelsea FC Holdings Ltd para a Blueco 22 Properties Ltd. Ambas as empresas fazem parte do conglomerado Blueco Ltd, de propriedade do presidente do Chelsea, Todd Boehly.

No entanto, o valor da transação não foi avaliado como “condizentes para os padrões do mercado” e ainda não foi aprovada pela Premier League.

Na prestação das contas, os Blues informam que os diretores do clube “obtiveram valores de mercado de duas empresas líderes no setor imobiliário”.

O proprietário do Chelsea, Todd Boehly, afirma que o clube espera cumprir as regras de sustentabilidade e fair play financeiro “num futuro próximo”.

O acordo com os hotéis é enxergado como uma possível brecha a fim de evitar a violação das Regras de Rentabilidade e Sustentabilidade (PSR) da Premier League, uma vez que permitiu ao clube reivindicar a quantia total como lucro na temporada passada.

Segundo o “The Times”, a situação deixa incertezas quanto ao cumprimento do Chelsea ao PSR, uma vez que o clube já se encontrava próximo ao limite de perdas de 105 milhões de libras em três anos.

Retroativamente, o clube pode ferir o PSR caso a Premier League entenda que o valor real dos hotéis seja inferior 76,5 milhões de libras — o que acarretaria em perda de pontos no Campeonato Inglês como houve com Nottingham Forest e Everton.

Os hotéis do Chelsea

Os hotéis são praticamente anexados ao Stamford Bridge. Eles foram construídos como parte do empreendimento Chelsea Village, concluído em 2001. Ambos estavam programados para demolição na grande reforma do estádio planejada pelo ex-proprietário Roman Abramovich na década anterior que acabou não acontecendo.

O Millennium e o Copthorne são hotéis quatro estrelas e fazem parte do grupo Millennium Hotels and Resorts, que está presente em mais de 80 destinos em quatro diferentes continentes.

hoteis chelsea
Localização dos hotéis bem ao lado do estádio Stamford Bridge (Foto: Reprodução/Google Maps)

Apesar dos nomes e prédios distintos, ao entrar no site para fazer sua reserva, não há distinção entre um e outro. Os dois hotéis são unificados e o valor médio da diária é de 180 libras. Tem até quarto personalizado para o torcedor do Chelsea, o Blues Room. No site Booking.com, os hotéis tem mais de 5 mil avaliações e uma note de 7.8, que é considerada boa.

Foto: Divulgação/site Millennium Hotels and Resorts

O Chelsea e o Fair Play Financeiro da Premier League

Recentemente, o Chelsea anunciou que sofreu um prejuízo de mais de 90 milhões de libras entre 1º de julho de 2022 e 30 de junho de 2023, reduzindo o valor de 121 milhões de libras do ano anterior.

O valor máximo que um clube da Premier League pode ter de prejuízo, de acordo com as atuais regras do Fair Play financeiro, é de 105 milhões de libras ao longo de três anos.

Dentre as principais despesas do clube de Londres, estão o custo com transferências e salários de jogadores.

As contas revelaram que o Chelsea pagou 747 milhões de libras em novas contratações no período, enquanto as vendas de jogadores tiveram um retorno de 203 milhões de libras.

Com os regulamentos de amortização e contabilidade, o clube conseguiu garantir um lucro de 63 milhões de libras com as vendas.

Só com salários foram gastos pouco mais de 404 milhões de libras na última temporada, a maior folha salarial da liga atrás apenas do Manchester City, com 423 milhões de libras.

Na semana passada foi revelado que o Chelsea também pagou mais de 75 milhões em comissões para agentes de jogadores entre fevereiro de 2023 e 2024, mais do que qualquer outro time da Premier League, com o Manchester City gastando 60 milhões de libras durante o mesmo período.

Rodolfo Morsoletto
Rodolfo Morsoletto

Jornalista nascido e formado no interior de São Paulo, com passagens por Terra e OneFootball. Foi repórter de rádio, setorista do XV de Piracicaba e cobria jogos do Campeonato Paulista da Série A3. Morou por um tempo na Itália antes de desembarcar em Londres, onde está desde 2018. Atualmente é correspondente da PL Brasil em território inglês e já esbarrou com José Mourinho andando sozinho pelas ruas da capital britânica.

Instagram: @morsoletto
X: @r_morsoletto