‘Lateral’ Paquetá vai bem, ‘catenaccio’ faz efeito e West Ham bate o Brighton com posse de bola ‘assustadora’

6 minutos de leitura

Depois de terminar a segunda rodada na liderança da Premier League, o Brighton recebeu o West Ham no Amex Stadium, neste sábado (26). O time de Roberto De Zerbi dominou a posse de bola, mas perdeu por 3 a 1, com gols de James Ward-Prowse, Jarrod Bowen e Michail Antonio pelos Hammers, e Pascal Gross descontando pelos Seagulls.

O brasileiro Lucas Paquetá foi novamente titular pelo time visitante, ao lado do ítalo-brasileiro Emerson Palmieri, e jogou praticamente como lateral-esquerdo. Os dois compatriotas do Brighton, João Pedro e Igor Júlio, começaram no banco — o primeiro entrou ao longo do jogo, enquanto o segundo ficou de fora.

Brighton
26/08/23 - 13:30

Finalizado

1

-

3

West Ham

Brighton - West Ham

England Premier League - American Express Community Stadium

3rd Turno

West Ham vence o líder com estilo ‘milenar'

Com estilo consolidado, o Brighton se impôs e manteve o controle da bola durante toda a partida — terminou o jogo com 80% de posse. No entanto, ficou sempre no “quase”, esbarrando em bloqueios de defensores dos Hammers ou no erro do último passe.

Depois de ter duas rodadas com média de 30% de posse de bola, o time de David Moyes manteve a estratégia e neutralizou os Seagulls por grande parte do jogo. Defendendo em bloco bem baixo, o West Ham aproveitava os espaços nas costas dos meio-campistas e abusava de contra-ataques.

David Moyes no comando do West Ham - Icon Sport
David Moyes no comando do West Ham – Icon Sport

David Moyes consolida um estilo “à la catenaccio” nos Hammers — filosofia “criada” na Suíça, no fim dos anos 1930, e popularizada na Itália nas duas décadas seguintes, até chegar ao seu auge na década de 1960 com a Inter de Milão, que conquistou duas Champions League desta maneira.

A ideia do catenaccio era de que equipes com menos talento coletivo pudessem ser competitivas e, para isso, a formação fazia com que os laterais ficassem bem baixos e acompanhassem os pontas adversários, enquanto os meias fechassem regiões centrais para proteger a defesa — exatamente o que o West Ham fez contra o Brighton.

Destaques de Brighton x West Ham

Alphonse Aréola – 8,5

O goleiro francês impediu ao menos dois gols do Brighton com grandes defesas, principalmente no segundo tempo. Ao todo, foram nove defesas, cinco delas dentro da área, e uma atuação segura.

Michail Antonio – 8

Antonio West Ham Brighton Paquetá
Foto: Icon Sport

O jamaicano defendeu durante grande parte do jogo, mas foi crucial no primeiro gol, quando dividiu com Webster e aproveitou do erro adversário para dar o passe que gerou as duas finalizações e, por fim, o gol de Ward-Prowse. Além disso, fez grande jogada individual para marcar o terceiro gol dos Hammers.

Pascal Gross – 8

O alemão se tornou o jogador com mais gols pelo Brighton na Premier League ao marcar no fim do jogo e foi o controlador absoluto do jogo. Foram 130 toques na bola e 107 passes tentados, além de 11 cruzamentos, seis lançamentos e cinco finalizações.

Lucas Paquetá – 7,5

O brasileiro fez mais um jogo como “defensor” e teve poucos momentos com a bola. Foram apenas oito passes certos, mas 10 duelos ao longo do jogo, três interceptações e três afastadas de bola na defesa. Passou grande parte do tempo como “segundo lateral”, ao lado de Emerson, como é possível ver em seu mapa de calor.

Mapa de calor de Paquetá contra o Brighton - Imagem/SofaScore
Mapa de calor de Paquetá contra o Brighton – Imagem/SofaScore

João Pedro – 6,5

O brasileiro entrou aos 15 minutos do segundo tempo no lugar de Wellbeck e foi um camisa 10 como nas rodadas anteriores. Foi participativo apesar do pouco tempo: 38 toques na bola, 20 passes certos e dois chutes bloqueados.

Guilherme Ramos
Guilherme Ramos

Jornalista pela UNESP. Escrevi um livro sobre tática no futebol e sou repórter da PL Brasil. Já passei por Total Football Analysis, Esporte News Mundo, Jumper Brasil e TechTudo.

Contato: [email protected]