Identificamos a posição carente de cada time do Big 6

Confira nossa análise sobre os elencos dos seis principais times ingleses

posição carente

Cada um dos seis primeiros colocados da última temporada já tem pelo menos duas vitórias na Premier League, o que é esperado dado os técnicos e jogadores de alto calibre que possuem. Mas apesar de seus elencos superiores, o ‘Big Six‘ tem seus problemas. Cada um tem uma posição carente, uma área do campo onde há uma falta de qualidade ou profundidade.

Acompanhe a PL Brasil no Youtube

  • Visitamos a loja de camisas mais foda da Inglaterra

Mesmo depois de um verão gastando – exceto o Tottenham – os grandes da Premier League ainda estarão preocupados com certas áreas de seus elencos.

Então, onde está a posição carente de cada time?

Posição carente do Manchester City: volante

Fernandinho desempenhou um papel crucial na campanha do título temporada passada. Mas, aos 33 anos, pontos de interrogação certamente surgirão sobre sua habilidade de manter um nível consistente de performance em termos físicos.

Perdendo Jorginho para o Chelsea no verão, o City tem menos opções no centro de campo do que eles esperavam, dificultando a troca para um sistema que faria um dedicado jogador defensivo desnecessário.

Sem Douglas Luiz, que não conseguiu visto de trabalho e foi reemprestado ao Girona, John Stones esteve à frente dos quatro de trás durante os minutos finais da vitória na Supercopa da Inglaterra sobre o Chelsea. Se isso será uma opção viável para o futuro, ainda será visto.

O que é claro é a atual confiança em Fernandinho, que começou todos os quatro jogos da Premier League nesta temporada.

Apenas Aymeric Laporte afastou tantas bolas quanto Fernandinho (ambos 13), e o brasileiro foi quem mais recuperou a posse (25) de todo o time do City.

Por enquanto os campeões tem um dos melhores volantes do país, mas uma lesão poderia dificultar as chances de manterem o título.

Posição carente do Manchester United: zagueiro

Manchester United esteve ligado a Toby Alderweireld por grande parte da janela de verão – a um ponto de o jornal Mirror cravar o negócio como fechado – mas terminando por falhar em contratar um novo zagueiro.

Isto já vem voltando a incomodá-los, dados os feios tropeços contra Brighton & Hove Albion e Tottenham.

As dificuldades apresentadas por Eric Bailly e Victor Lindelof forçaram Jose Mourinho mudar para três zagueiros. Chris Smalling, Phil Jones e, estranhamente, Ander Herrera atuaram contra os Spurs, uma decisão que produziu efeitos negativos.

Lindelof voltou à escalação inicial e ajudou o United manter um clean sheet contra o Burnley.

Mas o constante rodízio de Mourinho mostra que há um problema no coração da zaga que Alderweireld poderia resolver parcialmente.

O belga venceu mais disputas na Premier League (5) do que qualquer outro defensor do United até agora. Três dessas divididas ocorreram na vitória do Tottenham no Old Trafford.

Posição carente do Tottenham: meio-campo

Guia do Tottenham Premier League Son
(Photo credit should read IAN KINGTON/AFP/Getty Images)

Na última temporada, Moussa Dembele foi substituído 13 vezes pelo Tottenham na Premier League. Apenas Heung-Min Son (20) e Dele Alli (16) foram sacados com mais frequência, e nenhum outro meio-campista foi tirado mais de nove vezes (Moussa Sissoko).

Apesar de sua habilidade anunciada, Dembelé tem batalhado com seu condicionamento físico por anos e consequentemente sua influência diminui em direção do final das partidas.

O belga esteve ligado a uma transferência durante o verão e ele entrou no último ano de seu contrato. Mas apesar destes problemas, os Spurs ainda estão, de alguma forma, dependente dele.

Por quê? Dois motivos: os londrinos falharam em contratar uma reposição de longo prazo para o jogador de 31 anos durante a janela.

Além disso, Victor Wanyama e Harry Winks já provaram que são propensos a lesões durante os últimos 12 meses.

Como resultado, já nesta temporada Pochettino foi obrigado a começar com Dembele em jogos complicados contra Manchester United e Watford, e em cada uma delas ele pareceu atado. A composição do meio-campo central é desesperadamente necessária ao Tottenham.

Leia mais:

A camisa 9 do Chelsea tem maldição?

Os destaques da Premier League em três rodadas

Posição carente do Liverpool: volante

O impressionante elenco do Liverpool foi o mais difícil para se identificar uma posição carente. Existe, talvez, uma falta de qualidade na zaga. Além disso, eles não possuem um requintado número 10 para dar uma outra opção de ataque.

Mas o problema mais urgente dos Reds pode ser na verdade uma posição que o elenco está bem abastecido. O meio de três homens é dependente de um jogador defensivo, e o Liverpool está se esforçando para estabelecer um.

Jordan Henderson e James Milner foram bem jogando como iniciadores de jogada, mas são conhecidos pela qualidade nos passes do que no suporte à linha de quatro. Naby Keita, enquanto isso, é um meia mais ofensivo.

A dependência de Fabinho se adaptar rapidamente pode fazer os homens de Klopp vacilarem numa sequência de rodadas duras contra Spurs, PSG e Chelsea.

Falhando na adaptação, Giorgino Wijnaldum pode ser usado nesse papel, apesar de ainda ser uma opção inadequada para um meio cheio delas.

Posição carente do Chelsea: atacante

Apesar do início brilhante na campanha anterior, Alvaro Morata terminou 2017/18 com apenas 11 gols na Premier League. Se o Chelsea tivesse um Harry Kane ou um Mohamed Salah, eles poderiam ter batido indiscutivelmente tanto Tottenham quanto Liverpool por uma vaga na Champions League.

Apesar do declínio de Morata, o novo técnico Maurizio Sarri escalou o espanhol nos quatro jogos desta temporada. Ele marcou apenas uma vez, embora Sarri tenha colocado Olivier Giroud em todos os jogos, menos um.

Não quer dizer que o Chelsea tenha problemas para marcar gols como time. Eles têm empilhado gols pelas quatro partidas com jogadores de todos os setores contribuindo.

Mas uma falta de poder de fogo onde realmente precisa – na frente – pode eventualmente machucar o Chelsea novamente, como já aconteceu com Antonio Conte.

A confiança de Morata na frente do gol não parece estar melhorando. Se isso continuar, os Blues podem ir atrás de um novo atacante na janela de transferências de janeiro.

Posição carente do Arsenal: goleiro

Até agora na temporada, Petr Cech completou mais passes (100) do que qualquer outro goleiro do ‘Big Six”. No entanto, isso diz mais sobre o novo estilo de jogo do Arsenal do que qualquer coisa que Cech esteja conquistando.

Unai Emery quer que seu time saia jogando de trás independente do risco. Cech foi apanhado algumas vezes, falhando em 40 passes. Apenas David De Gea errou mais passes (55) dentre os arqueiros do “Big Six”.

Com tudo isso em mente, há questões óbvias a respeito de Bernd Leno.

O goleiro foi contratado pelo Arsenal junto ao Bayer Leverkusen durante o verão e muitos acreditam que ele deveria começar ao invés de Cech.

De acordo com o football.london, Leno cometeu um erro que custou caro durante um amistoso de portas fechadas contra o Brentford. Isso contribuiu com sua contínua exclusão da escalação do time titular.

Os Gunners têm outros problemas defensivos, notavelmente na zaga e lateral esquerda. No entanto, quanto mais Leno é deixado de lado, mais problemas de posição destacadas são deixadas para o Arsenal.